sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Promessa hoje, realidade amanhã? – Versão 2016

Está se tornando uma tradição deste blog. Desde 2012, todo fim de ano é trazida uma lista de jogadores promissores que despontaram e/ou se firmaram no ano. Em 2016 não será diferente. Como em 2015, foram selecionados 30 atletas que mostraram potencial elevado. Ressalta-se, contudo, que a lista não apresenta qualquer tipo de ordem, tendo sido os nomes dispostos aleatoriamente, e, evidentemente, não sendo possível ter a presença de todos os talentos que vêm surgindo e se afirmando no mundo da bola.



1 – Alex Iwobi (Arsenal-ING)
20 anos. Sobrinho do histórico ícone nigeriano Jay Jay Okocha, Alex Iwobi surgiu como alternativa usual para o treinador Arsène Wenger no início de 2016. Habilidoso, veloz e atleta que tem no drible um grande diferencial, o garoto se tornou rapidamente um jogador valioso no elenco dos Gunners. Meia destro que ocupa usualmente a faixa esquerda do meio-campo ofensivo, é útil na proposição de tabelas com seus companheiros e lhes dá muitas alternativas durante as partidas. Embora tenha representado a Seleção Inglesa na base, optou pela Nigéria em definitivo e a representa com habitualidade. 

2 – Marcus Rashford (Manchester United-ING)
19 anos. Jogador de ascensão impressionante, Marcus Rashford teve um início de carreira marcado por fatos assombrosos. Sua estreia só se deu em fevereiro de 2016 e foi possível somente porque Anthony Martial se lesionou no aquecimento de uma partida válida pela Europa League. Já em seu debute, marcou dois gols; três dias após, vitimou o Arsenal, novamente com dois gols. Meses mais tarde, foi chamado a integrar o elenco da Seleção Inglesa que disputou a Euro 2016. Rápido, decisivo, habilidoso e versátil – pode ser referência no ataque ou cair pelos flancos – Rashford foi uma das grandes novidades no último ano.

3 – Renato Sanches (Benfica-POR/Bayern de Munique-ALE)
19 anos. Considerado por muitos um diamante bruto, em 2016 Renato Sanches foi eleito o Golden Boy, prêmio que coroa o melhor jogador jovem do ano. Volante de pegada, dinâmico, muito forte fisicamente e de grande resistência física, o garoto estreou com a camisa do Benfica em fins de 2015 e logo se tornou peça imprescindível, transmitindo a impressão de estar constantemente por todas as partes do campo. Chamado à Seleção Portuguesa, foi peça importante no título da Euro 2016 e logo foi vendido ao Bayern de Munique, clube em que ainda sofre para se adaptar.

4 – Kelechi Iheanacho (Manchester City-ING)
20 anos. Hoje tido em boa conta pelo treinador Pep Guardiola, o nigeriano Kelechi Iheanacho vem ganhando destaque desde o final de 2015. Tendo chamado as atenções do mundo da bola para si na 5ª rodada da Premier League 2015/16, ocasião em que disputou um minuto de jogo e marcou o gol da vitória do Manchester City contra o Crystal Palace, confirmou-se uma espécie de talismã da equipe na fase final da temporada, marcando importantes tentos. Os 14 gols anotados em sua temporada de estreia são prova da qualidade do jogador, que segue mostrando valor em 2016/17 e passará, em breve, a ter a concorrência de Gabriel Jesus.

5 – Charly Musonda (Chelsea-ING/Real Betis-ESP)
20 anos. Tido por aqueles que acompanham de perto as categorias de base do Chelsea como uma das grandes esperanças para o futuro dos Blues, Charly Musonda ainda não conseguiu espaço com a camisa do clube londrino. No entanto, em 2016 foi emprestado para o instável Real Betis e se destacou muito. Dono de habilidade natural no trato da bola e muita velocidade na condução da mesma, o garoto, ainda mirrado, foi importante válvula de escape da equipe, tendo sido eleito o melhor em campo já em sua estreia. Infelizmente, 2016/17 tem sido uma temporada de muitas lesões para o jovem.

6 – Jorge (Flamengo-BRA)
20 anos. Profissional dos quadros do Flamengo desde 2014, Jorge passou por uma temporada de adaptação em 2015 e de afirmação em 2016. Elevado ao status de melhor lateral esquerdo do país por muitos, o jogador tem evoluído muito nos últimos tempos. Sua destacada veia ofensiva, que tanto chamava a atenção nas categorias de base, segue muito viva, e, defensivamente, o atleta tem se tornado mais seguro (foi o segundo jogador de seu time com maior número de desarmes certos no último Brasileirão e o sétimo em toda a competição). É hoje absoluto com a camisa rubro-negra, deixando no ar um questionamento: por quanto tempo?

7 – Ousmane Dembélé (Rennes-FRA/Borussia Dortmund-ALE)
19 anos. Até novembro de 2015, Ousmane Dembélé sequer fazia parte do elenco do Rennes, clube francês de modestas pretensões. Hoje, o jogador tem sido titular habitual no Borussia Dortmund. É impressionante como a vida do francês mudou em 2016. Velocíssimo, hábil com os dois pés, capaz de marcar gols e criar oportunidades por ambos os lados do setor de ataque, é um dos jogadores mais interessantes que apareceram nesse ano. Com a camisa aurinegra, já marcou cinco vezes e criou chamativas 12 assistências, em 24 partidas. Além disso, ainda parece ter margem para muita evolução e já estreou pela Seleção Francesa.

8 – Lucas Hernández (Atlético de Madrid-ESP)
20 anos. Apesar do nome hispânico, Lucas Hernández é francês de nascimento e representa as equipes de base dos Bleus. Zagueiro canhoto – ocasionalmente lateral esquerdo –, teve papel importante durante a temporada 2015/16, embora tenha estreado ainda em 2014/15. Conquanto não seja muito alto (1,83m), é muito seguro e rápido; sempre que foi chamado à titularidade de uma das melhores defesas da Europa correspondeu (por exemplo, nas quartas de finais da última UEFA Champions League, em partidas contra o Barcelona). Jogador colchonero desde os 11 anos, parece destinado a se tornar um pilar da defesa madrilena em breve.

9 – Marco Asensio (Espanyol-ESP/Real Madrid-ESP)
20 anos. Jogador profissional desde 2013, Marco Asensio é cria do Mallorca, clube que defendeu por duas temporadas, disputando a segunda divisão espanhola. Contratado pelo Real Madrid em 2015, viu-se emprestado ao Espanyol naquela que foi sua provação: os Merengues precisavam garantir que seu talento daria conta das exigências de La Liga. A resposta não poderia ter sido mais positiva. Em Barcelona, o jogador se confirmou extremamente habilidoso e criativo, distribuindo 10 assistências em 34 jogos e sendo chamado de volta pelo Madrid. Hoje, vive uma temporada 2016/17 muito boa, com espaço no elenco e seis gols marcados em 17 jogos. Nesse ano também ganhou suas primeiras convocações à Seleção da Espanha.

10 – Christian Pulisic (Borussia Dortmund-ALE)
18 anos. Maior talento norte-americano surgido desde a geração de Landon Donovan e Clint Dempsey, Christian Pulisic chegou ao Borussia Dortmund em 2015, após demonstrar qualidade impressionante com as equipes de base de seu país. Oitavo jogador mais jovem a estrear na Bundesliga em toda a história e o mais moço a representar a seleção principal dos Estados Unidos em eliminatórias, destaca-se pela velocidade e habilidade, podendo ser utilizado em qualquer das posições do meio-campo ofensivo, pelos flancos ou centralizado. Sua estreia aconteceu em janeiro deste ano e, desde então, já disputou 30 jogos com a camisa aurinegra.

11 – Mikel Oyarzabal (Real Sociedad-ESP)
19 anos. Cria da base da Real Sociedad, o meia Mikel Oyarzabal tem perfil diferente do habitual. Normalmente, é utilizado pelo lado esquerdo do ataque basco, mesmo sendo canhoto. Isso é algo cada vez mais raro no futebol atual, que tanto privilegia a utilização de pontas pelo lado oposto ao da predileção de seus pés, para que possam avançar para a faixa central e finalizar de média distância. Outro ponto que o diferencia de grande parte de seus concorrentes é o fato de que possui muita aptidão para a recomposição defensiva. Ademais, movimenta-se com muita inteligência, sempre se colocando em condições de receber a bola e auxiliar seus companheiros. É muito mais assistente que goleador e é outro atleta que ganhou oportunidade na Seleção Espanhola recentemente.

12 – Róger Guedes (Criciúma-BRA/Palmeiras-BRA)
20 anos. Formado nas categorias de base do Criciúma e um dos destaques do Palmeiras na conquista do Campeonato Brasileiro de 2016, Róger Guedes é um dos bons valores que se firmaram no país no ano. Embora tenha atuado em 2014 e 2015 no clube catarinense, foi nesse ano que o jovem ganhou maior notoriedade. Ponta pelo lado direito, é jogador que tem o recurso do drible e muita velocidade, sendo um verdadeiro tormento para os laterais adversários. Contra si pesa o fato de que se mostra ainda um pouco inconstante.

13 – Rubén Semedo (Sporting-POR)
22 anos. Uma verdadeira fortaleza na defesa do Sporting CP, Rúben Semedo é um daqueles jogadores que precisam de tempo para maturar seu melhor futebol. Zagueiro rápido, muito firme e excelente no jogo aéreo, estreou pelo clube em 2013, mas somente disputou uma partida naquele ano, passando todo o tempo até o início de 2016 longe do time principal, ora no Sporting B ora emprestado. No entanto, o treinador Jorge Jesus se viu limitado em opções no início deste ano e apostou em Semedo, vindo a colher rapidamente bons frutos. O beque ainda peca por alguma rispidez desnecessária em alguns lances, mas é certamente uma novidade muito afortunada para os Leões.

14 – Emre Mor (Nordsjælland-DIN/Borussia Dortmund-ALE)
19 anos. Dinamarquês de nascimento e turco por opção, Emre Mor é um daqueles jogadores difíceis de se encontrar. Essencialmente um driblador, extremamente imprevisível, tem um pé esquerdo muito especial, o qual foi rapidamente percebido pela direção do Borussia Dortmund, que não hesitou em pagar €7 milhões ao Nordsjælland por um jogador que não tinha sequer 20 partidas como profissional. O garoto ainda tem problemas com a tomada das melhores decisões nas partidas, sendo excessivamente individualista em alguns turnos, porém é um talento cuja qualidade e potencial não se pode discutir. Desde maio, é figurinha carimbada na Seleção Turca.

15 – André Silva (Porto-POR)
21 anos. Jogador que estreou entre os profissionais do Porto ao final de 2015, André Silva é um goleador autêntico, do tipo que parece destinado a suprir uma longa carência da Seleção Portuguesa. Apesar de ter aparecido no último ano, foi a partir do último jogo da temporada portista em 2015/16 que se destacou, quando marcou duas vezes e levou o clube às penalidades na final da Taça de Portugal (vencida pelo Braga). Titular do time desde a pré-temporada, André tem mostrado muita personalidade e faro de gol, além de versatilidade para marcar seus tentos – na temporada 2016/17 já são 15 em 25 jogos; além de quatro em suas quatro primeiras partidas por Portugal.

16 – Giovani Lo Celso (Rosario Central-ARG/Paris Saint-Germain-FRA)
20 anos. Meia canhoto com as características tradicionais dos camisas 10 argentinos, Giovani Lo Celso é o produto mais recente saído da famosa base do Rosário Central. Dono de visão de jogo privilegiada, qualidade destacada para passar a bola e organizar as ações ofensivas de sua equipe, o garoto rapidamente ficou em evidência, sobretudo após a disputa da Copa Libertadores da América de 2016, tendo sido contratado pelo Paris Saint-Germain no meio do ano. No entanto, só agora, passado um período de empréstimo ao próprio Rosário, foi apresentado. Em 2016, foi também uma das principais esperanças da Seleção Argentina nos Jogos Olímpicos.

17 – Joshua Kimmich (Bayern de Munique-ALE)
21 anos. Formado no Stuttgart, Joshua Kimmich começou sua carreira profissional na parte final do ano de 2013, com a camisa do RB Leipzig, então na terceira divisão alemã. Após duas temporadas na equipe da antiga Alemanha Oriental, o jogador foi comprado pelo Bayern de Munique, chegando àquele que se confirmaria seu grande desafio. Sob as mãos de Pep Guardiola, foi lançado aos poucos e nas mais variadas posições, sobretudo a partir de 2016. Com muita personalidade e consciência tática, fez as funções de volante, zagueiro e lateral direito com muita competência e chegou à Seleção Alemã, onde, pela ala, se confirmou uma das grandes surpresas da Euro 2016. Em 2016/17 tem sido peça fundamental para o treinador Carlo Ancelotti.

18 – Mitchell Weiser (Hertha Berlin-ALE)
22 anos. Criado no Colônia e desperdiçado pelo Bayern de Munique, Mitchell Weiser se encontrou com a camisa do Hertha Berlin na temporada 2015/16. Com pouquíssimas chances no gigante bávaro, sendo essas quase sempre como improviso, o jogador preferiu agarrar a oportunidade de jogar regularmente vinda da capital do país. Pela lateral direita, Weiser vem se revelando um jogador de enorme eficiência, sobretudo ofensiva, criando muitas ocasiões de gol para o Hertha. Mais maduro como atleta, teve em 2016 seu grande ano e é uma das grandes esperanças de seu clube.

19 – Aleksandr Golovin (CSKA-RUS)
20 anos. Meio-campista dotado de muita técnica e versatilidade, Aleksandr Golovin é uma das maiores esperançadas russas para a Copa do Mundo de 2018. Produto da base do CSKA, é titular absoluto do clube moscovita e chama atenção pela visão de jogo, habilidade para driblar e qualidade nos passes. Não é um jogador físico ou veloz, mas um meia criativo, com boa aptidão para construir ocasiões ofensivas, aproximar-se de seus companheiros e levar perigo à meta adversária. Normalmente, habita a faixa central do meio-campo, podendo ser usado mais avançado ou ainda deslocado pelo lado esquerdo. Afirmado em seu time a partir da segunda metade da temporada 2015/16, já é presença assídua no selecionado russo.

20 – Viktor Kovalenko (Shakhtar Donetsk-UCR)
20 anos. Fruto das camadas inferiores do Shakhtar Donetsk, Viktor Kovalenko surgiu na equipe em 2015. Entretanto, só ganhou notoriedade em 2016, ano em que foi peça importantíssima para a boa campanha de seu time na Europa League (chegou às semifinais). Meio-campista versátil, pode atuar em qualquer posição do setor ofensivo. Destaca-se pelo dinamismo que imprime no jogo, sempre buscando participar das ações ofensivas de sua equipe e se fazer disponível para seus companheiros. É também mais afeito a movimentos técnicos do que propriamente aos dribles. Chamado pelas primeiras vezes a representar a Ucrânia em 2016, ganhou muito espaço no clube com as saídas de jogadores importantes, como Alex Teixeira e Douglas Costa.

21 – Julian Brandt (Bayer Leverkusen-ALE)
20 anos. Embora tenha dado seus primeiros passos no futebol no Wolfsburg, Julian Brandt se profissionalizou com a camisa do Bayer Leverkusen, que viu no veloz meia um jogador de imenso potencial. Com instabilidade, sua carreira começou em 2014, com o alemão ganhando muito espaço a partir da temporada 2014/15. Apesar disso, suas performances se mostravam demasiado inconsistentes, o que, como o tempo provou, justificou-se em razão da pouca idade. 2016 veio atestar tal realidade. Entre a 25ª e 32ª rodadas da temporada 2015/16, ou marcou gols ou criou assistências em todas as partidas, chegando, pois, à Seleção Alemã e superando as desconfianças. Na atual temporada, é sua veia como assistente que chama atenção, tendo o atleta criado seis passes para gol em 16 jogos da Bundesliga.

22 – Ádám Nagy (Ferencvaros-HUN/Bologna-ITA)
21 anos. Principal novidade de uma Seleção Húngara que não fez feio na Euro 2016, o volante Ádám Nagy é um daqueles jogadores que confirmam a tendência do futebol atual na formação de meio-campistas que destroem, mas também constroem. Da base do Feréncvaros ao Bologna, com a consequente chegada a sua seleção, Nagy vem mostrando regularmente facilidade para passar a bola, controlar o jogo na meia-cancha e, curiosamente, para driblar. Sofre um pouco, contudo, com o fato de não ser forte e resistente fisicamente. A titularidade no Bologna tem confirmado que sua adaptação vai se dando bem e é provável que, em breve, o vejamos alçando voos mais altos.

23 – Gelson Martins (Sporting-POR)
21 anos. Peça muito utilizada pelo Sporting CP em 2015, embora na maior parte das vezes saindo do banco de reservas (das 42 partidas que disputou em 2015/16, 29 foram saindo do banco), Gelson Martins é mais um expoente formado no clube lisboeta. Sua trajetória, contudo, mudou rapidamente de direção em 2016/17, sobretudo a partir da venda de João Mário à Inter de Milão. Afirmado como o titular da ponta direita dos Leões, Gelson tem mostrado regularmente a combinação letal de habilidade e velocidade pelo flanco, provando-se um assistente muito prolífico e recebendo seus primeiros chamados à Seleção Portuguesa. Em 15 jogos da Liga Portuguesa, tem dois gols e seis assistências.

24 – Marlos Moreno (Atlético Nacional-COL/Manchester City-ENG/Deportivo La Coruña-ESP)
20 anos. De rápida ascensão no segundo semestre de 2015 e afirmação na Copa Libertadores da América de 2016, o atacante colombiano Marlos Moreno é apontado como um dos maiores talentos promissores da América do Sul. Destaque do Atlético Nacional campeão continental e vendido ao Manchester City (atualmente emprestado ao Deportivo La Coruña), destaca-se pela grande velocidade que imprime pelos flancos e facilidade para driblar seus oponentes no um contra um. É também esperança da Seleção Colombiana, que já representou em algumas ocasiões.

25 – Bryan Cabezas (Independiente Del Valle-EQU/Atalanta-ITA)
19 anos. Outro jogador que obteve grande destaque na Copa Libertadores da América de 2016, o equatoriano Bryan Cabezas se mostrou um winger pelo lado esquerdo interessantíssimo. Veloz e dotado de boa finalização, foi um dos pilares do Independiente Del Valle finalista do certame e revelou muita maturidade em seu jogo. Vendido à Atalanta, ainda não estreou pela equipe italiana. Entretanto, foi chamado a integrar a Seleção Equatoriana recentemente, ainda não tendo atuado, igualmente.

26 – Boschilia (Monaco-FRA/Standard Liège-BEL)
20 anos. Vendido pelo São Paulo ao Monaco em 2015, Gabriel Boschilia não foi imediatamente bem aproveitado pela equipe do principado. Com menos de 270 minutos disputados pelo time francês, foi emprestado ao Standard Liège, clube em que se mostrou peça importante na fase final do Campeonato Belga, já em 2016. De volta à Ligue 1 para a disputa da temporada 2016/17, o brasileiro tem recebido oportunidades e se destacado, sobretudo com gols – já são seis em 12 jogos. Sua qualidade na criação das jogadas, cobranças de faltas e aproximação da área adversária para finalizar tem sido notada com frequência e se ainda não pode ser considerado um jogador titular, tudo indica que, no futuro próximo, o será.

27 – Alexander Isak (AIK-SUE)
17 anos. Poderoso atacante do AIK, aos 17 anos Alexander Isak já carrega o pesado fardo das comparações com Zlatan Ibrahimovic, maior astro sueco. Com 1,90m e muito faro de gol, o artilheiro vem chamando a atenção de todo o mundo para seu desempenho. Profissional desde fevereiro deste ano, tem 13 gols em 29 partidas e foi recentemente convocado para a Seleção Sueca. Dono de grande velocidade, desloca-se com frequência pelo setor ofensivo e tem muita habilidade com a bola nos pés, a despeito de sua estatura. Isak ainda peca na tomada de algumas decisões, tendo, todavia, absurda margem para evolução.

28 – Vitor Bueno (Santos FC-BRA)
22 anos. Provavelmente a maior novidade do Campeonato Brasileiro em 2016, Vitor Bueno fez de tudo um pouco com a camisa do Santos em 2016. Após regular entre a reserva e a titularidade no Campeonato Paulista, o jogador formado no Botafogo de Ribeirão Preto assumiu em definitivo um lugar dentre os onze do treinador Dorival Júnior no Nacional e só saiu quando se lesionou. Gols belíssimos em finalizações com grande nível de dificuldade foram sua marca. Contratado em 2015 para representar o sub-23 do clube praiano, logo ascendeu, mostrando movimentação inteligente e técnica refinada. Ao final de 2016, ficou lembrado por ter sido autor do gol mais bonito do Paulistão e ter anotado 10 tentos no Brasileirão.

29 – Santiago Ascacibar (Estudiantes-ARG)
19 anos. Volante argentino que honra a tradição dos bons jogadores de seu país dessa posição, Santiago Ascacibar é um lutador incansável e dotado de técnica para sair jogando. Um verdadeiro carrapato na marcação e bom passador, é um dos jogadores mais promissores do futebol argentino, já sendo titular do Estudiantes. No entanto, ainda precisa controlar melhor alguns aspectos de seu jogo, sendo certo que por vezes o jogador se excede em força e acumula muitos cartões amarelos. É outro que representou a Argentina nos Jogos Olímpicos.

30 – Benjamin Henrichs (Bayer Leverkusen-ALE)
19 anos. Jovem defensor, normalmente lateral direito, mas peça apta a desempenhar a esquerda, jogar na zaga e como volante, Benjamin Henrichs estreou como profissional na 5ª rodada da Bundesliga 2015/16, porém teve de aguardar a segunda parte da campanha do clube rubro-negro para se confirmar peça útil ao elenco. Isso ocorreu em grande medida em função de expulsões do lateral esquerdo Wendell (e de uma lesão) e do direito Tim Jedvaj. Henrichs conserva algumas características típicas dos defensores alemães, como a boa consciência tática, técnica e equilíbrio para os jogos defensivo e ofensivo. Embora ainda cometa falhas de concentração, já foi convocado e é visto como uma das mais promissoras alternativas para a Seleção Alemã, na missão ingrata de substituir Philipp Lahm.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...