quarta-feira, 27 de setembro de 2017

A trajetória de Malcom rumo ao mais alto nível

Logo após a conquista do Campeonato Brasileiro de 2015, o Corinthians sofreu duro desmanche. A espinha dorsal de sua equipe foi vendida. Renato Augusto, Gil, Jádson, Vágner Love e Ralf saíram logo no início do ano e Elias na metade de 2016. Curiosamente, aos 18 anos Malcom também preferiu deixar o Timão. No encerramento da janela de transferências europeias, assinou com o Bordeaux. O negócio causou certo estranhamento: não teria valido mais a pena aguardar e continuar sua evolução para, posteriormente, rumar para equipe com maiores pretensões? O momento atual do brasileiro prova que não, esperar não era a melhor opção.



Diferentemente do que muitas vezes acontece, Malcom não aparentou deslumbre com tudo o que aconteceu em sua carreira. De sua estreia como profissional, em março de 2014, quando tinha apenas 17 anos, até sua saída do Corinthians, o ponta tem mostrado que tem os pés bem fincados no chão. Do êxtase da estreia, quando revelou grande emoção por representar o clube de seu coração, que o acolhera ainda aos 10 anos, até os agradecimentos em sua saída, o garoto sempre mostrou seriedade.

Esse também foi o traço mais marcante de seu desempenho dentro das quatro linhas. Rápida análise de sua participação no título nacional de 2015 indica nesse sentido. Se, do lado direito do meio-campo corintiano, Jádson era um criador de jogo, alguém que saía da ponta para o meio para armar, pela esquerda Malcom garantia que o time tivesse o adequado balanço nos momentos defensivo e ofensivo.

Na hora de atacar, provou-se uma flecha, agressivo como poucos, fazendo muitas vezes incisões na diagonal, para permitir jogadas de ultrapassagem do lateral esquerdo Uendel. Quando a posse de bola ficava com os rivais, retornava prontamente, para auxiliar na compactação do meio-campo e forçar o adversário a se livrar da bola. Isso tudo com 18 anos e sem vaidades. Naquele momento, Malcom já dava indícios de ter muita maturidade. Parecia já entender que não era um craque, mas que poderia se tornar um grande jogador. Não por acaso, vez ou outra, Tite, então treinador do Corinthians, elogiava-o:

“A maturidade dele está acima dos seus 18 anos. Eu, com 18, não tinha a maturidade que o Malcom tem [...] Em determinados momentos, os atletas têm liberdade de criação e enfrentamento. O um contra um é fundamental para quebrar a marcação. No último terço do campo, vá para dentro. Pode errar uma, duas, três vezes. Se acertar uma, quebrará o sistema defensivo", disse ao ESPN.com.br, em julho de 2015.

Assim, Malcom ganhou destaque e, dentre outras, recebeu proposta do Bordeaux. Os Girondinos têm seis títulos franceses, mas o último foi conquistado na já distante temporada de 2008/09. Recentemente, a mais relevante conquista do time foi a da Copa da França, em 2012/13. Em tempos de hegemonia financeira do Paris Saint-Germain e de consolidação de um modelo competitivo e sustentável por parte do Monaco, o clube não tem passado perto das conquistas. Mesmo assim, o brasileiro entendeu que a possível ida para a França poderia lhe acrescentar muito.  

Certo é o fato de que o Bordeaux apresentou um projeto ao garoto. A evolução do desempenho do time desde a chegada de Malcom é notória, assim como a do brasileiro, individualmente. Em sua primeira campanha no clube, viu o time terminar a temporada apenas com a 11ª posição; na segunda, já terminou em sexto lugar; e, no promissor início de campanha de 2017/18, ocupa a terceira colocação.

Para essa temporada, bons investimentos foram feitos. Dentre outros, desembarcaram no clube o volante Otávio, destaque maior do Atlético-PR nos últimos anos, o atacante Nicolás De Preville, que veio de boa temporada com o Lille (30J e 14G, na última Ligue 1), além do selecionável e experiente goleiro francês Benoit Costil, que chegou sem custos, vindo do Rennes. Há hoje muito equilíbrio no elenco, que conta com atletas de vasta experiência, como o capitão Jérémy Toulalan, outros chegando a seu auge, e alguns ascendendo, como é o caso do próprio Malcom.

A realidade é que o brasileiro soube perceber que a oportunidade poderia não o levar às conquistas, mas contribuir muito com sua evolução em solo europeu. Sem sofrer a pressão por resultados imediatos comum aos clubes maiores, Malcom foi para uma equipe que lhe permite adaptação tranquila ao futebol praticado no Velho Continente. A maior prova de seu acerto é a permanente evolução técnico-tática que vive desde que desembarcou no clube. Hoje, é um dos grandes destaques da Ligue 1.

Pouco após o acerto com o Bordeaux, o atacante chegou a falar sobre o assunto e sobre sua evolução sob o comando de Tite:

“O meu empresário disse que havia outros clubes interessados, com propostas boas, mas o Bordeaux oferece uma série de coisas que nós buscávamos [...] Ele [Tite] me ajudou muito, em tudo… Na volta para marcar, na parte ofensiva[...] Com o Tite, passei a defender o campo inteiro. Foi o principal para a minha evolução”, revelou ao Yahoo, em março de 2016.

Nesse início de temporada, o jogador já tem cinco gols marcados e quatro assistências, em 13 partidas. Segundo o portal de estatísticas Whoscored, foi o melhor em campo em quatro ocasiões. Isso tudo, vale a lembrança, aos 20 anos. Quem pode dizer o que teria acontecido se tivesse partido para um gigante desde o início? É claro que poderia ter sido bem-sucedido, mas exemplos do contrário são fartos, como as carreiras de Keirrison, Wellington Silva, Lucas Silva, Gabigol ou Phillipe Coutinho (que teve imensas dificuldades em seu início na Internazionale), para citar uns poucos nomes, não nos deixam mentir.



Seu treinador atual também destacou algumas qualidades do garoto:

“Vocês precisam vê-lo no dia a dia [...] Ele tem atuado como tradutor para seus novos companheiros brasileiros. Ele não tem sido afetado por tudo o que tem sido dito. Ainda que seja jovem, ele também é muito maduro”, disse Jocelyn Gourvennec, ao Guardian.

Cada vez mais confiante em seu talento e consciente de suas funções no campo, Malcom, que hoje atua majoritariamente pelo flanco direito (valorizando mais a qualidade de sua perna canhota), vai mostrando seu talento e repetório. Inevitavelmente, já tem sido veiculado o interesse de outras equipes em seu futebol. Jornais do mundo inteiro vêm falando sobre ele. Em maio, o Manchester United foi especulado como destino, no futuro próximo poderá ser outro gigante. O fato é que o jogador que desembarcar em outra equipe estará muito mais preparado para obter êxitos do que aquele que deixou o Corinthians. Isso tudo porque fez uma decisão correta na hora de deixar o futebol brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...