quarta-feira, 15 de abril de 2015

Times de que Gostamos: Blackburn 1994-1995

Depois de rememorar o excelente time do Racing de meados da década de 60, trato do Blackburn, que, na temporada 1994-1995, sob o comando de Kenny Dalglish e com os gols de Alan Shearer, conquistou a Premier League.




Time: Blackburn

Período: 1994-1995

Time Base: Flowers; Berg, Hendry, Pearce (Gale), Le Saux; Ripley, Atkins, Sherwood, Wilcox; Sutton e Shearer. Téc.: Kenny Dalglish

Conquista: Premier League

Em 1992, o Campeonato Inglês ganhou novo formato. Com alterações substanciais na repartição de receitas de direitos de transmissão, nasceu a Premier League, cuja gênese foi defendida a ferro e fogo pelo grupo dos “Big Five” (Manchester United, Liverpool, Arsenal, Tottenham e Everton). Após a mudança, rarearam os campeões.

Se até 1992, Manchester United, Liverpool, Arsenal, Everton, Aston Villa, Sunderland, Manchester City, Chelsea, Newcastle United, Sheffield Wednesday, Leeds United, Wolverhampton Wanderers, Huddersfield Town, Blackburn Rovers, Preston North End, Tottenham, Derby County, Burnley, Portsmouth, Ipswich Town, Nottingham Forest, Sheffield United e West Bromwich Albion haviam conquistado a primeira divisão do futebol inglês, após o referido ano, apenas cinco equipes a venceram e há uma que, certamente, foi uma surpresa: o Blackburn, do artilheiro Alan Shearer, na temporada 1994-1995.

Melhor ataque (com 80 gols) e quarta melhor defesa (com 39 gols sofridos), os Riversiders se superiorizaram por um ponto ao forte Manchester United de Eric Cantona, contra o qual brigou todo o torneio, e, após 81 anos, voltou ao topo do futebol inglês. Comandado pelo vitorioso Kenny Dalglish, o clube saiu da segunda divisão, em 1992, para o título da divisão principal em 1995. Tudo isso possibilitado pelo dinheiro de Jack Walker, rico empresário e torcedor do clube.

Com um técnico vitorioso e dinheiro no bolso, o Blackburn contratou Alan Shearer e Chris Sutton por valores recorde à época, além de jogadores da Seleção Inglesa, como o goleiro Tim Flowers e o meio-campista David Batty. Assim, após um quarto lugar e um vice-campeonato o time conquistou a sonhada e merecida taça, em grande parte alcançada pela letalidade de seu goleador. Shearer foi o artilheiro da Premier League, com 34 gols.

Cria do Wolverhampton e com passagem significativa pelo Southampton, onde muito aprendeu com Peter Shilton, o goleiro Tim Flowers (foto) chegou ao Blackburn com status de estrela. Selecionável, custou £2,4 milhões aos cofres dos Riversiders, se transformando, à época, no arqueiro mais caro da história do futebol britânico. Na Premier League 1994-1995, disputou 39 jogos sofrendo apenas 33 gols e conquistando 17 clean sheets. Flowers defendeu o Blackburn até 1999 e fez parte dos elencos do English Team na Euro ’96 e na Copa do Mundo de 1998. Foi também eleito o melhor do goleiro da Premier League 1994-1995.

Pela lateral direita, o titular foi o norueguês Henning Berg, jogador de extrema consistência, características mais defensivas e que também podia atuar pela zaga central. Contratado por £400.000, foi vendido ao Manchester United em 1997 por £5 Milhões e se tornou o primeiro jogador a vencer a Premier League por duas equipes diferentes.

Pelo outro lado, atuou um dos melhores laterais esquerdos da história do futebol inglês: Graeme Le Saux (foto). Temperamental e dono de uma potente perna esquerda, era uma das grandes opções de saída de bola da equipe, uma vez que era veloz e tinha grande desenvoltura para atacar, tendo anotado três gols na campanha de 1994-1995. É também lembrado por um belo gol marcado pela Seleção Inglesa contra o Brasil, em 1995, e é outro que figurou na Seleção da Premier League de 1994-1995.

A zaga foi composta pelo experiente zagueiro escocês Colin Hendry (foto) e pelo garoto Ian Pearce. O primeiro, curiosamente, iniciou sua carreira como atacante, sendo transformado em zagueiro em sua primeira passagem pelo Blackburn, no final dos anos 80. Após um período no Manchester City, retornou aos Riversiders em 1991, permanecendo até 1998 e se tornando uma das grandes referências da equipe. Outro jogador eleito para o time do ano de 1994-1995, é lembrado como um defensor duro e afeito aos carrinhos.

Pearce, por sua vez, chegou ao clube em 1993, aos 19 anos e com apenas quatro jogos disputados como profissional pelo Chelsea. Aos 20, já era titular absoluto, fazendo excelente dupla de defesa com Hendry.

Na proteção à defesa, Tim Sherwood (foto) era o capitão e esteio do time. Sua importância era tão grande que, em certa ocasião, o treinador Kenny Dalglish tentou contratar o craque Zinedine Zidane junto ao Bordeaux, mas recebeu como resposta: “por que você quer contratar Zidane, quando nós já temos Tim Sherwood?”. Brincadeiras à parte, o volante era o jogador que dava estabilidade à equipe, uma espécie de motor da mesma e também entrou na seleção do ano.

Fazendo companhia ao capitão, atuou uma surpresa. Criado como lateral direito, Mark Atkins encarou uma difícil missão: substituir o selecionável David Batty, que sofrera grave lesão, no meio-campo. Não é que o jogador se saiu muito bem? Além de prestar o devido auxílio a Sherwood, Atkins foi importante em alguns avanços, marcando seis importantes gols na temporada, um deles vital para a vitória contra o forte time do Liverpool, de Ian Rush e Robbie Fowler.

Pelos flancos de um meio-campo formatado com uma linha de quatro homens tipicamente inglesa, jogaram Stuart Ripley, pelo lado direito, e Jason Wilcox, pelo flanco canhoto. Embora nenhum dos dois marcasse muitos gols, sua habilidade e características permitiam à equipe o melhor jogo possível, uma vez que tinham muita facilidade nos cruzamentos, tendo sido fundamentais para o desempenho da excelente dupla de ataque do time. Além disso, são lembrados por sua consciência tática, tendo sido muito úteis na recomposição defensiva do time.

E no ataque atuaram os dois maiores responsáveis pelo título dos Riversiders, a dupla de £8,6 Milhões: Alan Shearer, goleador máximo do torneio, e Chris Sutton (foto). O primeiro é lembrado como um dos centroavantes mais inteligentes e prolíficos da história do futebol inglês, tal era seu faro de gol e senso de posicionamento. Seu companheiro não tinha tanta qualidade, mas era um cabeceador espetacular, tendo se tornado útil não só marcando gols como também assistindo seu companheiro e craque do time.

Seu entrosamento era tão grande que a parceria ficou eternizada pela siga “SAS”. Juntos, marcaram 49 dos 80 gols do Blackburn em 1994-1995 e também fizeram parte da Seleção do Ano, tendo Shearer sido eleito o melhor da competição.

Além dos titulares, jogadores como o zagueiro Tony Gale, o lateral Jeff Kenna, o meio-campista Paul Warhurst e o atacante Mike Newell tiveram participações importantes durante a temporada que levou o Blackburn ao maior título de sua história e que o coloca em um seleto rol de campeões da era moderna do Campeonato Inglês.

Ficha técnica de alguns jogos importantes do período:

10ª rodada da Premier League 1994-1995: Blackburn 3x2 Liverpool

Estádio Ewood Park, Blackburn

Árbitro: Brian Hill

Público 30.263

Gols: ’52 Atkins, ’57 e ’72 Sutton (Blackburn); ’29 Fowler e ’59 Barnes (Liverpool)


Blackburn: Flowers; Berg, Gale, Hendry, Le Saux; Ripley, Atkins, Warhurst, Wilcox; Shearer e Sutton. Téc.: Kenny Dalglish

Liverpool: David James; Rob Jones, John Scales, Phil Babb, Neil Ruddock, Bjornebye (Redknapp); Molby, McManaman, Barnes; Ian Rush e Robbie Fowler. Téc.: Roy Evans

24ª rodada da Premier League 1994-1995: Blackburn 3x0 Nottingham Forest

Estádio Ewood Park, Blackburn

Árbitro: Joseph Worrall

Público 27.510

Gols: ’43 Warhurst, ’78 Wilcox, ’88 Chettle (contra) (Blackburn)

Blackburn: Flowers; Berg, Pearce, Hendry, Wright; Slater, Atkins, Warhurst, Wilcox (Newell); Shearer e Sutton. Téc.: Kenny Dalglish

Nottingham: Crossley; Phillips, Chettle, Tiler, Lyttle; Woan, Haaland, Gemmill (Paul McGregor), Stone; Collymore e Roy. Téc.: Frank Clark


41ª rodada da Premier League 1994-1995: Blackburn 1x0 Newcastle United

Estádio Ewood Park, Blackburn

Árbitro: Philip Don

Público 30.545

Gol: ’29 Shearer (Newcastle)

Blackburn: Flowers; Kenna, Berg, Pearce, Hendry, Le Saux; Ripley (Slater), Sherwood, Batty; Shearer, Sutton. Téc.: Kenny Dalglish

Newcastle: Srnícek; Hottiger, Peacock, Howey, Beresford; Gillespie, Lee, Watson, Clark; Beardsley e Fox. Téc.: Kevin Keegan

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...