sexta-feira, 6 de março de 2015

A linha de produção roxa e branca

Um clichê dominou as bocas dos amantes do futebol mundial às vésperas da Copa do Mundo de 2014. “A geração belga surpreenderá,” disseram torcedores e analistas. Com uma geração de jogadores realmente talentosos, cujo destaque maior era Eden Hazard, craque do Chelsea, os belgas realmente prometiam, entretanto, decepcionaram. A despeito disso, a esperança do torcedor do país não para de se renovar e um dos fatores para isso são as categorias de base do Anderlecht.




Responsável por revelar jogadores da qualidade do zagueiro Vincent Kompany e do atacante Romelu Lukaku, o clube de Bruxelas apresenta, regularmente, uma ótima fornada de jovens, não só de nacionalidade belga, mas também europeus de outras partes e africanos. Além disso, como não dispõe de um orçamento vultuoso, o clube se mantém investindo em jovens jogadores de mercados periféricos. Assim, os Mauves et blancs conquistaram os últimos três títulos nacionais e criaram uma enorme distância para o segundo maior campeão do país (o Anderlecht tem 33 títulos nacionais contra 13 do Club Brugge).

Contando com um elenco cuja média de idade é de apenas 23,3 anos, o clube luta pelo tetracampeonato nacional (atualmente é o segundo colocado, atrás do Club Brugge), mas já vê a aproximação de um possível desmanche em sua equipe, uma vez que o clube dispõe de muito e jovem talento. Apesar disso, essa tem sido a tônica da equipe, que ano após ano perde destaques e cria novos jovens prodígios, conseguindo manter uma linearidade em seu desempenho e mantendo-se no topo em seu país.

Parte do futuro belga passa pelo Anderlecht

Se nessa temporada o clube perdeu o ótimo volante Cheikhou Kouyaté, que rumou para o West Ham, também viu o jovem Leander Dendoncker (foto), de 19 anos, aparecer. Versátil, o garoto é opção para a lateral direita e também para a defesa central. Seu bom posicionamento e saída de bola o colocam como um jogador muito interessante para o mercado e, tendo passado por todos os escalões jovens da Seleção Belga, desde o sub-16, certamente ganhará em breve oportunidade no selecionado principal. Já teve seu nome ventilado dentre as pretensões do Milan.

Se Dendoncker tem impressionado, o que dizer de Youri Tielemans? Profissional desde os 16 anos, ganhando espaço com a venda de Lucas Biglia, o garoto (hoje com 17 anos) assusta pela maturidade e calma. Já tendo disputado mais de 70 jogos pelo Anderlecht, é o belga mais jovem a disputar uma partida da UEFA Champions League. Seu excelente passe e visão de jogo apurada fazem do garoto um excelente controlador de meio-campo e seu talento tem sido observado de perto por Liverpool, Chelsea e Barcelona.

Completando a lista de meio-campistas de grande talento apresentada pelo Anderlecht, Dennis Praet, de 20 anos, tem sido o maior expoente da equipe na temporada, ganhando um chamado para Seleção Principal, estreando com a camisa belga e passando a ser observado de perto por Manchester City, Manchester United, Arsenal e Liverpool. Além de ter grande habilidade e talento individual, o garoto destaca-se nas assistências. Na temporada, em 26 jogos, já deu nove passes para gol e marcou sete vezes. Foi eleito, em 2014, o melhor jogador do ano, dentre os atletas que atuam no futebol belga.

Talento congolês e sérvio na Premier League?

Nem só de talento nacional vive o Anderlecht, que vê em Chancel Mbemba, zagueiro de 20 anos, um dos mais impressionantes talentos jovens de sua posição. Taxado como o “novo Kompany”, o defensor tem de fato características semelhantes às do capitão do Manchester City. Sua imposição física, tranquilidade e precisão tanto na bola aérea quando no terreno não passam despercebidos e, já na última janela de transferências europeias (no inverno do Velho Continente), seu nome esteve ligado à uma mudança para a Premier League, sendo o Arsenal e o Newcastle os destinos apontados. Não obstante sua juventude, é internacional congolês desde 2012.

Passando ao ataque, o terceiro maior goleador da Jupiler League é outra peça que tem sido sondada por clubes ingleses. Aleksandar Mitrovic (foto), diferentemente dos demais citados, não foi criado no clube belga, mas foi contratado junto ao Partizan com apenas 18 anos e com a dura missão de substituir o poderoso Dieumerci Mbokani (sua transferência custou aproximadamente £ 4MI, um recorde no clube à época).


Além da grande força física, imponente estatura (possui 1,89m) e boa técnica, o centroavante sérvio chama muita atenção pela frieza e capacidade de fazer o “pivô”, jogada cada dia mais rara no futebol moderno. Sua presença de área também é um de seus diferenciais e certamente é uma das causas do interesse de Arsenal, Newcastle e Swansea. Na temporada atual, em 35 jogos, Mitrovic marcou 17 gols (dois deles em partidas da UEFA Champions League, contra Arsenal e Borussia Dortmund) e proveu cinco assistências.

Não restam dúvidas de que a sustentabilidade com a qual opera o Anderlecht deveria ser usada como exemplo para muitas equipes de porte semelhante. É evidente que o clube não consegue competir com equipes maiores, mas, mesmo assim, consegue seguir operacional. Trabalhando sempre com produto “tipo exportação”, o clube mantém-se viável e vencedor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...