segunda-feira, 8 de julho de 2013

Independiente x Racing Club: o clássico de Avellaneda

Prossigo na minha expedição onde tento desvendar o que há por trás das rivalidades dos Clássicos do Mundo. Hoje trago ao leitor o clássico de Avellaneda, Independiente x Racing.



O Racing Club foi fundado em 25 de março de 1903. Sua origem é ligada a uma separação seguida de uma fusão. Em 1901, foi criado por estudantes do Colégio Nacional Central o Football Club Barracas. Apesar disso, em pouco tempo ocorreram divergências sobre as cores do uniforme da equipe e essa se dividiu em duas. Nascia o Colorados Unidos. Apesar disso, em 1903 as equipes voltaram a se unir e apareceu o famoso Racing Club de Avellaneda.

Vista de cima de Avellaneda. Os estádios Libertadores da América (Independiente) e J. Domingo Perón (Racing)

O Independiente, por sua vez, foi criado em 1º de agosto de 1904. Sua origem é curiosa. O clube foi formado por trabalhadores de uma loja inglesa que possuía seu próprio time, o Maipú FC. O problema é que a equipe não permitia que os trabalhadores mais jovens jogassem pela equipe no campo da loja. Sendo assim, estes trabalhadores uniram-se e “proclamaram sua independência”. Estava instituído o Club Atlético Independiente de Avellaneda. Não obstante, o clube só se formalizou em 25 de março de 1905. Curiosamente exatos dois anos após o rival.

A rivalidade entre os clubes de Avellaneda, província de Buenos Aires, só começou em 1907, com a mudança do Independiente, que passou por quatro diferentes lugares até se estabelecer em Avellaneda, e o primeiro encontro das equipes. Nos primeiros anos a rivalidade foi mesmo baseada na disputa pela superioridade local. A primeira partida entre os dois aconteceu em 9 de junho de 1907 com vitória do Independiente por 3x2. O confronto aconteceu pela terceira divisão da Argentina.
Equipe bi-campeã da Libertadores 64/65

A rivalidade começou a crescer de fato na década de 60. O que era apenas uma rivalidade local tornou-se uma intensa luta por superioridade nacional, continental e mundial. Neste momento histórico começou a trajetória de grandes conquistas do Independiente. O clube já possuía cinco títulos nacionais (considerando o amadorismo que durou até 1931), mas ainda era inferior ao Racing que já possuía 13 títulos. Logo em 1960 os rojos do Independiente conquistaram seu sexto título nacional. Desde então seriam conquistados mais 10. Além disso, e mais importante foi o início do sucesso continental. Em 1964 e 1965 a equipe conquistou seus dois primeiros títulos da Copa Libertadores, campeonato em que o Independiente é o recordista de conquistas com sete.

Para não ficar atrás o Racing também lutou e conquistou uma Copa Libertadores, em 1967. No mesmo ano veio o primeiro Mundial de Clubes de Avellaneda. O Racing bateu o Celtic-ESC na final. Essa rivalidade, a qual se intensificou na década de 60 teve absurda intensidade até o final da década de 80. Nesse período juntos os clubes conquistaram 11 títulos nacionais, oito Copas Libertadores e três Mundiais Interclubes. A partir da década de 90 o ritmo das conquistas caiu. Mas a rivalidade já estava situada.

Gol de Cardenás contra o Celtic
No total as equipes se enfrentaram 185 vezes. O Independiente tem 70 vitórias contra 51 do Racing. Aconteceram ainda 64 empates. Nos títulos os Rojos ganharam o Nacional 16 vezes, a Copa Libertadores sete vezes, a Copa Sul-americana uma vez, a Recopa uma vez em 1995, a Supercopa duas vezes e o Mundial de Clubes duas vezes. Por sua vez a Academia como é conhecido o Racing Club conquistou também 16 títulos nacionais, uma Copa Libertadores, uma Supercopa e um Mundial de Clubes.

Alguns casos são curiosos na história do clássico. Era para este derby ter mais uma página na história do futebol argentino. Em 1931, o clássico abriria o primeiro campeonato profissional do país, mas foi adiado, pois não houve tempo para que o Racing inscrevesse seus jogadores. Esse jogo só foi disputado ao final do Campeonato e teve o maior placar da história do confronto, 7x4 para o Racing Club. Outro caso peculiar ocorreu em 1961. Em novembro deste ano uma partida entre os rivais ficou interrompida por meia hora em decorrência de uma “batalha” que se estabeleceu no campo. Meia hora depois e com quatro jogadores a menos em cada equipe o jogo seguiu e terminou 1x1.

Rebaixados recebem apoio da torcida

Outros casos como esse aconteceram na história das equipes. No total 18 jogadores atuaram por ambos os clubes. Hoje o sorriso está do lado do Racing Club. A equipe terminou o campeonato em sexto lugar e desfrutou imensamente do descenso do Independiente para a segunda divisão. Além do mais o clube tem hoje uma boa safra de jovens jogadores. Ao contrário os Rojos se ressentem do rebaixamento com uma equipe recheada de veteranos.



Independiente e Racing Club ainda gozam na Argentina de estarem no grupo dos cinco maiores do país, junto de Boca Juniors, River Plate e San Lorenzo. Avellaneda é também um dos poucos lugares do mundo que possui mais de um clube campeão do mundo. A dizer do tamanho da província este é um fato muito expressivo.


É ainda necessário falar que ambas as equipes se destacam historicamente na revelação de talentos. Nos últimos anos as canteras do Independiente revelaram Sérgio Agüero, Gabriel Milito, Diego Forlán e Esteban Cambiasso, enquanto que a Academia revelou Diego Milito, Lisandro López e Cláudio López.








Abaixo as escalações atuais de ambas as equipes: 



2 comentários :

  1. Faltou mencionar Ricardo Bochini... é um capítulo à parte na história do Independiente e do futebol argentino... estranhamente, não fez grande carreira na seleção (só foi à copa de 1986, quando já era veterano - poderia ter ido nas 3 anteriores, mas, aparentemente, Menotti - técnico em 78 e 82 - não gostava muito do seu futebol - ou dele -), mas foi o grande nome do time nos anos 70... indiscutível seu papel fundamental na inscrição do clube entre os grandes do futebol mundial... não sei se é presságio para amanhã, mas vale recordar sua atuação contra o Cruzeiro em 1975... em BH fora 2x0 para o time celeste... a volta, no entanto, foi um 3x0 que lhe deu a classificação... naquela época ainda se jogava um triangular para chegar à final e naquele grupo, que ainda contava com o Rosário, não houve empates, e todas as partidas, exceto essa, foram vencidas com uma diferença de dois gols... enfim, fica o registro de Bochini, o grande maestro do Independiente... WRD .

    ResponderExcluir
  2. A propósito das "traições" - os 18 que jogaram por ambos os clubes podem ter companhia ...
    http://www.minutouno.com/notas/292516-traicion-vargas-dejo-independiente-y-ya-arreglo-racing
    http://deportes.terra.com.co/futbol/fabian-vargas-pasa-de-independiente-a-racing-en-argentina,ebe84b8a02fbf310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html
    http://www.clarin.com/deportes/Vargas-cruza-vereda-jugara-Racing_0_951505255.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...