sexta-feira, 24 de março de 2017

Fase de Leroy Sané é consolo no City

A temporada atual começou cercada de grandes expectativas para o torcedor do Manchester City. A chegada de Pep Guardiola e de outros reforços não permitia que se fizesse outra análise. No entanto, rapidamente, ficou claro que pela primeira vez em sua carreira o treinador espanhol teria vida duríssima. Praticamente fora da disputa pelo título inglês, eliminado da UEFA Champions League, da EFL Cup e ainda vivo na FA Cup, o time ainda não encontrou sua melhor formação. Contudo, há algo que não se pode discutir: o alemão Leroy Sané vive momento excelente.



Após dar seus primeiros e promissores passos no futebol profissional com a camisa do Schalke 04, equipe que nos últimos anos tem sido referência na revelação de jovens de muito talento, Sané chegou ao Manchester City no início da presente temporada.

Com histórico respeitável, sendo selecionável alemão desde o final de 2015 e contando com quase 60 jogos pelos Azuis Reais em praticamente duas temporadas apenas, o garoto de 21 anos não se intimidou diante dos €50 milhões investidos pelos Citizens em sua contratação e, após breve adaptação (que incluiu período de lesões), logo se encaixou nas ideias de Guardiola.

Ocupando, normalmente, a faixa esquerda do meio-campo ofensivo dos Sky Blues, com a velocidade de um raio, o jogador entendeu o que precisaria fazer para ter sucesso no futebol inglês. Incansável, Sané tem feito de tudo um pouco na equipe inglesa. O alemão impõe muito ritmo à equipe, sempre se oferece como alternativa de passe para seus companheiros (sobretudo para o lateral que atuar próximo a si e para o espanhol David Silva) e o mais importante: é objetivo.

“Os primeiros seis meses correram como esperado, ele não estava em seu melhor. Mas desde o jogo contra o Arsenal tudo mudou (...) Ele me lembra um pouco Gareth Bale. Ele é forte, poderoso e com a bola pode ser decisivo, com gols e assistências”, disse o lateral esquerdo do City Gael Clichy, em entrevista concedida no início de março.

Conquanto disponha de muita habilidade, o winger da camisa 19 do City raramente a usa em vão. É muito mais comum o ver correndo em altíssima velocidade em direção à linha de fundo para cruzar do que propriamente driblando. Sua capacidade para se posicionar bem na área e marcar gols também chama atenção. Em sua campanha de estreia no novo clube, já balançou as redes sete vezes em 27 jogos.

Mais importante do que analisar os dados friamente, é perceber que o jogador tem anotado tentos em partidas importantes, como o empate, por 2x2, contra o Tottenham, seu concorrente direto na Premier League, na vitória magra frente ao Arsenal, 2x1, e nas duas partidas das oitavas de finais da UEFA Champions League, contra o Monaco (o City acabou eliminado). Sané foi titular em quase todas as partidas dos Citizens em 2017 e sua forma só tem melhorado.

O momento é tão bom que o alemão esteve no onze inicial na última partida amistosa da Seleção Alemã, contra a Inglaterra; o garoto só não tem atuado mais pela Mannschaft porque ainda representa a Seleção Sub-21 na maior parte das Datas Fifa.

O potencial do explosivo winger do City é assustador. Com menos de uma temporada em Manchester já comprova ter sido um investimento válido e que promete ser altamente rentável. Sua contratação foi caríssima, mas a expectativa de sua contribuição a longo prazo (tem contrato até 2021) é enorme. 

“Ele está jogando bem, mas temos mostrado a ele muitos lances – as coisas ruins que ele tem feito e o que ele pode melhorar. Vocês, como jornalistas, dão muito crédito aos treinadores. Mas seria impossível [o sucesso de Sané], sem suas qualidades e habilidades, seu desejo de melhorar. Sané tem boas ações como winger, mas ainda tem que atuar mais durante os 90 minutos dos jogos. Ele ainda desaparece um pouco”, disse Guardiola antes da partida do City contra o Stoke City.

O desenvolvimento de sua parceria com David Silva é extremamente animador, uma vez que o alemão tem se mostrado a peça perfeita para receber os magistrais passes do meia espanhol. Além disso, há esperança de que quando Gabriel Jesus retornar de lesão, o clube mancuniano encontre ainda mais fluidez em seu jogo, com os passes e movimentações inteligentes de Silva e Kevin De Bruyne conjugados com a habilidade, velocidade e constante movimentação de Sané, Sterling e do brasileiro.

Embora o City não tenha correspondido às expectativas criadas no início dessa temporada, a juventude de seus expoentes projeta um futuro promissor. Pep Guardiola conta hoje com muitos diamantes brutos para lapidar. Nesse contexto, Sané, que já se mostra um jogador consistente e preparado para atuar no mais alto nível, só tende a crescer. 

Há questões que merecem ser vistas com otimismo no City. Embora as conquistas tenham ficado distantes do Etihad Stadium nessa temporada (resta a FA Cup como esperança real), é justo pensá-la como uma campanha de adaptação, diante da evidente mudança de paradigmas imposta pelo treinador catalão. Nesse contexto, a forma com que Sané vem se apresentando enche os olhos de seu torcedor de lágrimas de alegria e o coração de esperança em um futuro de vitórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...