segunda-feira, 9 de julho de 2012

Do Brasil para a América


A Copa Libertadores acabou. Corinthians campeão com merecimento. Não se vence de forma invicta concedendo apenas quatro gols em 14 jogos sem merecer. Resta-nos agora, focar no campeonato brasileiro e na finalíssima da Copa do Brasil, não sem antes escolher os melhores da América. Além dessas análises gostaria de convidar o leitor para uma leitura de um texto de minha autoria publicado no blog 'Futebolizando'. Segue o link: http://www.futebolizando.com.br/?p=840.

O Arranque do Brasileirão

Transcorridas oito rodadas do campeonato o panorama mostra a liderança do Atlético Mineiro com 19 pontos. O Galo até agora venceu 6 partidas, perdeu 1 e empatou 1. Tem um time muito sólido onde encaixou peças providenciais. O goleiro Victor, o craque Ronaldinho, o Lateral Júnior César e o centroavante Jô, encaixaram rapidamente no clube que já tinha uma boa base com um sólido trabalho do técnico Cuca.

Na cola do Galo seguem o Fluminense ainda invicto no campeonato com 18 pontos e o Vasco com 17. 4° e 5° são o São Paulo e o Internacional, que acaba de contratar Diego Forlán, com 15 pontos. A luta promete ser dura e erros eventuais podem custar caro. Deco tem jogado o fino da bola, Juninho Pernambucano parece um menino, e os diamantes Oscar e Lucas brilham. Além dos cinco clubes já citados, não se podem descartar outros. Há muito talento em outras equipes. Montillo no Cruzeiro, Seedorf que acaba de chegar ao Botafogo, Zé Roberto no Grêmio, o campeonato nunca foi tão forte.

A prova final da força do campeonato é a zona de rebaixamento onde figuram o campeão da Copa Libertadores e um finalista da Copa do Brasil. Corinthians e Palmeiras. Para mais, não se pode duvidar de nada. Santos e Coritiba, por exemplo, são times muito bons em posições ruins. O mesmo pode ser dito do Corinthians.

O clichê de o Brasileirão ser o campeonato mais disputado do mundo é cada vez mais válido. Contusões, competência, sorte, erros, contratações e vendas serão as chaves do sucesso ou não dos clubes. Resta-nos aguardar e seguir torcendo. Mais 30 rodadas ainda acontecerão. No mais temos como artilheiros Araújo do Náutico e Alecsandro do Vasco.

O Brasil da Copa do Brasil.

Na final tivemos um jogo muito disputado em Barueri. O Coritiba sufocou e criou as melhores chances do primeiro tempo. Eis que o árbitro começou suas intervenções desastradas. Em pênalti inexistente o chileno Valdívia marcou o primeiro do Verdão paulista. No início do segundo tempo o Coritiba persistiu pressionando e em cobrança de falta de Marcos Assunção desviada na cabeça de Lincoln a bola chegou à feição para o segundo gol do Palmeiras marcado por Thiago Heleno. 2x0 Palmeiras com o carimbo de uma péssima arbitragem que ainda deixou de marcar um pênalti escandaloso em favor do time paranaense quando Tcheco foi derrubado na área.

O Palmeiras deu um passo gigantesco rumo ao bi-campeonato. Mas o Coritiba não está morto e no “Green Hell” – Couto Pereira – tudo é possível. Além disso, o time paulistano vem com o desfalque do expulso Valdívia. Na quarta-feira saberemos o fim.


Los Once de La América.


Goleiro: Cássio. Tite foi muito feliz ao barrar Júlio César e efetivar o goleiro proveniente do PSV. A bola defendida no chute de Diego Souza do Vasco, nas quartas de finais, foi uma das bolas cruciais do torneio, talvez até mesmo a mais importante defesa.

Lateral Direito: Roncaglia. Bom tanto na defesa quanto no ataque e bom cabeceador. Marcou no jogo de ida da final e fez muita falta no jogo de volta da final. Vendido à Fiorentina.

Zagueiro: Leandro Castán. O zagueiro Corintiano evoluiu demais no último ano. Fez um excelente torneio, muito seguro, acabou contemplado com uma venda para a Roma.
Zagueiro: Sebá. Um dos maiores responsáveis por parar Neymar nas quartas de finais. Seu Velez perdeu nos pênaltis após evitar sofrer um gol até o finalzinho do jogo. Coisas do futebol tomaram um gol e perderam nas cobranças penais. Mas o zagueiro fez um ótimo torneio.

Lateral Esquerdo: Clemente Rodriguez. Sempre ele. Seja no Estudiantes ou no Boca, nos últimos anos reina soberano como o melhor lateral a disputar o torneio mais visto da América.

Volante: Erviti. Chato e catimbeiro. Apesar disso é dono de um excelente passe e é aquele tipo de jogador estigmatizado como “moderno”, ataca e defende com qualidade e dá intensidade à equipe. O Boca Juniors viveu sempre à sombra dos grandes tempos, mas este meio-campo se destacou.

Volante: Paulinho. A cara do Corinthians.

Meia: Danilo. Gols e passes decisivos. Contra o Santos marcou. Contra o Boca deu uma fantástica assistência para Emerson.

Meia: Lorenzetti. Levou a enfraquecida, em relação às últimas temporadas, La U às semifinais. Carregou a equipe nas costas e despertou interesse de diversos clubes da América.
Atacante: Emerson. Iluminado brilhou nas finais com uma assistência vital e dois gols.

Atacante: Neymar. Talentoso demais, enquanto o Santos esteve no torneio o jogador se destacou. Teve dificuldades com fortes marcações, mas esteve em geral muito bem, marcando inclusive na semifinal contra o Corinthians.

2 comentários :

  1. Muito bom! O campeonato brasileiro está bem forte realmente. A diferença de pontos entre as equipes, principalmente as da ponta é ainda pequena. Veremos se o Atlético conseguirá manter a ponta com novas contratações chegando em várias equipes.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...