quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Weiser merece um chamado de Löw

Philipp Lahm foi durante anos um jogador fundamental para a Seleção Alemã. Seja pela lateral direita, pela esquerda ou no meio-campo, o jogador, a quem coube a honra de levantar o troféu da Copa do Mundo de 2014, foi uma grande referência. Por isso, desde sua aposentadoria da Nationalelf, muito se especula sobre sua sucessão, o que tem trazido problemas ao treinador Joachim Löw. Há, contudo, um jogador que desde que deixou o Bayern de Munique vem mostrando qualidades para assumir esse papel: Mitchell Weiser, ala do Hertha Berlin.



A temporada 2015/16 foi surpreendente para o torcedor da equipe berlinense. Vivendo há tempos longe das primeiras colocações da Bundesliga, o time até não conseguiu terminar tão perto dos líderes (foi o sétimo ao fim do certame), mas durante bom tempo brigou nas cabeças. A posição foi a melhor desde a distante temporada de 2008/09, valendo mencionar que entre as campanhas citadas a equipe da capital germânica foi rebaixada em duas ocasiões à 2.Bundesliga. Nesse sentido, o time tem tido em Weiser um de seus pilares, um jogador importantíssimo.

Jovem de grande vitalidade, veloz, e dono de movimentação inteligente, o garoto encontrou em Berlim o que não teve no Bayern: oportunidades. Em duas temporadas e meia em que vestiu as cores bávaras foi opção em apenas 21 jogos, dispondo de uma média de 50 minutos e muitas vezes como improviso. É certo que houve problemas disciplinares do garoto enquanto o mesmo representou o Bayern II, mas, justamente pela juventude, o atleta merecia maior atenção do Bayern.


O atual tetracampeão alemão está no passado de Weiser. Em seu presente, entretanto, está a titularidade do Hertha Berlin, muitas assistências e participações constantes e vitais nos recentes êxitos do clube. Aos 22 anos, o jogador que deu seus primeiros passos no Colônia vive momento especial e possui características que podem ser extremamente valiosas para o treinador da Seleção Alemã, maiormente a versatilidade. Habitualmente lateral direito, já mostrou competência atuando também mais avançado e pelos dois lados.

Na temporada passada, sua primeira na capital alemã, em 29 partidas de Bundesliga, criou 16 oportunidades de gol, quatro assistências e marcou dois gols, tendo sido eficiente em 49% dos desarmes que tentou, a despeito de sua natural veia ofensiva. Comprovando sua evolução e a boa condição do momento que vive, em 2016/17 já esteve em campo 10 vezes, tendo ofertado 17 passes para gol, construído quatro assistências e feito um gol. 

Certamente, hoje deve pairar algum arrependimento sob a cabeça de parte da direção do Bayern. Weiser está se desenvolvendo rapidamente e se tornando um dos jogadores mais influentes da Bundesliga.

Assim, a despeito do promissor aparecimento do ainda mais jovem Benjamin Henrichs, lateral de 19 anos do Bayer Leverkusen, da bem-sucedida aposta em Joshua Kimmich na Euro e da boa forma de Sebastian Rudy no Hoffenheim, Weiser já faz por merecer no mínimo uma observação do treinador Joachim Löw. Até mesmo porque passou pelas equipes de base da Seleção Alemã nos escalões sub-16, 17, 18, 20 e 21 e conhece o modo como trabalham os selecionados germânicos.

“Ele é um jogador versátil, que pode ser usado em ambos os lados e tem tido tempo de jogo, hoje ele mostrou novamente que é indiscutivelmente um jogador que iria bem com a Seleção Nacional”, disse Michael Preetz, Diretor Esportivo do Hertha Berlin, em 05/11.

Vale mencionar que embora não disponha da técnica de Lahm, muitas de suas características se assemelham, sendo também válido dizer que o primeiro muito evoluiu durante a carreira, não tendo sido unanimidade desde sempre. O mesmo pode ocorrer com Weiser, basta que lhe sejam concedidas oportunidades; as mesmas que lhe faltaram na Baviera e se mostraram fundamentais para seu desenvolvimento no Hertha.

Outro ponto a ser considerado é que, exceção feita a Kimmich (que é um improviso), Löw fez várias tentativas malsucedidas para a lateral direita. Jogadores como Antonio Rüdiger, Emre Can, Matthias Ginter, além de formações com três zagueiros com a presença de alas, como Karim Bellarabi e Patrick Herrmann, pela direita, foram tentadas e nenhuma delas alcançou particular êxito, sobretudo quando tiveram suas performances comparadas às de Lahm, em um passado ainda recente.

Seja como for, parece questão de tempo a convocação de Weiser. Pela necessidade de encontrar soluções para a lateral direita alemã, por seu bom momento e margem para evolução. Sua saída do Bayern para o Hertha Berlin foi oportuna e recolocou sua carreira em progressão. Difícil é saber quanto tempo o jogador permanecerá no clube azul e branco, pois, continuando assim, certamente será procurado por muitas equipes, em um futuro breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...