segunda-feira, 29 de julho de 2013

Liverpool x Manchester United: o derby do noroeste

Sigo na caminhada destrinchando as rivalidades existentes nos Clássicos do Mundo. Hoje trato do derby do North West England: Liverpool x Manchester United.



Tudo começou na Revolução Industrial. Tanto a cidade de Manchester quanto a de Liverpool, urbes separadas por pouco mais de 50 quilômetros, tinham grande importância para o Reino Unido. À época, Manchester era a cidade de maior importância no setor têxtil inglês, principalmente no tocante ao algodão. Entretanto, para as fábricas da cidade obterem a matéria-prima necessária para produzirem, era preciso que os materiais tivessem por onde chegar. E eles chegavam pelo Porto de Liverpool.


Com o monopólio do transporte das mercadorias, o Porto estabeleceu altas taxas sobre os produtos que teriam as fábricas de Manchester como destino, concretizando uma forma de manter a cidade de Liverpool como a principal da região. Não obstante, essa situação não perdurou.  A cidade de Manchester construiu um canal (com referência no escudo do United) que lhe possibilitou ter acesso à matéria-prima sem ter que passar por Liverpool, o que garantiu anos de êxito para a cidade e diminui drasticamente a importância da cidade portuária, que retomou sua notoriedade com a ascensão dos Beatles. Desde então era vista uma rivalidade entre as cidades.

É nessa esteira que começa a rivalidade futebolística entre Liverpool e Manchester United. Os Red Devils, como é conhecido o United, foram fundados em 1878 por trabalhadores da ferroviária Lancashire and Yorkshire Railway (LYR). Inicialmente, a equipe disputava partidas apenas contra clubes de outras ferroviárias e chamava-se Newton Heath LYR. Começou sua trajetória profissional com a disputa da Liga Inglesa da temporada 1892-1893, todavia, com insucesso. Em 1902, ocorreu grande e importante mudança. Com a liquidação dos débitos gerados pelo clube, pagamentos feitos por Harry Stafford e John Henry Davies, a equipe passou a se chamar Manchester United 
Antigo Anfield Road

O Liverpool, comumente tratado como os Reds, foi fundado em 1892, originado por um conflito entre os diretores do Everton e a direção do Estádio Anfield (o dono do Estádio era o Presidente do Everton). Após o rompimento ocorrido entre essas partes, o Everton foi jogar no Goodison Park e John Houlding, ex-presidente do Everton e dono do Estádio Anfield Road, fundou o Liverpool.

Após um início razoável das equipes, passaram-se longos anos até que as mesmas se afirmassem como os maiores vencedores da Inglaterra. O período entre as décadas de 10 e 40 foi marcado pela fraqueza de ambos os clubes. Só em 1947, o Liverpool voltou a ser campeão, e, em 51, o Manchester. Desde então, as equipes, apesar de haver alguns hiatos sem conquistas, nunca pararam de ganhar. E a partir daí começou a mudar de patamar a rivalidade entre as equipes.

Impossível separar a rivalidade entre Reds e Red Devils, de suas conquistas e treinadores. A trajetória de sucesso do Manchester United começou com a chegada do treinador Matt Busby (foto), que dirigiu a equipe entre 1945 e 1969 (posteriormente teve outra rápida passagem). Com ele, o United conquistou cinco títulos nacionais, duas F.A. Cup, cinco Charity Shields, e uma UEFA Champions League. 

Além disso, Busby será sempre lembrado por ter sobrevivido ao desastre de Munique em 1958, ocasião em que o avião da equipe se acidentou e alguns integrantes da equipe morreram. Além de ter sido um sobrevivente o treinador teve forças e conseguiu reestruturar o clube. Nesse momento, e nos anos que se seguiram imediatos, foram importantes também os históricos jogadores David Herd, Albert Quixall, Denis Law, Bobby Charlton e George Best.

Durante muito tempo, Busby teve como seu rival Bill Shankly (foto), treinador do Liverpool entre 1959 e 1974. A seu lado, Shankly teve Bob Paisley (que viria a sucedê-lo), Joe Fagan e Reuben Bennett. Integrantes da comissão técnica, sem os quais o sucesso do Liverpool seria impossível, nas palavras de Shankly. 

Após trazer o Liverpool de volta da Segunda Divisão, o técnico decidiu que sua equipe seria montada com base em um zagueiro e um centroavante, que dariam o suporte à equipe. Mesmo sob desconfiança da imprensa e dos torcedores contratou os escoceses Ronald Yeats e Ian St. John. Com os dois e alguns atletas formados no clube, como Gerald Byrne e Roger Hunt, a equipe voltou a crescer. Alcançando o seu auge nas décadas de 70 e 80 já sob o comando de Bob Paisley.  

Embora o Liverpool já demonstrasse sua superioridade nas décadas de 60 e 70, o primeiro título Europeu de um clube inglês foi conquistado pelo United em 1968. E esse foi um dos motivos principais do aumento da rivalidade. O Liverpool podia até mandar na Inglaterra, mas na Europa quem coordenava as ações era o Manchester. Curiosamente, hoje a lógica se inverteu. O Manchester detém a superioridade na Inglaterra e o Liverpool na Europa, algo que irrita profundamente os torcedores dos Red Devils.

Veio a década de 80 e o domínio dos Reds permaneceu evidenciado. Mas um fato importantíssimo, que mudaria os rumos da rivalidade para sempre, aconteceu. Em 6 de novembro de 1986, chegava ao Manchester United o treinador Alexander Chapman Ferguson (foto). E mais que isso, chegava junto com ele uma ideia. O mais importante não era levar o Manchester United a ser o melhor clube da Inglaterra, mas torná-lo superior ao Liverpool (ainda que isso significasse levar o clube ao topo).

Desde então, o Manchester evolui e hoje indubitavelmente é um clube, em termos futebolísticos, melhor que o Liverpool. Alex Ferguson, que ganharia o título de Sir, reestruturou o clube de uma forma inimaginável até para o mais otimista dos torcedores. Contando com uma safra brilhante em que apareceram David Beckham, Ryan Giggs, Paul Scholes, Gary Neville, Phil Neville e Nick Butt e liderados por Eric Cantona, Denis Irwin, Roy Keane e Peter Schmeichel, esses jovens começaram a mudar o rumo do Clássico na década de 90. A coroação do trabalho se deu em 1999 quando o Manchester conquistou, o Campeonato Inglês, a UEFA Champions League – em uma das finais mais emocionantes da história - e a FA Cup.

Geração dourada do Manchester

Lá se vão 23 anos que o Liverpool não conquista o título nacional. Ainda assim, os Reds conquistaram a UEFA Champions League em 2005, em uma final sensacional contra o Milan. As atuações de Steven Gerrard, Xabi Alonso e Jamie Carragher nunca serão esquecidas.

Liverpool Campeão em 2005
Em pé: Traoré, Xabi Alonso, Hyipia, Dudek, Carragher e Kewell. Agachados: Finnan, Baros, Luís Garcia, Gerrard e Riise.

Vale lembrar duas controvérsias recentes envolvendo as duas equipes. Em 2007 o Manchester vendeu o zagueiro argentino Gabriel Heinze para o Real Madrid por um preço inferior ao oferecido pelo rival, somente pelo prazer de evitar reforçá-lo. Em 2009, o Golden Boy Michael Owen, formado no Liverpool acertou com o United, o que gerou enorme polêmica. O jogador foi taxado como traidor e dificilmente será “perdoado” pelos torcedores dos Reds.

Outro personagem que merece menção é o ex-jogador e treinador Kenny Dalglish (foto). Como atleta foram mais de 300 jogos e como treinador foram oito anos considerando os dois períodos em que treinou a equipe.

Ao todo Reds e Red Devils se enfrentaram 187 vezes. São 62 vitórias do Liverpool, 74 vitórias do United e 51 empates. São 38 títulos ingleses, 20 para o Manchester e 18 para o Liverpool e oito UEFA Champions League, cinco do Liverpool e três do United. Os Reds conquistaram ainda sete vezes a F.A. Cup e oito vezes a Copa da Liga. Já os Red Devils alcançaram 11 F.A. Cup e quatro Copas da Liga.

Nos elencos atuais das equipes temos cinco brasileiros, Anderson, Rafael e Fábio no Manchester e Philippe Coutinho e Lucas Leiva no Liverpool. Apesar de haver clara superioridade do United não é possível prever os próximos capítulos da rivalidade com a saída da lenda Sir. Alex Ferguson e a chegada de David Moyes. O Liverpool terminou bem a última e instável temporada. Quem sabe os novos capítulos da rivalidade não se equilibrem de novo? É esperar.


Abaixo as formações atuais das equipes:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...