quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A conta do fracasso


          Semana passada, assistindo ao jogo entre América-MG x Boa Esporte, lembrei-me de que o meia Gilberto do Coelho apenas dois anos atrás disputava uma Copa do Mundo.  A partir dessa lembrança veio à idéia escrever sobre os percursos seguidos pelas carreiras dos 23 atletas que representaram o Brasil na África do Sul.

Em pé: Lúcio, Júlio César, Juan, Maicon, Gilberto Silva e Felipe Melo.
Agachados: Michel Bastos, Robinho, Elano, Kaká e Luís Fabiano.


Os Goleiros escolhidos por Dunga foram Júlio César(1), Doni(22) e Gomes(12).  Júlio César vinha de um problema na coluna, mas era titular da Inter de Milão e prestigiadíssimo pela imprensa. Após falhar no decisivo jogo contra a Holanda, sua carreira não mais ascendeu, pelo contrário. Hoje está na reserva de Handanovic na Inter de Milão, a qual busca uma negociação com o goleiro que tem um salário alto. Doni alternava na época entre o banco de reservas e a titularidade do Roma. Hoje é reserva do Liverpool onde não atuou sequer em cinco partidas. Já a situação do goleiro Gomes é a pior. De titular absoluto e destaque do Tottenham passou a terceiro goleiro, atrás do americano Friedel e do Italiano Cudicini, cogita uma volta ao Brasil.

Para a lateral direita foram chamados Daniel Alves(13) e Maicon(2). “Dani” Alves segue em alta. Titular incondicional do Barcelona e sempre pretendido por grandes clubes do mundo passou a ser o titular da lateral com Mano Menezes. Longe dos grandes momentos Maicon está sendo descartado do Inter de Milão. Jovens e mais baratos pedem passagem. Mas ainda tem muito mercado na Europa. Esteve ligado ao Real Madrid e ao Chelsea. Por enquanto segue em Milão.

Dunga levou para a África quatro zagueiros. Lúcio(3) e Juan(4), os titulares. Luisão(14) e Thiago Silva(15) os reservas. Lúcio foi mais um descartável na Inter de Milão. Após uma temporada abaixo da média, o caro zagueiro rumou para Turim onde defenderá o Juventus. Já decadente ainda tem mercado europeu. Juan foi quem mais declinou. Seguidas lesões evitaram que se firmasse como absoluto no Roma. Acertou sua volta ao Brasil para defender o Internacional, tentando dar a sua carreira um final menos dramático que seus últimos anos. Luisão segue muito bem no Benfica onde é capitão. Thiago Silva além de ser um dos melhores zagueiros do mundo acabou de acertar a segunda maior transferência de um zagueiro na história. Migrou do Milan para o PSG.

O lado esquerdo da defesa sempre foi a maior incógnita. Michel Bastos(6) a escolha para a titularidade está bem, num instável Lyon. Sempre ligado a clubes maiores da Europa. Apesar disso a anos não é mais lateral esquerdo, jogando quase como um ponta direita. Já Gilberto(16) entrou em completa descendente. Também não é lateral há anos, e após problemas de egos no Cruzeiro está hoje disputando a série B pelo América-MG depois de apagada passagem pelo Vitória.

Os volantes escolhidos pelo técnico foram Gilberto Silva(5), Felipe Melo(8), Josué(17), Kléberson(20) e Ramires(18). O primeiro retornou da Grécia e atua agora como zagueiro no Grêmio, perdeu velocidade, mas é ainda capaz de boas partidas na defesa. Felipe Melo esteve emprestado pela Juventus ao Galatasaray, foi campeão turco. Seu clube atual tenta a renovação do empréstimo. Está valorizado. Josué segue titular do conturbado Wolfsburg. Kléberson é quem mais decresceu desde 2010. De titular do Flamengo a “emprestável” a equipes de menor estrutura e com menores anseios, após um ano pífio do Atlético-PR está no Bahia, que luta contra o rebaixamento da Série A. Enquanto Kléberson foi quem mais caiu, Ramires foi quem mais subiu. Saiu do Benfica por altas cifras para o Chelsea e foi decisivo no inédito título da Uefa Champions League na eliminação do Barcelona, só Mano Menezes não vê lugar para ele na atual seleção. Há quem diga inclusive que se ele não estivesse suspenso contra a Holanda o Brasil teria avançado.

Para o meio ofensivo Dunga levou Kaká(10), Elano(7) e Júlio Baptista(19). Preterido por Mourinho Kaká está em rota de colisão com o Real Madrid. Nunca apresentou grande futebol no clube Madrileno. A equipe aguarda uma proposta pelo meio-campo, que ao que indica pode retornar ao Milan. Elano retornou ao Brasil após anos de Europa. Primeiro para o Santos onde foi campeão da Libertadores e disputou o Mundial. Agora defende as cores do Grêmio. Júlio Baptista deixou a reserva no Roma para ser estelar novamente na Espanha. Desta vez no Málaga. Está contundido, mas já apresentou bom futebol na Espanha, marcando inclusive belos e importantes gols. Resta saber como será o retorno de “La Bestia”.

No ataque as opções em 2010 foram Robinho(11), Luís Fabiano(9), Grafite(23) e Nilmar(21). O primeiro retornou a Europa depois dos seis meses no Santos. Atua pelo Milan. Tal como Luís Fabiano que voltou ao São Paulo, deixando o Sevilla, vive uma relação entre tapas e beijos com a torcida. Robinho por desperdiçar chances claras, Luís por ter temperamento difícil. Grafite e Nilmar migraram da Europa para o “mundo árabe”. Grafite saiu do Wolfsburg e defende o Al-Ahli. Nilmar saiu do rebaixado Villarreal para o Al-Rayyan, após lesões e pedidos para ser emprestado ou vendido e voltar ao Brasil.
                
            O técnico Dunga não mais trabalhou como técnico de futebol desde então.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...