quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

O ano de afirmação de Leon Bailey

Na última década, o Genk, da Bélgica, assumiu a condição de fornecedor de talentos para clubes economicamente mais poderosos da Europa. No período, a Luminus Arena presenciou o despertar de vários talentos e acabou perdendo gente da estirpe de Thibaut Courtois, Kevin De Bruyne, Christian Benteke, Kalidou Koulibaly, Sergej Milinkovic-Savic e Wilfred Ndidi. Quem também deixou o clube recentemente foi um garoto habilidoso e que tem sido decisivo na Bundesliga, o jamaicano Leon Bailey, de 20 anos.


Foto: Getty Images


Não é fácil chamar a atenção em uma liga amplamente dominada por um só clube. O Bayern de Munique é o atual pentacampeão alemão e já há quem confirme o hexa, considerando que os bávaros têm quase 20 pontos de vantagem em relação aos seus perseguidores. Apesar disso, a disputa que se apresenta entre o segundo e o oitavo colocados tem sido interessantíssima, com poucos pontos separando os adversários na busca de uma vaga na UEFA Champions League da temporada 2018/19. Um desses clubes, é o Bayer Leverkusen. Cada vez mais encaixado, o time do treinador Heiko Herrlich tem contado com o enorme destaque de Bailey, após seis meses de adaptação.

O prodígio do Bayer chama atenção do mercado da bola desde 2015, quando começou a ser apontado como potencial reforço do Chelsea. A transferência para os Blues acabou não acontecendo naquela ocasião e o meia continuou seu desenvolvimento no futebol belga. Naquele ano, a temporada 2015/16, o jogador marcou seis gols, criou sete assistências e foi eleito a revelação da Jupiler League, isso tudo com 18 para 19 anos. Seu talento permaneceu ligado ao clube por mais meia campanha, na qual fez oito gols e ofereceu 10 passes para gols.

Foto: Getty Images
A chegada ao Leverkusen, ao custo de €13,5 milhões, contudo, não foi fácil e demandou um período de adaptação. Ao todo, disputou 10 jogos, todos como reserva, sem marcar ou assistir. É bem verdade que, como um todo, o ano do clube rubro-negro foi muito ruim, terminando a Bundesliga apenas no 12º lugar, no que foi o fim da passagem do treinador Roger Schmidt pela equipe.

Superada a temporada 2016/17, muita coisa mudou na vida de Bailey. Contando com a confiança de seu novo comandante, foi titular já na primeira partida do ano, contra o Bayern. Das 21 rodadas já disputadas na Bundesliga 2017/18, o jovem só deixou de ser utilizado em três delas, apenas duas por opção técnica, quando ainda eram decorridas a terceira e a quarta rodadas do certame. Pudera: diante de seu desempenho o mínimo a se esperar é sua constante utilização. Em 21 jogos (incluindo-se a Copa da Alemanha), foi goleador 10 vezes e assistente em outras cinco ocasiões.

Porém, não é só isso o que conta. O canhotinho tem qualidades que o tornam alguém com muito poder de decisão. Embora seu drible seja um diferencial, a qualidade para criar ocasiões de gol e a finalização são dois trunfos importantíssimos. Em um momento em que a estrela de Julian Brandt tem oscilado, a de Bailey segue cintilando. Para a direção, tudo tem seguido um caminho natural. O diretor de futebol do clube, o ex-atacante Rudi Völler, confirmou que a contratação do jamaicano foi pensada tendo em vista essa temporada; o planejamento traçado vem rendendo ótimos frutos.

Confortável por ambos os flancos do campo, o garoto tem mostrado um leque grande de jogadas. Contra o Schalke 04, por exemplo, marcou um belo gol partindo da ponta direita para o centro e finalizando no ângulo superior direito do goleiro dos Azuis Reais. Por outro lado, na partida contra o Borussia Mönchengladbach foi lançado nas costas da defesa dos Potros, pela esquerda, abusou de sua velocidade e fuzilou o arqueiro Yann Sommer.

Foto: PATRIK STOLLARZ/AFP/Getty


Para mais, apesar de ter lances de notório individualismo, abusando de sua habilidade, Bailey não é um jogador egoísta, tendo além de muitas assistências uma média representativa de 1,9 passes chave criados por jogo. Após a goleada por 4 a 1, contra o Hoffenheim fora de casa, empolgado, Herrlich falou sobre seu pupilo: “Leon Bailey pode fazer qualquer coisa no momento”.

A perseverança é uma de suas marcas e uma das qualidades que seu treinador não-raro destaca. Em entrevista à DW, reproduzida pelo site oficial da Bundesliga, o jamaicano relatou que desembarcou na Europa aos 12 anos, com apenas um casaco, em pleno inverno no Velho Continente. Muito por conta disso, ao contrário do que acontece com muitos jovens, Bailey não parece se deslumbrar com o sucesso atual: “nós não tínhamos muito dinheiro, tínhamos que viver fora do orçamento e às vezes tínhamos pão e atum como café da manhã, almoço e jantar”, relatou. 

Naturalmente, tem sido cobiçado por outras equipes, apesar de ter contrato com o Leverkusen até 2022. Na última janela de transferências, o Chelsea reapareceu como um dos interessados na contratação do jovem. Apesar disso, o garoto tem mantido os pés no chão em suas declarações. Embora não negue que seu sonho é jogar a Premier League, foi enfático ao dizer no último mês de janeiro que “a mudança para o Bayer foi a escolha certa” para o seu desenvolvimento.

Cada vez mais decisivo, o veloz, insinuante, solidário e goleador prospecto do Bayer Leverkusen vai se confirmando um dos melhores jogadores da Bundesliga em 2017/18. Qualquer aspiração de seu clube, hoje, passa por seus pés, não importando o lado em que é escalado. O jogador que deixou a Jamaica aos 12 anos, e passou por Áustria e Eslováquia, antes de se profissionalizar na Bélgica, tem se entregado a cada bola como se fosse a última, traçando uma caminho de evolução constante, mas sem atropelos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...