sexta-feira, 10 de março de 2017

Uma surpresa chamada Atalanta

Equipe acostumada a permanecer nas posições intermediárias da tabela de classificação do Campeonato Italiano, a Atalanta surpreende na temporada 2016/17. Liderada pelo capitão Alejandro Papu Gómez e pela juventude de outros destaques, La Dea sonha com uma vaga na Europa League e tem motivos para crer em sua possibilidade. Com equilíbrio, o time de Bergamo tem obtido resultados inesperadamente bons e mostrado futebol consistente.



Atual 5ª colocada na Série A Italiana, a equipe Nerazzurri não começou bem a temporada, entretanto. Das primeiras cinco partidas que disputou, a Atalanta venceu apenas uma, contra o Torino, tendo sido derrotada nos outros quatro encontros, perante Lazio, Sampdoria, Cagliari e Palermo. Apesar disso, a partir da sexta rodada tudo mudou.

Primeiro, veio vitória contra o modesto Crotone. A seguir, com a incorporação de um garoto que cresceria imensamente na temporada ao time titular, Roberto Gagliardini, La Dea venceu a partida que pode ser considerada o divisor de águas de sua temporada. Contra o forte Napoli, conseguiu êxito magro, por 1x0, e ganhou confiança. Entre a sexta rodada e a 14ª, venceu oito encontros (o que inclui triunfos contra Inter e Roma) e empatou apenas um. A Atalanta só voltou a ser batida no 15º jogo e para ninguém menos que a líder Juventus.

A sequência, com derrota para a Udinese poderia indicar uma queda de rendimento do time, mas não foi isso o que aconteceu. Rapidamente, a equipe bergamasca se recompôs e emplacou nova série de bons resultados. Desde a 17ª rodada só voltou a perder uma vez, para a Lazio (na 20ª), somando mais sete vitórias e três empates. Nesse meio tempo, voltou a vencer o Napoli, terceiro colocado.

Nem a saída de Gagliardini – que obteve enorme destaque, mostrando capacidade atípica para organizar o jogo de sua equipe e recuperar bolas – para a Inter de Milão, o que ocorreu após o 18º encontro, foi capaz de frear a ofensiva Nerrazurri. O time conseguiu se reorganizar rapidamente com um novo trio no meio-campo, formado por Franck Kessie, Remo Freuler e Jasmin Kurtic.


Não se pode também subestimar a importância do principal líder técnico e capitão da equipe, o argentino Alejandro Papu Gómez. Ex-jogador de Catania e Metalist, da Ucrânia, o baixinho mudou seu posicionamento e tem dado contribuição determinante para os êxitos da Atalanta. Sempre lembrado como um ponta esquerda habilidoso e veloz, além de seu bom chute, o jogador foi reinventado como uma espécie de segundo atacante, ou meia-atacante, e tem sido fundamental.



Atuando mais perto do gol, sempre atrás de um centroavante (Alberto Paloschi no início da temporada e, ultimamente, o jovem Andrea Petagna), já balançou as redes adversárias nove vezes e criou cinco assistências, sendo o principal artilheiro da equipe na competição e participando, portanto, de 1/3 dos gols marcados por sua agremiação. Aos 29 anos, o Hermano vive aquele que é muito provavelmente o melhor momento de toda a sua carreira profissional.

Também é imprescindível a menção ao trabalho que um grupo de jogadores jovens de enorme talento e potencial vêm desempenhando no Estádio Atleti Azzurri d’Itália. Diante desse contexto, quem mais se destaca é o marfinense Kessie, autor de seis gols e uma assistência. Meio-campista dinâmico, a quem se aplica o clichê de “jogador moderno”, é o motor da equipe. Aos 20 anos, o ex-jogador do Cesena ataca e defende o tempo todo, impressiona pela imposição física, nas recuperações de bola e até mesmo no jogo aéreo; é o ponto de equilíbrio do time, embora ainda tenha questões a melhorar, como sua tomada de decisões.



Além de Kessie, não há como não mencionar o ótimo desempenho que jogadores como o beque Mattia Caldara, emprestado pela Juventus, o lateral Andrea Conti e o atacante Petagna vêm desempenhando.

O primeiro, usualmente ladeado pelo experiente Andrea Masiello e o brasileiro Rafael Tolói, tem sido a principal referência da zaga de La Dea. Embora não seja muito forte fisicamente, é alto (1,87m) e se destaca pela tranquilidade, aptidão para o jogo aéreo e capacidade para desarmar em situações de mano-a-mano. Como Kessie, também demonstra alguma afobação em alguns momentos, errando passes desnecessários. Contudo, não é possível duvidar de seu enorme potencial.

Por sua vez, Conti tem sido fundamental para a saída de bola da equipe. Veloz e ofensivo, o dono da ala destra da Atalanta acumula quatro gols e quatro assistências na temporada. Protegido por três zagueiros e dois volantes, tem muita liberdade para ir à frente e ajudar na transição do jogo da equipe entre os setores defensivo e ofensivo. Já Petagna desempenha duas funções importantíssimas: com 1,88m é referência sempre procurada por seus companheiros e faz muito bem o trabalho de pivô; tem cinco tentos e cinco assistências na atual e brilhante campanha da Atalanta. Cumpre-nos ressaltar também que os três atuam na Seleção Italiana Sub-21.

Com algumas referências mais experientes e um grande número de garotos dispostos a dar seus primeiros e importantes passos em suas carreiras com qualidade, o treinador Gian Piero Gasperini tem conseguido dar surpreendente coesão à equipe. O esquema tático utilizado habitualmente é o 3-4-2-1, com a possibilidade de formatação no 3-5-2 ou no 3-4-3.

Apresentando marcação muito compacta e linhas próximas, a Atalanta abusa de velozes contragolpes após recuperações de bola no meio-campo. Com laterais rápidos, meio-campistas aptos a se apresentarem como elemento surpresa e uma dupla de ataque que tem se entendido com perfeição, a equipe é aquela que mais interceptações consegue e a sexta que mais cria ocasiões de gol na temporada italiana. Além disso, é a agremiação que menos erros defensivos cometeu, com apenas cinco, o que denota, ademais, alto nível de concentração de seus defensores.

Contando com uma proposta de jogo bem definida, a Atalanta se recuperou rapidamente de um início ruim de temporada, não chorou a perda de um de seus destaques e sonha com uma vaga na Europa League (desde 1990/91 não disputa uma competição europeia). A sequência que terá pela frente nas últimas 11 rodadas é dura e inclui partidas contra Juventus, Roma, Inter e Milan. Apesar disso, para quem já nadou tanto na atual campanha, não parece justa uma morte na praia. O que La Dea vem mostrando no italiano é histórico, não sendo inteligente duvidar do potencial da destemida equipe.

2 comentários :

  1. Foi vc postar e eles tomaram de 7 da Inter hahahaha Tirando a zueira, parabéns pelos textos mano, te acompanho tem um tempo e não perco um texto! abs

    ResponderExcluir
  2. Pois é, amigo! Acontece, hahaha. Obrigado pelo elogio e apoio! Grande abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...