sexta-feira, 27 de abril de 2018

Os azares de Ox

Na última quarta-feira (25), foi confirmada mais uma lesão na carreira do polivalente meio-campista inglês, Alex Oxlade-Chamberlain. Esse tipo de problema tem sido recorrente na carreira do jovem jogador. Anteriormente, ele já fora privado de participar de momentos importantes com as camisas de Arsenal e seleção inglesa. Agora, isso volta a acontecer em novo contexto. Dessa vez, Ox, como é popularmente conhecido, novamente perderá a oportunidade de brilhar em grandes palcos, tanto com seu clube, agora o Liverpool, quanto pelo English Team.


Foto: Getty Images


Um passado que condena

Hoje com 24 anos, Chamberlain é um jogador bem cotado no mercado inglês desde muito cedo. Cria das categorias de base do Southampton, mudou-se para o Arsenal ainda aos 17. Era, então, considerado um grande talento — dos maiores surgidos no país, nos últimos tempos.

Os anos passaram e Ox não se confirmou o habilidoso ponteiro que foi projetado, mas se revelou um formidável operário. Com bons fundamentos, explosão física e uma capacidade privilegiada para ler o jogo, mostrou-se extremamente adaptável às mais diversas posições e funções. Sob a batuta de Arsène Wenger, foi ponta, volante, atacante, lateral e meia, sempre com muita intensidade.

Talvez tenha sido justamente isso que levou o alemão Jürgen Klopp a pedir sua contratação pelo Liverpool, que não hesitou na hora de desembolsar 38 milhões de euros para tirá-lo de seu rival. Porém, um problema recorrente continuou perseguindo o jogador após sua mudança para o estádio Anfield Road: as lesões.

Em seu período como os Gunners, Chamberlain perdeu a oportunidade de disputar a final da FA Cup de 2013/14 e até foi convocado para a disputa da Copa do Mundo de 2014, mas não se recuperou de lesão e não jogou nenhum jogo. No ano seguinte, não esteve presente na partida que eliminou o clube da Liga dos Campeões, contra o Monaco, o que voltou a acontecer em 2015/16, dessa vez perante o Barcelona.


Na atual temporada, em que tudo parecia correr bem em sua nova casa, com o jogador atuando em todas as partidas da Premier League até o momento, um novo e complicado revés voltou a se abater sobre sua carreira. Uma lesão no joelho sentenciou o jogador a assistir o desfecho de um campeonato europeu que pode consagrar o Liverpool das arquibancadas, assim como o afastou de mais um Mundial.

Perda importante para Klopp

Para o Liverpool, a perda é grande. Chamberlain não tem a importância do trio de ataque treinado por Klopp — Sadio Mané, Roberto Firmino e Mohamed Salah — mas se mostrou muito mais crucial do que era possível imaginar quando os Reds abriram a carteira para assegurar seus serviços.

Ox começou a temporada ainda ao serviço dos Gunners. Fez parte, inclusive, da conquista da Community Shield, em que o Arsenal bateu o Chelsea nos pênaltis. Após disputar três rodadas da Premier League com os londrinos chegou para o Liverpool e, como anteriormente, já atuou em todo tipo de função. 

Em sua inglória estreia pelos Reds substituiu Salah na trágica derrota para o Manchester City, 5 a 0. No jogo seguinte, voltou a entrar no curso da partida, mas dessa vez na vaga do brasileiro Philippe Coutinho. Aliás, a partir da saída do meia, a influência de Ox só aumentou em Anfield. Klopp já o utilizou pelos dois lados do meio-campo, pelo centro e mais recuado. 

Foto: Getty Images


Chamberlain acaba sendo o único jogador do elenco que é apto a substituir qualquer companheiro que atua nos setores de meio e ataque — além de ser capaz também de ocupar as alas, expediente que ainda não foi utilizado pelo treinador alemão. Por isso, a perda do jogador nessa fase aguda da temporada 2017/18 causa tanto pesar. 

A presença de Chamberlain, tanto no banco de reservas quanto dentro das linhas, permite a Klopp um leque infindável de possibilidades de mudança. Estas poderiam acontecer mediante seu ingresso durante as partidas ou até mesmo com alterações táticas pontuais.

O Liverpool, no momento, luta para assegurar uma vaga direta na próxima edição da Liga dos Campeões e também tenta chegar a mais uma final da mesma competição, tendo largado bem nas semifinais, afastando a Roma, com vitória por 5 a 2. Em jogos decisivos, o clichê de que em uma partida de futebol tudo pode acontecer é potencializado e a versatilidade e disposição de Chamberlain poderiam ajudar — e muito — Klopp a conduzir os Reds ao seu objetivo.

“Essas são as más notícias para nós. O plantel não se torna maior neste momento, pelo que vamos de ter de ser criativo nos próximos encontros”, sentenciou o treinador alemão.

Foto: Getty Images
Perda ainda mais importante para Southgate

Mais uma vez, Ox perderá a disputa da Copa do Mundo e dessa vez sequer será chamado, uma vez que não existe qualquer chance de que tenha condições de jogo. Ele, certamente, estaria presente no grupo de 23 que o treinador Gareth Southgate levará à Rússia. Foi titular nos últimos dois amistosos do English Team, atuando pelo centro do campo, como o que se popularizou chamar box-to-box (o meio-campista que vai de sua área até a área adversária).

Os motivos que explicam o tamanho de sua perda para a seleção nacional são os mesmos do clube, porém a dimensão da falta é diferente. Chamberlain não é um jogador brilhante, mas é regular, dificilmente faz uma partida que possa ser considerada verdadeiramente ruim. E ter uma figura versátil e regular certamente faz diferença na disputa de um torneio de tiro curto e com elencos de apenas 20 atletas de linha.

Além disso, embora seja jovem, Chamberlain já faz parte de um grupo de jogadores com rodagem. Ele é convocado desde 2012 e seria uma influência importante para as escolhas de Southgate. Na última convocação, sete jogadores eram mais jovens que Ox e apenas oito possuíam mais internacionalizações. Ele seria um elemento valioso.

Na última Data Fifa, o comandante do escrete bretão ressaltou uma das principais valias que o meia do Liverpool tem para o selecionado:

“Alex [Oxlade-Chamberlain] e Jesse [Lingard] brilharam e estiveram afinados. Alex fez longas corridas para a espaçar o adversário”.

Além da versatilidade, a grande energia de Chamberlain, traduzida em capacidade de pressionar os adversários, é outro de seus trunfos, o que também acaba fazendo dele um jogador mais raro e importante. 

Mais uma vez, contudo, o jogador acaba sendo tolhido da possibilidade de brilhar em grandes palcos. Outra vez não disputará a fase mais decisiva de uma temporada. Novamente falhará um Mundial. Agora, mais maduro, fará ainda mais falta a sua equipe e seleção. Azar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...