segunda-feira, 8 de maio de 2017

A evolução do cada vez mais completo Marcus Rashford

A temporada de 2015/16 não foi das melhores para o Manchester United. Terminando a Premier League na 5ª posição e demonstrando claras dificuldades para se adaptar às ideias do treinador Louis van Gaal, os Red Devils só viram consolo na conquista da FA Cup (vitória na prorrogação contra o Crystal Palace). Entretanto, foi nesse ano que despontou, de forma fantástica, a estrela de um garoto de enorme talento: o atacante inglês Marcus Rashford, jovem que a cada partida vai provando possuir grande valor.



Lançado emergencialmente pelo treinador holandês (só foi titular em sua estreia porque o francês Anthony Martial se lesionou no aquecimento), Rashford conseguiu desempenho assombroso em seus primeiros jogos, quebrando recordes e se transformando em grande esperança para os torcedores

Em seu primeiro jogo como profissional - contra o Midtylland, pela Europa League -, marcou duas vezes; na sequência, clássico contra o Arsenal, foi novamente às redes em duas ocasiões; pouco depois, anotou o solitário tento da vitória dos Red Devils no clássico de Manchester, contra o City. Além disso, na partida que levou o clube às semifinais da FA Cup também marcou o gol decisivo. Logo, o garoto mancuniano se transformou em talismã, não só pelos gols, mas também pelo repertório de habilidades, por sua velocidade e também pela entrega nas partidas.

O jovem terminou seu ano de estreia como titular. No entanto, já na pré-temporada, começou-se a questionar como se daria o aproveitamento do jogador, a partir das contratações de jogadores como Zlatan Ibrahimovic e Henrikh Mkhitaryan, as quais poderiam limitar seu espaço, considerando a presença de outras peças já mais experientes do que o garoto, como Wayne Rooney, Anthony Martial, Juan Mata e Jesse Lingard. 

Porém, Rashford seguiu sendo muito utilizado e elogiado por José Mourinho, o escolhido para a missão de fazer renascer o United.

“Normalmente, as pessoas olham para o talento, mas a personalidade nesse momento é muito importante e ele [Rashford] estava mostrando isso imediatamente. Ele pode jogar como homem aberto ou com dois [ele e Zlatan Ibrahimovic no ataque], o que podemos, perfeitamente, fazer”, disse Mou em setembro de 2016.

É evidente que o jovem perdeu espaço como referência no ataque vermelho - ainda não compete com a experiência e qualidade de Ibra. Apesar disso, passou a atuar habitualmente pelos flancos do ataque e continuou mostrando bom futebol.

É claro: os gols rarearam, mas as boas atuações, não. A movimentação ofensiva de Rashford e contribuição para o coletivo, sobretudo na recomposição defensiva, levaram o jogador a subir de patamar de importância no elenco - é hoje muito mais relevante, por exemplo, do que Martial.

O mais interessante, não obstante, é perceber como o jogador segue evoluindo e melhorando seus atributos técnicos e táticos. Rashford se destaca em praticamente todos os fundamentos cobrados dos atacantes. É rápido, tem faro de gol, apresenta o recurso do drible e se movimenta muito e com inteligência. Falta ainda o aperfeiçoamento de suas capacidades como finalizador, o que vem sendo trabalhado. A prova de que se está diante de um jogador especial e trabalhador, foi a marcação de gol de falta, na partida contra o Celta de Vigo, válida pelas semifinais da Europa League 2016/17.

"Ele tem 19 anos, mas é um menino de 19 anos que está apaixonado pelo futebol. Quando termina o treino ele fica mais meia hora a praticar cobranças de falta. É a sua mentalidade. Ele trabalha, trabalha, trabalha... é muito maduro. Esqueçam a sua idade, não se trata da idade, é qualidade", disse o treinador após a partida da contra o Celta de Vigo.

Em sua primeira temporada completa como jogador profissional, aos 19 anos, tem 49 jogos disputados e 11 gols marcados. Na maior parte das partidas, foi usado como ponta esquerda. No entanto, com a lesão grave que acomete Ibrahimovic, vai terminando a temporada como titular na posição que melhor desempenha, como centroavante.



Possui muito valor o trabalho inteligente que desempenha, a despeito da responsabilidade de ser referência. O garoto inglês raramente fica entrincheirado entre os zagueiros rivais, mas se aproveita de sua rapidez e bom trato da bola para trabalhar próximo a seus companheiros, propondo tabelas, servindo como desafogo e garantindo fluidez ao jogo mancuniano. É realmente difícil acreditar que o atacante tem pouco mais de um ano como profissional. O jogador tem encantado seus companheiros, treinadores, rivais e até mesmo a dura imprensa inglesa.

Sob a tutela de José Mourinho, Rashford vai se confirmando uma estrela que, a despeito de não ser sempre titular, é decisiva; vai desenhando uma titularidade futura e consequente idolatria, tanto pelo Manchester United quanto pela Seleção Inglesa. Aos 19 anos, já é completo e, melhorando alguns de seus fundamentos, tem o que é necessário para ser um dos maiores de seu tempo

2 comentários :

  1. Sem sombra de dúvida, é o mais completo entre todos os outros jovens atacantes que são "promessas". Finaliza, dribla, lança, passa, corre, bate pênalti e falta... Nenhum dos outros é tão completo assim.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, Eduardo. Ele pode até não ser melhor que alguns nos fundamentos, mas tem basicamente todos eles.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...