sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Liverpool perde Suárez, mas ganha elenco

Não há dúvidas de que a última temporada do Liverpool animou o torcedor. Após alguns anos muito apagados, em que viu seu principal rival, o Manchester United, superar a grande vantagem que os Reds possuíam no número de títulos nacionais, o clube, comandado por Steven Gerrard, com muito conjunto, velocidade, e com o brilhantismo de Luis Suárez, levou o vice-campeonato.




É ponto pacífico, que o principal fator para a perda do título inglês foi a falta de um elenco mais qualificado, com mais e melhores opções. Além do onze habitual (Mignolet; G. Johnson, M. Srktel, D. Agger, J. Flanagan; S. Gerrard, J. Henderson, P. Coutinho; R. Sterling, L. Suárez e D. Sturridge), as únicas opções válidas de que Brendan Rodgers, o ótimo treinador, dispôs foram o zagueiro Mamadou Sakho, e os meio-campistas Lucas Leiva e Joe Allen. Se precisasse fazer alguma alteração de ataque, por exemplo, o treinador só teria Iago Aspas e Victor Moses como opções, muito pouco.

Para a próxima temporada, o Liverpool não conta mais com a excepcional qualidade de Luis Suárez, que foi vendido ao Barcelona. Entretanto, o clube está tendo a oportunidade de construir um elenco, qualificando-o. Os lucros da exitosa última temporada, somados ao valor recebido na transferência do uruguaio, têm permitido um hábil  manejo do elenco, em todos os setores.

Depois de fazer bela temporada, o goleiro Simon Mignolet deverá ter a companhia de Pepe Reina, que retornou de empréstimo junto ao Napoli e, após alguma especulação, parece ter decidido permanecer no clube. Para a lateral esquerda, que contará com o oportuno retorno de José Enrique,  cuja temporada passada foi marcada pela grande permanência no departamento médico, o clube tem agora a opção de Emre Can (foto), meio-campista alemão promissor e extremamente versátil. A zaga, que passou por alguns sustos com Kolo Touré e com algumas lesões, contará agora com competente zagueiro croata Dejan Lovren, defensor muito firme e bom no jogo aéreo.

Para compor o pobre setor ofensivo, que possuía ótimos titulares e fracos reservas, chegaram algumas apostas extremamente válidas. Após temporada extremamente boa no Southampton, Adam Lallana, que inclusive foi à Copa do Mundo, chega para brigar pela titularidade e é opção para qualquer posição do meio-campo ofensivo, pelos lados ou pelo centro. Mais incisivo, veloz e driblador, Lazar Markovic (foto), winger sérvio que atuava no Benfica, é possibilidade interessantíssima, sendo jogador de grande valia para quebrar rígidos sistemas defensivos e incendiar partidas.

Já para o centro do ataque, o clube também se reforçou, mas foi mais conservador. Rickie Lambert (foto, abaixo), outro ex-Southampton, é um centroavante tradicional, que conta com ótimo posicionamento e capacidade de finalização. Está longe de ter a qualidade e as características de Luis Suárez, mas agrega uma nova e diferente possibilidade de jogo ao elenco, podendo ser referência isolado, ou ao lado de Daniel Sturridge. Anteriormente, já desempenhava este papel, sendo assessorado por Jay Rodríguez, nos Saints.
Além do avançado inglês, os Reds também contrataram o belga Divock Origi (foto, abaixo), de apenas 19 anos e que surpreendeu na última Copa do Mundo. Entretanto, a jovem promessa – como parte do acordo de sua transferência – jogará mais uma temporada no Lille, seu clube de origem. Na última temporada, em 30 jogos pelo Campeonato Francês (18 como reserva), marcou cinco gols.

Perda relevante foi apenas Luis Suárez. Outros que deixaram o clube foram os atacantes Iago Aspas e Luis Alberto, emprestados, respectivamente, ao Málaga e ao Sevilla, e o lateral esquerdo Aly Cissokho, que retornou ao Valencia, com o fim de seu empréstimo, e não deixou boa impressão em Anfield Road. Alguns jogadores têm permanência incerta, casos de Suso, Tiago Ilori e Sebastian Coates, que retornaram de empréstimo e têm sido utilizados na pré-temporada.

É evidente que a perda de Luisito traz a necessidade de uma readaptação do elenco, contudo, o restante da equipe foi mantido, bem como o treinador. A chegada de novas, e boas, peças deixa a equipe mais encorpada e preparada para novas situações de jogo e para as eventuais intempéries (lesões, suspensões, etc.). 

Retornando à UEFA Champions League e moralizada pela performance da temporada anterior, a equipe, que ainda busca novos laterais (Alberto Moreno, do Sevilla, e Javier Manquillo, do Atlético de Madrid, são os mais cotados) e outro atacante (tendo quase contratado o francês Loic Remy, que não passou nos exames médicos), quer voltar a conquistar troféus, e, ao que tudo indica, está no caminho certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...