quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Enfim, estourou: a temporada de afirmação de Luis Alberto

Há algum tempo, nas categorias de base do Sevilla, surgiu um meio-campista que muito prometia. Trazia consigo as marcas do estereótipo do jogador espanhol. Conduzia a bola com destreza, tinha capacidade para driblar e concluir. Construía assistências com perícia e anotava seus golzinhos com certa frequência. No entanto, Luis Alberto seguiu para o Barcelona B, depois para o Liverpool. Foi sendo emprestado, na sequência, para Málaga e Deportivo La Coruña (único clube em que foi relativamente bem) e não conseguia cumprir seu potencial. Eis que a Lazio apareceu em seu caminho e, depois de um início de poucas oportunidades, o espanhol conseguiu colocar sua carreira nos trilhos.


Foto: Cordon Press

Em 2016/17, sua primeira temporada vestindo a camisa biancocelesti, o andaluz não teve muitas oportunidades. Ainda que o treinador Simone Inzaghi já estivesse no clube, o meia teve escassas chances. Contudo, ao final da temporada teve algumas e foi bem. Na 32ª rodada, conseguiu extrair um gol dos nove minutos em que esteve em campo, contra o Genoa, garantindo um empate para a Lazio. Na 36ª, perante a Fiorentina, construiu dois gols, mas não evitou a derrota laziale. Não é que tenha terminado a campanha em alta, mas o camisa 18 mostrou serviço.

Esse trabalho foi especialmente importante quando se encaminhou o ano corrente. Isso porque tão logo se desenhou a temporada, a equipe da capital italiana perdeu Felipe Anderson, lesionado, Keita Baldé, negociado com o Monaco, e viu o recém-chegado Nani conviver com problemas físicos sem emplacar (não foi titular em nenhuma partida do Campeonato Italiano). Luis Alberto acabou se tornando titular, possivelmente mais por conta da necessidade do que motivado pelas convicções de Inzaghi. E deu muito mais certo do que qualquer um poderia supor, mesmo porque o jogador se mostrou inadaptado e frustrado no início de sua trajetória pela Lazio.

Foto: Denis Doyle/Getty Images
Se em janeiro de 2017, Inzaghi dizia que o jogador precisava ter paciência, em setembro já o considerava indispensável. "Luis Alberto, repito, tem habilidades importantes, ele pode fazer a diferença, mas os primeiros seis meses dificultaram a adaptação à nossa realidade, eu conversei com ele e seus agentes e fiz com que ele entenda isso. Antes de pensar em uma transferência deve provar algo para o Lazio", dizia o comandante do time romano. Oito meses mais tarde, já revelava que “ele é um jogador completo [...] nesse momento, não posso jogar sem ele”. Essa foi só mais uma demonstração do caráter efêmero do futebol.

A verdade é que mesmo que Simone tivesse algum problema com o espanhol, não teria como negar a qualidade do futebol que o jogador tem apresentado. Além dos gols de Ciro Immobile, é o talento de Luis Alberto que tem levado a Lazio adiante. O jogador tem sete assistências na temporada (para se ter a dimensão do que isso representa, deve-se ter em conta que, considerando as cinco principais ligas da Europa, Neymar tem 11 e os demais líderes nove) e mais seis gols.

Esse desempenho, aliás, parece ter vindo para ficar. A temporada do futebol italiano já passou da primeira metade, os Biancocelesti lutam por uma vaga na UEFA Champions League, e a forma do meia tem sido regular. O máximo de partidas que o atleta passou sem marcar ou assistir foram cinco, ainda no começo da temporada, somados três jogos da Serie A e outros dois da Europa League; Luis Alberto realmente saiu da água para o vinho com a mudança de temporada. Aos 25 anos, confirmou o que já se especulava desde sua juventude.

Assim, veio o reconhecimento merecido. Em novembro, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Espanhola principal. O treinador da Fúria, Julen Lopetegui, já havia dirigido o meia nos escalões sub-19 e sub-21 e promoveu a estreia do meia em um amistoso contra a Costa Rica. Além disso, no último mês, o andaluz teve seu nome ligado a uma transferência ao Barcelona, dessa vez não mais para representar a equipe B, mas a principal. No entanto, a conclusão da contratação de Philippe Coutinho pelos catalães deve cessar, ao menos temporariamente, a procura por Luis Alberto.

Foto: Getty Images


Tudo isso é reflexo do desempenho recente do meia. Aliás, antes da interrupção do futebol na Velha Bota, em razão do inverno, o jogador voltou a mostrar porque está em evidência. Embora tenha sido ofuscado por Immobile, que, de forma espetacular, anotou um poker, indo às redes quatro vezes contra a SPAL, Luis Alberto fez um gol soberbo. Primeiro, matou a bola, que veio alta, majestosamente; acomodou-a em seus pés e livrou-se de alguns marcadores; ao final, executou o arqueiro rival com a frieza de um toque delicado no canto esquerdo da baliza.

Há outros destaques na equipe romana. Imparável, Immobile desponta como o maior artilheiro do futebol europeu na temporada; Lucas Leiva recuperou o futebol que o levou ao Liverpool há uma década; Sergej Milinkovic-Savic segue se desenvolvendo em um dos meias mais completos do momento; e o goleiro Thomas Strakosha é cada vez mais seguro. Mas é Luis Alberto quem mais chama atenção, porque quando já era tratado como “eterna promessa”, e ninguém mais dava nada por sua carreira, apareceu jogando futebol de primeira qualidade. Hoje, o sucesso da equipe passa indiscutivelmente por seus pés, e não é impossível imaginá-lo disputando uma Copa do Mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...