segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Kaizer Chiefs x Orlando Pirates: o derby de Soweto

Caros leitores, o ano está chegando ao fim e é hora de descansar, juntar novas energias e projetar o ano de 2014. Assim, chegamos ao fim de nosso trabalho em 2013. “O Futebólogo” deseja a todos vocês muita felicidade e alegrias neste Natal que se avizinha e no iminente Ano Novo. Mas, não se entristeça leitor, logo na primeira semana do próximo de 2014 o site voltará com tudo, combinado? 


Depois de contar o que cerca o grande clássico belga, entre Anderlecht e Club Brugge, trago um pouquinho das histórias do maior derby da África do Sul, entre Kaizer Chiefs e Orlando Pirates.


O maior clássico da África do Sul não é disputado por clubes de nenhuma das capitais do país (Cidade do Cabo – legislativa; Pretória – executiva; e Bloemfontein – judiciária). Não obstante, eles são parte da histórica e mais populosa cidade da nação, Joanesburgo (foto).  Sendo mais específico, eles dividem uma das maiores aglomerações populacionais do entorno da cidade: Soweto. Um local de história e importância singular.

South Western Townships, ou simplesmente Soweto (foto à direita), foi originalmente um município independente; sua história confunde-se com a do país. O subúrbio começou a expandir na década de 80 do século XIX. Nessa ocasião, a descoberta de ouro na região levou para lá muitos negros em busca de trabalho. Contudo, nem só pelo ouro ficaria conhecida Soweto. 

Em 1976, aconteceu um evento que chocou o mundo. A “Revolta de Soweto”, como ficou conhecido o dia 16 de junho de 1976, levou milhares de estudantes de Soweto às ruas para protestar contra o ensino obrigatório do Africâner (idioma criado a partir do holandês) e a supressão das línguas locais. O resultado foi uma forte repressão policial que, além de causar indignação mundial, levou ao mundo uma das mais tristes e chocantes imagens de todo o período do Apartheid, um jovem de 18 anos, carregando outro de 13 anos, morto (foto à esquerda). Além disso, Soweto também foi a morada do grande Nelson Mandela, durante parte de sua vida.

Cena do filme "O Gavião do Mar"
Foi nesse ambiente que, em 1937, nasceu o Orlando Pirates. O clube originou-se no Orlando Boys Club (um antigo clube local), quando Andries Mkhwanazi, instrutor de boxe, passou a encorajar alguns de seus orientandos a jogar futebol. Em um ano, sem chuteiras e uniforme, o clube passou a disputar torneios de divisões inferiores da Associação de Futebol dos Bantos de Johanesburgo. Em 1939, o time de futebol desligou-se do clube e passou a caminhar só. O emblema da equipe foi inspirado no filme "O Gavião do Mar", de 1940 e estrelado por Errol Flynn.

Já o Kaizer Chiefs nasceu em 1970 e, curiosamente, sua origem está intimamente ligada ao seu grande rival. Ocorre que o sul-africano Kaizer Motaung (foto), atacante formado no Orlando Pirates, retornou à África do Sul após um período jogando no futebol norte-americano e, sabendo que alguns jogadores tinham sido expulsos do Pirates, decidiu fundar seu próprio clube. Nascia ali o Kaizer Chiefs.

A rivalidade de Soweto se fundamenta em dois pontos principais. O primeiro, e mais forte, é a “traição” de Kaizer Motaug, que optou por criar seu próprio time e não retornar ao Orlando Pirates, e o fator local.

A primeira vez que se enfrentaram foi em 24 de janeiro de 1970, apenas 17 dias após a fundação dos Amakhosi (chefes na língua Zulu). Ao todo os rivais sul-africanos se enfrentaram 151 vezes. A vantagem é do Kaizer Chiefs que venceu o Orlando Pirates em 64 ocasiões. Já os Buccaneers (alcunha do Orlando Pirates) levaram a melhor 36 vezes. Aconteceram ainda 51 empates, resultado dos últimos dois encontros dos rivais, que terminaram 1x1.

Cena de um dos últimos derby's.
Já nos títulos há muita paridade. Do lado dos Piratas são 18 títulos nacionais – considerando todos os formatos que o campeonato teve, desde 1971 –, nove copas da África do Sul, sete copas Nedbank, uma Copa Telkom Knockout, uma CAF Champions League (foto), e uma CAF Supercup. Por sua vez, o Kaizer Chiefs levou o título nacional 12 vezes, a copa da África do Sul 14 vezes, a Copa Telkom Knockout 13 vezes, a Copa Nedbank 13 vezes e a African Cup Winner’s Cup uma vez.

A disputa sul-africana é tão intensa que, desde a criação dos Chiefs, apenas treze atletas atuaram pelos dois clubes, sendo eles: os laterais direitos Jimmy Tau e Sizwe Motaung, os meias Arthur Zwane, Jabu Mahlangu, Stanton Fredericks, Thabang Lebese, Marcus Mphafudi, Gert Schalkwyk, Dumisa Ngobe e Marc Batchelor e os atacantes Collins Mbesuma, Pollen Ndlanya e Nomvethe (foto), um dos principais destaques da Bafana Bafana nos últimos 15 anos.

Atualmente a seleção sul-africana conta com seis jogadores dos Amakhosi e nove dos Buccaneers, dentre os quais o principal destaque auri-negro é o meio campista Siphiwe Tshabalala (foto), que já defendeu as cores da Bafana Bafana em 85 partidas, e é sempre lembrado pelo golaço inaugural que marcou na Copa do Mundo de 2010; o destaque dos Piratas é o lateral direito Jele.

No campeonato atual a liderança é do Kaizer Chiefs (que também é o atual campeão). Já o Orlando Pirates é apenas o décimo colocado.

Abaixo as atuais escalações dos rivais:








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...