segunda-feira, 3 de setembro de 2018

O acerto de David Neres ao permanecer no Ajax

O atacante David Neres é mais um dos vários atletas brasileiros cujo talento o torcedor nacional pouco conseguiu apreciar. Não chegou a ser opção regular do São Paulo sequer por seis meses antes de partir para a Europa. Apesar disso, acabou escolhendo um clube quase perfeito para dar sequência ao seu desenvolvimento. Isso porque o estilo de jogo do Ajax, seu destino, acomoda o seu próprio muito bem e, ademais, trata-se de uma equipe acostumada a dar oportunidades e lapidar talentos. Depois de um ano excelente — a temporada 2017/18 — sua saída foi especulada, mas ficou.


Foto: Ajax.nl


Na medida do possível, o Ajax tem ambições

Algumas agremiações estiveram vinculadas a David Neres como possíveis destinos. Falou-se em valores ao redor dos €40 milhões, com a Roma (que perdeu Malcom para o Barcelona em uma das transferências mais polêmicas da última janela) liderando a corrida pela sua contratação. Mas, contrariando a expectativa de muitos e até mesmo a própria realidade vivida pelo clube nos últimos anos, o Ajax recusou todas as investidas e assegurou a permanência de seu diamante.

Se isso já não fosse sinal suficiente de que o clube chega à temporada 2018/19 pensando alto, seu mercado também revelou essa realidade. Os Godenzonen perderam apenas um jogador importante, Justin Kluivert, justamente para a Roma. Resistiram bravamente a todas as especulações envolvendo nomes importantes, como os de Frenkie de Jong, Hakim Ziyech ou Matthijs de Ligt. 

Depois de receber mais de €80 milhões por jogadores como Arkadiusz Milik, Jasper Cillessen, Davinson Sánchez ou Davy Klaassen nos últimos dois anos, dessa vez, o lucro do time de Amsterdã não chegou aos €20 milhões. Já os gastos…

O gosto amargo de perder o título nacional para o PSV Eindhoven — mesmo somando o maior número de gols a favor e o menor contra — certamente teve papel importante nas movimentações do Ajax, que não mediu esforços para reforçar o time. Foram pouco mais de 40 os milhões de euros gastos pelo clube, que não só contratou promessas (como é praxe na Johan Cruyff ArenA), como também trouxe referências.

Foto: Ajax.nl
A vaga deixada por Kluivert foi ocupada por Dusan Tadic. Contrariando a lógica do mercado, o Ajax foi à Inglaterra e contratou o talentoso sérvio. Embora tenha vivido altos e baixos no Southampton, o meia fez uma bom Mundial e já havia se destacado anteriormente em solo holandês, com as camisas de Groningen e Twente. O negócio trouxe impacto imediato, com Tadic já registrando seis gols e quatro assistências em seus primeiros 10 jogos pelo clube.

Outro recém-chegado é um velho conhecido do torcedor. Daley Blind retornou à capital da Holanda depois de passar quatro anos no Manchester United. Mais experiente, mas ainda com muita lenha para queimar (tem 28 anos), o polivalente defensor agrega valor ao elenco em termos técnicos, supre várias necessidades ao mesmo tempo, já que pode atuar na zaga, na lateral esquerda e como volante, e também é uma referência para os jovens.

Chegaram também, como apostas, Hassane Bandé, jovem atacante de Burkina Faso, que fez ótima temporada 2017/18 pelo Standard Liège, e Zakaria Labyad, que após dar sinais de que não conseguiria fazer seu talento desabrochar, viveu ótimo ano com a camisa do Utrecht — tendo sido um dos melhores jogadores da última Eredivisie. 

Ficar no Ajax, definitivamente, não foi um passo em falso para Neres. As possibilidades de título holandês são enormes. Também são reais as hipóteses de avanço aos mata-matas na Liga dos Campeões da Europa, já que o sorteio foi favorável aos Godenzonen, colocando-os ao lado de Bayern de Munique, Benfica e AEK Atenas. 

Sem Kluivert, Neres ganha possibilidades

Perder Kluivert representa prejuízo para o Ajax? Evidentemente, dado o fato de que era um dos jovens mais talentosos e decisivos do elenco amsterdamês. Apesar disso, a chegada de Tadic não dá margem a muita lamentação. Sobretudo porque dá novas possibilidades ao clube e a David Neres.

Em 2017/18, o time batavo teve na maior parte do tempo as presenças de Kluivert pela esquerda do ataque, Neres pela direita e Ziyech na criação. Nesse início de temporada, entretanto, já se nota uma rotação interessantíssima pelo setor. Tanto Tadic quanto Neres e Ziyech já fizeram funções diferentes. Se, no último ano, o brasileiro atuou quase exclusivamente pela ponta direita, favorecendo movimentos interiores com a sua perna esquerda, agora já foi utilizado pelo flanco contrário e até pelo centro.

Para a trajetória de alguém que está só começando, isso pode ser vital. A possibilidade de atuar em vários setores é uma das exigências de um futebol cada vez mais igual, justamente porque aumenta o leque de alternativas desequilibrantes. E isso Neres vem tendo no Ajax — sem falar em tempo de jogo, que no clube holandês está garantido, ao passo que em um clube mais poderoso financeiramente, talvez tal não fosse sua realidade.

Foto: Ajax.nl
O próprio Tadic chegou a mencionar isso em entrevista concedida ao site Goal.com:
“No campo, trocamos muito de posição e isso faz com que seja difícil nos marcar. É bom ter David de volta ao campo. Ele realmente lê bem o jogo. Ele é extremamente rápido e agudo, tem um futuro brilhante pela frente. Tenho certeza de que terá uma grande carreira”.

Continuando a evoluir, seu valor só cresce

Neres já tem um gol e três assistências em sete jogos. É um desses jogadores de quem se espera grande participação no terço final do campo. Mas não só isso. Tanto na última temporada quando no início da atual, o brasileiro tem mostrado comprometimento defensivo também. Em 2017/18, nas partidas da Eredivisie, fez em média 1,3 desarmes por jogo e cometeu 0,8 faltas. Hoje, esses índices subiram para 1,7 e 1,3, respectivamente.

Não há a menor margem para dúvidas de que o brasileiro é um dos maiores talentos do país para o futuro. Não faltará tempo para desfilar suas qualidades pelos clubes mais ricos do planeta. Nesse momento, ficar no Ajax parece realmente uma decisão acertada. Trata-se de um clube gigante (a despeito das dificuldades para competir internacionalmente), com pressão, mas que entendeu que só havia um caminho a seguir: o do desenvolvimento de jovens. 

Mesmo com as presenças de Lasse Schöne, Blind, Tadic ou Klaas-Jan Huntelaar, a média de idade do elenco dos Godenzonen é de apenas 23,5 anos. Neres está em pleno processo de evolução. Vem se tornando um jogador mais útil, em termos de possibilidades táticas, e também em critérios técnicos. E isso só aumenta o valor do jogador, enquanto atleta e ativo do clube holandês.

O próprio brasileiro já deu declarações nesse sentido, como uma veiculada pelos holandeses do Voetball International, em junho último:


"Acho que não estou pronto para jogar em uma liga mais forte. Quero jogar mais pelo Ajax, ganhar experiência e troféus. Então talvez pense sobre uma transferência no próximo ano, ou mais tarde".

Para David, a permanência no Ajax é certeza de muitos minutos de jogo, luta por título nacional, e disputa de competições europeias. Para o clube, significa um tempo maior com um jogador de insuspeito talento e, além de tudo, a possibilidade de uma transferência que envolva ainda mais cifras do que aquelas que foram especuladas na última janela. A sequência de carreira de Neres em Amsterdã se apresenta uma situação ganha-ganha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...