segunda-feira, 7 de março de 2016

Pouco badalado, João Mário é fundamental ao Sporting

Em 2015-2016, o Sporting CP está, definitivamente, lutando pelo título português. Com a chegada de Jorge Jesus, os ânimos foram renovados em Alvalade e, a despeito de uma recuperação do rival Benfica, o clube lisboeta faz boa temporada. Enquanto é fácil apontar jogadores como William Carvalho, Adrien Silva ou Islam Slimani como grandes nomes da temporada dos Leões, muitas vezes um jogador fundamental é deixado de lado: João Mário, o grande coração da equipe.



Mais um expoente da qualidade da afamada base sportinguista, João Mário chegou a Alcochete com apenas onze anos e cresceu no clube. Considerado uma promessa, estreou no clube como profissional em 2011, pouco antes de completar 19 anos, em partida contra a Lazio, válida pela Europa League. Além disso, o meia passou por todos escalões das equipes de base da Seleção de Portugal e conquistou títulos nacionais de categorias inferiores.

No entanto, sua afirmação no clube não foi simples como se poderia supor. Como grande parte dos garotos leoninos, João passou pelo Sporting B, disputando a segunda divisão portuguesa, e depois, na temporada 2013-2014, foi emprestado.

Naquela altura, o clube contava com jogadores Fabián Rinaudo, Adrien Silva, André Martins e William Carvalho para a meia-cancha e o jogador foi repassado ao Vitória de Setúbal. Em ótima temporada nos Sadinos, firmou-se no cenário lusitano - compartindo meio com Pedro Tiba -, disputando 16 partidas e provendo seis assistências importantíssimas para as pretensões do clube, que terminou bem a temporada, com um honrado sétimo lugar.

Tamanho desempenho, aliado às boas capacidades técnicas e o espírito que demonstrou, deixaram o Sporting sem opção senão trazê-lo de volta e dar-lhe oportunidades. Já na temporada 2014-2015, o jogador passou a demonstrar seu bom passe, constante movimentação e capacidade de chegar ao ataque e ganhou espaço também na Seleção das Quinas. Ao lado de Willian Carvalho e Adrien Silva, João formou um excelente meio-campo e ajudou na conquista da Taça de Portugal.

Apesar disso, talvez porque não tenha um estilo de jogo tão elegante quanto o de seus parceiros de setor, João não tenha ganhado todos os holofotes que merece. Sua capacidade, metaforicamente falando, de estar em todos os lugares do campo ao mesmo tempo é impressionante e com frequência conduz o Sporting às vitórias e boas performances. O jogador parece ter mais de dois pulmões e é a figura que mantém todo o time conectado.

Leia também: André André, um jogador que vale por dois

Embora seja, em teoria, um meio-campista de centro, João aparece pelos dois flancos, como volante e até mesmo como atacante, isso com grande constância e consistência. Em apenas oito de 25 ocasiões o atleta não completou os 90 minutos no Campeonato Português, tendo, destas oito, muitas substituições sido nos minutos finais. Em sua segunda temporada afirmado no onze titular leonino, o jogador vai se mostrando a cada partida alguém mais confiável, pela qualidade técnica e por ser uma figura que sempre dá opções aos companheiros, com regularidade e muita entrega no campo.


Nesta temporada, leva 37 partidas, tendo balançado as redes quatro vezes e provido nove assistências. Mesmo quando o Sporting não vem bem, como por exemplo na última rodada do Português (25ª), contra o Benfica, João Mário é destacado positivamente. Hoje, manchetes evidenciando sua qualidade não faltam, o que extrapola as fronteiras de Portugal. Em janeiro deste ano, o site da UEFA chegou a destacar o jogador: “João Mário cada vez mais preponderante no Sporting”.

Com contrato com o Sporting até 2020, certamente não demorará a ser especulado em outras equipes. É difícil encontrar no mercado um jogador que consiga aliar tanta disposição com boa técnica, o que tem sido reconhecido por torcedores. Em janeiro, o jogador chegou a receber uma carta de um torcedor do Vitória de Setúbal (confira abaixo) que chega a emocionar todo aquele que ama o futebol. Isso é fruto de todo o empenho que deixa nos gramados em que pisa. Embora não seja tão badalado quanto alguns de seus companheiros, hoje, talvez João seja a mais fundamental das engrenagens de que Jorge Jesus dispõe.

CARTA AO JOÃO MÁRIOMeu caro João Mário,Sou sócio do Vitoria FC há 53 anos. Quando me perguntam qual o meu clube digo...
Publicado por Jorge Calheiros em Quarta, 6 de janeiro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...