quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Para onde foram Los Ticos?

Maior e mais agradável surpresa da Copa do Mundo, a Costa Rica apresentou um futebol que permitiu sonhos muito ousados por parte de seus jogadores, agentes de uma campanha que deixou Inglaterra, Itália, Grécia e Uruguai para trás. Com isso, esperaram-se muitas transferências e, ao final, um questionamento ficou no ar: qual foi o destino dos onze titulares da mais surpreendente esquadra do mundial?




Keylor Navas Real Madrid

Principal herói da obra costarriquenha – conseguindo três clean sheets em cinco jogos –, o arqueiro Navas (foto), melhor da última edição do Campeonato Espanhol, foi quem mais evoluiu na carreira. Pretendido por uma infinidade de clubes, dentre eles o Bayern de Munique, de Pep Guardiola, seguiu para Madrid, onde disputa a titularidade com o grande ídolo Merengue, Iker Casillas. O Levante ficou pequeno para o gigante da meta centro-americana. 

Cristian GamboaWest Bromwich Albion

Ala direito de uma formação com três zagueiros, Gamboa, responsável por uma assistência contra o Uruguai, também se deu bem, deixando o Rosenborg, maior potencia da fraca liga norueguesa, e rumando para a tão aclamada Premier League. Embora não tenha ido para um dos maiores clubes ingleses, entrou em uma equipe muito coesa e tem sido titular com frequência, já tendo proferido uma assistência, na vitória de sua equipe frente ao Burnley.

Michael Umaña Persepolis

Jogador mais experiente da equipe titular, o zagueiro Umaña foi outro jogador contemplado com uma transferência. Todavia, diferentemente de Navas e Gamboa, o defensor de 32 anos não foi para um grande centro, deixando o Deportivo Saprissa, de seu país natal, e chegando ao Persepolis, terceiro maior campeão do Campeonato Iraniano. Se foi uma boa escolha ou não só ele pode afirmar, o que é indiscutível é o fato de que ele foi mais um jogador a sofrer o efeito da grande campanha de seu país.

Giancarlo González Palermo

Outro valor de destaque na campanha dos Ticos, o zagueirão González (foto), atleta mais alto do setor (1,91m), deixou a liga norte-americana, onde vestiu a camisa do Columbus Crew, e agora defende as cores do Palermo, na Serie A italiana. Com uma lesão, ainda não estreou pelo time Rosanero. Como Gamboa e Navas, aos 26 anos, deu um grande salto de qualidade em sua carreira.

 Óscar Duarte Club Brugge

Mais um zagueiro do time de Jorge Luis Pinto na Copa do Mundo, Óscar Duarte não viu sua situação se alterar. Atleta do Club Brugge desde janeiro de 2013, se valorizou durante a competição, mas não recebeu uma proposta capaz de fazê-lo deixar seu clube. Nem o gol marcado contra o Uruguai e suas boas atuações persuadiram outras equipes a investirem em seu futebol.

Júnior DíazMainz 05

Lateral esquerdo muito elogiado durante a competição, autor da vital assistência para o gol marginal na vitória contra a Itália, Díaz também não trocou de time. No Mainz 05 desde julho de 2012, disputa a Bundesliga, um dos grandes torneios do mundo, e, nesta temporada, também joga a Europa League, depois de ajudar sua equipe a fazer excelente campanha na temporada 2013-2014, quando seu time alcançou a sétima posição.  Aos 31 anos, dificilmente conseguirá subir mais em sua carreira.

Celso Borges AIK

Referência de estabilidade do meio-campo costarriquenho, Borges, que é filho de brasileiro (naturalizado costarriquenho), também não mudou de time, seguindo no AIK da Suécia. Apesar dos noticiados interesses de Liverpool, Leicester City, Celtic, Evian e PAOK, nenhuma proposta satisfatória chegou. Contudo, uma transferência no próximo período de transferências é uma possibilidade em aberto.

Yeltsin Tejeda Evian

Jovem volante de grande vitalidade, Tejeda (foto), de 22 anos, transferiu-se para o Evian, da França, deixando o Deportivo Saprissa. Conquanto o momento de seu time não seja dos mais fáceis, bem como suas aspirações, o meio-campista começou bem, anotando um gol contra o Bordeaux. Demonstrando as qualidades expostas na Copa do Mundo, tem tudo para evoluir na Europa.

Bryan Ruiz Fulham

Após meia temporada de empréstimo ao PSV, sem grande sucesso, Ruiz foi o capitão e principal referência técnica da Costa Rica na Copa do Mundo. Apesar disso, e de ter sido amplamente noticiada sua saída do Fulham (clube que detém seus direitos) possivelmente para um clube da Alemanha ou da Holanda (destacando-se os interesses de Werder Bremen, Hamburgo, Ajax e PSV) o saldo da Copa não lhe foi favorável e, no momento, Ruiz disputa a segunda divisão inglesa, sem qualquer sucesso. Sua saída na próxima janela de transferências é uma tendência e seus destinos especulados são os mesmos da última janela.

Christian Bolaños Cartaginés

Outro atleta de destacada qualidade técnica, Bolaños foi muito especulado em clubes de todo o mundo, inclusive do Brasil (casos de Flamengo e Atlético). Após a Copa, ficou sem contrato, decidiu deixar o Copenhagen e depois de gerar muita expectativa quanto ao seu futuro, o talentoso meia-atacante, aos 30 anos, decidiu retornar ao seu país, onde defende o Cartaginés.

Joel Campbell Arsenal

Maior surpresa da equipe e uma das maiores de toda a competição, o rápido e insinuante Joel Campbell (foto), que desde 2011 tem contrato com o Arsenal, mas nunca havia sido aproveitado por Arsène Wenger, ganhou sua primeira chance no elenco principal dos Gunners, mas não tem sido aproveitado. Até o momento atuou em apenas três partidas oficiais, sem muito destaque.

Téc.: Jorge Luis Pinto Desempregado

Depois de discordar de várias atitudes da federação costarriquenha de futebol e com a sensação de dever cumprido, o treinador Jorge Luis Pinto deixou o comando dos Ticos e, no momento, está desempregado. Todavia, os rumores apontam a Seleção Peruana como um possível destino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...