quarta-feira, 25 de junho de 2014

Times de que Gostamos: Dynamo Kyiv 1975-1976

Depois de lembrar o excepcional time do Liverpool, do período entre 1976 e 1978, rememoro o Dynamo Kyiv de 1975, que fez bonito nacional e internacionalmente e tinha, como grande destaque, o excepcional Oleg Blokhin.


Em pé: Kolotov, Konkov, Rudakov, Reshko, Veremeyev e Fomenko.
Agachados: Blokhin, Matvienko, Troshkin, Muntyan e Onishchenko.


Time: Dynamo Kyiv

Período: 1975-1976

Time Base: Evgeny Rudakov; Vladimir Troshkin, Stefan Reshko, Mikhail Fomenko, Viktor Matvienko; Analotly Konkov, Vladimir Muntyan, Viktor Kolotov, Leonid Buryak; Oleg Blokhin e Vladimir Onishchenko. Téc.: Valery Lobanovskiy

Conquistas: UEFA Cup Winner’s Cup, UEFA Super Cup e Campeonato Soviético.

Maior vencedor do extinto Campeonato Nacional Soviético, a Soviet Top League, com 13 conquistas, o Dynamo Kyiv, da hoje independente Ucrânia, foi o primeiro clube soviético a conquistar uma glória continental, com os títulos da extinta UEFA Winner’s Cup e da UEFA Super Cup (antes disputada entre o vencedor da UEFA Champions League e o da UEFA Winner’s Cup, e não o da UEFA Cup, como acontece nos tempos hodiernos).

Com alguns jogadores da Seleção Soviética vice-campeã da Euro 1972, casos do goleiro Evgeny Rudakov, do defensor Vladimir Troshkin, dos meias Anatoly Konkov e Viktor Kolotov e do atacante Vladimir Onishchenko, os ucraínos viveram um ano dos sonhos, em 1975. Apesar de rivalizar com equipes de médio-grande porte na UEFA Winner’s Cup (CSKA Sofia-BUL, Eintracht Frankfurt-ALE, Bursaspor-TUR, PSV-HOL e Ferencváros-HUN), o Dynamo enfrentou, na UEFA Super Cup, o poderoso Bayern de Munique, campeão europeu, e bateu os bávaros, em partida memorável de Oleg Blokhin.

Posteriormente, a base da equipe seria levada aos Jogos Olímpicos de 1976. 11 atletas do Dynamo integravam a equipe que conseguiu o terceiro lugar em Montreal.

Protegendo a meta alviceleste, estava Evgeny Rudakov (foto), ninguém  menos que o sucessor de Lev Yashin e o antecessor de Rinat Dasaev. Eleito o melhor jogador soviético de 1971, titular no vice-campeonato Europeu da União Soviética, em 1972, e eleito o melhor goleiro do torneio, foi mais um grande goleiro da famosa estirpe de arqueiros do leste europeu. Pelo Dynamo, em 15 anos extremamente gloriosos, atuou em mais de 300 partidas. Dono de ótimo posicionamento, tempo de bola e reflexos, é considerado, ao lado de Oleksandr Shovkovskiy, o melhor goleiro de todos os tempos do clube.

Pelas laterais, atuavam jogadores muito seguros defensivamente. Do lado direito, jogou Vladimir Troshkin (foto), que também podia atuar no meio-campo, foi titular na final da Euro ’72 contra a Alemanha e tinha mais qualidade para ir à frente, sem, contudo, deixar o setor defensivo desguarnecido. Era um jogador extremamente completo e, entre 1969 e 1977, disputou mais de 200 jogos pelo Dynamo. Já na esquerda, Viktor Matvienko, que também esteve na Euro, não tinha  a mesma afeição pelo jogo ofensivo, trabalhando sempre na proteção do flanco canhoto.

O centro da defesa ucraniana foi formado por Stefan Reshko e Mikhail Fomenko (foto). Jogadores de características de jogo semelhantes, muito seguros e confiáveis, os beques da equipe eram muito fortes fisicamente, combativos, altos para os padrões da época e muito eficientes na bola aérea. Ambos atuaram por um curto período na Seleção Soviética, tendo disputado os Jogos Olímpicos de 1976. Fomenko, capitão da equipe na final contra o Bayern de Munqiue, que ficou famoso por ser um defensor duro, porém adepto do jogo limpo, é o atual treinador da Seleção Ucraniana. 

O ótimo meio-campo do Dynamo era formado Anatoly Konkov, Viktor Kolotov (foto, à direita), Vladimir Muntyan e Leonid Buryak (foto, abaixo). Com muita técnica, todos os jogadores tinham ótimo trato da bola e qualidade de passes. Konkov e Kolotov – capitão da equipe – tinham funções de proteção maiores, dando liberdade aos habilidosos Muntyan (eleito o melhor jogador soviético do ano de 1969) e, sobretudo, à Buryak, o principal criador e o mais talentoso dos meias. Este tornou-se o quarto jogador que mais vezes defendeu o Dynamo (com 409 jogos), e também o sétimo maior artilheiro, com 82 gols.

No meio, apenas Konkov não está entre os principais recordistas do clube. Kolotov é o oitavo maior artilheiro da história, com 81 tentos, e Muntyan, que dedicou toda a sua carreira ao clube, é o sexto jogador que mais vezes vestiu a camisa ucraína, com 371 jogos. Curiosamente, Vladimir Veremeyev, meia, e uma espécie de 12º jogador da equipe, ocupa a quinta colocação entre os que mais disputaram jogos pelo clube, com 401 aparições, entre 1968 e 1982.


Apesar de toda a ótima qualidade técnica da equipe como um coletivo,  o grande trunfo, o diferencial da equipe, era o atacante Oleg Blokhin (foto), considerado por muitos o maior jogador soviético de todos os tempos, vencedor do Ballon d’Or de 1975, atleta que mais defendeu o clube alviceleste (com 582 jogos) e maior artilheiro –  com 266 gols. Rápido, habilidoso, driblador insinuante e excepcional finalizador, o craque era fantástico.

Na final da UEFA Super Cup, contra o Bayern, Blokhin marcou um dos gols mais espetaculares da história, driblando quatro defensores bávaros de uma só vez. A seu lado, jogou Vladimir Onishchenko, competente e letal centroavante, autor de dois gols na final da UEFA Winner’s Cup.

No banco de reservas, estava aquele que, mais que Blokhin, deve ser considerado o principal responsável pelo grande time do Dynamo, o treinador Valery Lobanovskiy (foto). Tendo sido criado, como jogador, por Victor Maslow –  tido como o inventor da marcação-pressão e do esquema tático 4-4-2 –  o treinador desenvolveu métodos de treinamento físico e técnico muito próprios e exigentes, estudando com empenho homérico o desempenho de seus atletas. Outros pontos interessantes de serem observados eram o seu apreço pelo desenvolvimento de jovens e pelo “Futebol Total”, da Holanda de Yohan Cruyff. Assim, com um elenco recheado de jogadores de bom trato da bola, o clube mostrou um futebol contundente e vitorioso.



Ficha técnica de alguns jogos importantes nesse período:


Semifinais da UEFA Winner’s Cup: Dynamo 3x0 PSV

Estádio Central, Kiev

Árbitro: Patrick Partridge

Público 100.000

Gols: ’17 Kolotov, ’32 Onishchenko e ’56 Blokhin (Dynamo)

Dynamo: Rudakov; Troshkin, Reshko, Fomenko, Matvienko; Konkov, Kolotov, Muntyan, Buryak; Blokhin e Onishchenko (Kuznetsov). Téc.: Vlaeriy Lobanovskiy

PSV: van Beveren; Krijgh, Nordqvist, van Kraay, Gerrie Deijkers; Bertus Quaars, van der Kuijlen; Willy van der Kerkhof, René van der Kerkhof, Harry Lubse e Ralf Edström. Téc.: Kees Rijvers

Final da UEFA Winner’s Cup:  Dynamo 3x0 Ferencváros

Estádio St. Jakob-Park, Basiléia

Árbitro: Bob Davidson

Público 10.897

Gols: ’18 e ’39 Onishchenko e ’67 Oleg Blokhin (Dynamo)

Dynamo: Rudakov; Troshkin, Reshko, Fomenko, Matvienko; Konkov, Kolotov, Muntyan, Buryak; Blokhin e Onishchenko. Téc.: Valeriy Lobanovskiy

Ferencváros: Géczi; Martos, Megyesi, Pataki, Rab; Nyilasi (Onhausz), Juhász, Mucha, Szabó; Máté e Magyar. Téc.: Jeno Dalnoki

Final da UEFA Super Cup: Dynamo 2x0 Bayern de Munique

Estádio Central, Kiev

Árbitro: Dogan Babacan

Público 100.000

Gols: ’40 e ’53 Blokhin (Dynamo)

Dynamo: Rudakov; Troshkin, Reshko, Fomenko, Zuev; Konkov, Veremeyev, Muntyan, Buryak; Blokhin e Onishchenko. Téc.: Valeriy Lobanovskiy

Bayern: Maier; Weiss, Schwarzenbeck, Beckenbauer, Horsmann; Roth, Dürnberger (Hansen), Schuster (Torstensson); Wunder, Kapellmann, Rummenigge. Téc.:Dettmar Cramer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...