segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Barcelona de Guayaquil x Emelec: o derby do Estaleiro

Depois de contar um pouco da história que cerca a grande rivalidade do futebol romeno, entre Dinamo Bucuresti e Steaua Bucuresti, apresento hoje alguns fragmentos da rica história da maior rivalidade do futebol equatoriano entre Barcelona e Emelec, rivais da cidade de Guayaquil.


Apesar de não ser a capital do Equador, Guayaquil (foto) é a maior cidade do país em extensão, a mais populosa e a mais importante economicamente. Historicamente vital para o país, principalmente na época colonial, a cidade que abriga o maior porto do Equador, é responsável por mais de 70% das importações do país e por aproximadamente 50% das exportações. Uma cidade tão viva quanto Guayaquil, não poderia ter uma existência completa se mantendo alheia aos encantos do esporte mais popular do mundo. Assim, na década de 20 nasceram Barcelona e Emelec, os rivais do Estaleiro.

O Barcelona foi fundado em 1º de Maio de 1925, por um grupo de jovens do Bairro Del Astillero, na residência de Eutimio Pérez, um imigrante espanhol. O nome Barcelona veio justamente como uma forma de homenagem a alguns fundadores que vieram da capital da Catalunha. Registra-se que o homônimo do clube do melhor jogador do mundo, Messi, usou nos dois primeiros anos de sua existência camisas pretas, shorts brancos e meias pretas (foto). O time, que é o único no Equador nunca rebaixado para a segunda divisão, adotou o tradicional uniforme amarelo-negro em 1927.

Do outro lado da rivalidade de Guayaquil, o Emelec também foi fundado no Bairro Del Astillero. A exemplo do rival, o Emelec teve seu estabelecimento ligada a imigrantes, só que ao invés de estes provierem da Espanha, como os do rival Barcelona, os referidos estrangeiros vieram dos Estados Unidos, e trabalhavam na Empresa Eléctrica de Ecuador, a qual daria o nome ao clube: Empresa (Em) Eléctrica (el) de Ecuador (ec). Nesse sentido destaca-se o norte-americano George Capwell (foto), membro da superintendência da empresa de eletricidade. Ele foi um dos fundadores e um dos primeiros esportistas do clube – tendo jogado basquete e beisebol pelo clube. Atualmente, é lembrado por dar o nome ao estádio de futebol da equipe.

A proximidade das equipes, separadas por poucas quadras, a briga para ser o clube de maior sucesso no país, e a disputa local pela superioridade em Guayaquil, fizeram destes dois clubes grandes e eternos inimigos.

O futebol só se profissionalizou no Equador em 1957, mas antes disso os clubes já se enfrentavam em competições regionais amadoras. A primeira vez que se defrontaram foi em 1943 e teve vitória dos Toreros como é conhecido o Barcelona, placar de 4x3. A primeira vitória de Los Eléctricos (alcunha do Emelec) aconteceu em 1945, escore de 2x1.

Um dos últimos clássicos

Se enfrentando desde 1943, os rivais já se viram frente a frente em 265 ocasiões. A vantagem nos números é do Barcelona que conquistou 93 vitórias, contra 79 do Emelec, tendo havido ainda 93 empates. Contudo, apesar da desvantagem no total de vitórias, o Emelec foi que se saiu vitorioso na maior goleada da história do clássico, 6x0 em 1990.

Nos títulos também há superioridade do Barcelona que se sagrou campeão equatoriano por 14 vezes (sendo o recordista do país), contra 10 do Emelec. Apesar de serem os dois maiores clubes do país, em 2008 os rivais viram a LDU de Quito conquistar a Copa Libertadores da América, competição nunca antes vencida por uma equipe equatoriana. O máximo que os rivais chegaram foi a dois vice-campeonatos do Barcelona, um em 1990 e outro em 1998, título perdido para o Vasco da Gama (foto).

Como a esmagadora maioria dos clássicos do futebol mundial, a disputa entre os rivais de Guayaquil forma uma verdadeira panela de pressão, tanto no estádio do Barcelona, o Monumental Isidoro Romero Carbo, quanto no do Emelec, o estádio George Capwell, e não são raras as ocorrências de violência. Um exemplo disso aconteceu em 2006 quando um clássico teve de ser interrompido em decorrência do arremessamento de objetos no campo, ataques às cabines de imprensa e enfrentamentos com a polícia.
Time do Barcelona de 1989, base do de 1990.
Outro ponto que merece menção foi um dos encontros mais tensos entre os rivais em toda a história do derby. Falo das quartas de final da Copa Libertadores da América de 1990, ocasião em que los toreros eliminaram los eléctricos com um placar agregado de 1x0. Como dito, o Barcelona foi vice-campeão nesse ano, perdendo o título para o Olimpia do Paraguai.

O jogador que mais vezes disputou o clássico foi o folclórico goleiro José Francisco Cevallos, com 52 aparições defendendo a meta do Barcelona entre 1990 e 2005 e 2005/2006, após rápida passagem pelo Once Caldas-COL. Já o maior artilheiro do encontro foi Lupo Quiñonez, autor de 13 gols, dez pelo Emelec e três pelo Barcelona.

Alguns brasileiros passaram pelos rivais, dentre os quais destaco, pelo lado do Barcelona, o mítico goleiro Manga, que atuou por várias grandes equipes e pela seleção brasileira e o meia Adílio destaque no Flamengo, já do lado do Emelec, o realce fica por conta do ex-atacante formado no Palmeiras Edu Manga (foto à esquerda).

Atualmente os times possuem oito jogadores entre os convocados para a Seleção Equatoriana no último chamado. Do lado do Emelec foram escolhidos os defensores Óscar Bagüí (foto à direita) e Gabriel Achilier e os meio-campistas Enner Valencia e Fernando Gaibor, já os barcelonistas escolhidos foram o goleiro Máximo Banguera e os defensores Jayro Campos, Frickson Erazo e Juan Carlos Paredes. Curiosamente o recordista de jogos pela La tri atuou pelos dois rivais. Trata-se do zagueiro Ivan Hurtado, que defendeu o Emelec entre 1992/1996 e 2001 e o Barcelona no período de 2002/2004 e 2008.

Atualmente o Emelec lidera o campeonato equatoriano com 40 pontos, enquanto o Barcelona é apenas o 7º colocado com 25 pontos. Apesar disso, este é o atual campeão.

Abaixo as atuais escalações das equipes:





6 comentários :

  1. Amigo muchas gracias, por tu reportaje sobre éste partido, en donde la FIFA, lo resaltó como el más trascendencia a nivel nacional e internacional, siendo además, uno de los mejores clásicos sudamericanos. Estos dos equipos te digo, acaban de jugar hoy y lo ganó Barcelona por el marcador de 1 a 0, bueno tal vez haya final en diciembre, entre estos dos equipos https://twitter.com/GEMELORICARDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bueno que apreciaste, amigo. Si, este es un partido de mucha importáncia!

      Excluir
    2. Sí, buen artículo. Pero mi pregunta es: ¿Cómo así, hiciste este tema del Clásico ?, podrías haber hecho de otros países como en Colombia, Brasil, Argentina. De mí parte, lo compartiré para que los hinchas puedan leerlo

      Excluir
  2. Espero que más adelante, puedas hacer una nota de Emelec de Ecuador, un grande de mi país y de Sudamérica, nos vemos

    ResponderExcluir
  3. Ricardo, yo he escrito una série con la temática de los grandes clásicos del mundo, fueron 40 textos. Dentre ellos yo he hablado de los grandes partidos entre River x Boca, Atlético Nacional x Millonarios, Newell's Old Boys x Rosario, Independiente x Racing y varios otros del resto del mundo!

    ResponderExcluir
  4. Tú eres periodista allá en Brasil...o te gusta hacer esto.La verdad muy interesante, pero bueno está en portugues en la mayoria de ello

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...