quarta-feira, 27 de outubro de 2021

A Fiorentina que foi do Scudetto à glória europeia

Tradicionalmente, o norte da Itália concentra as equipes de futebol mais poderosas da nação. Após a Segunda Guerra Mundial, isso ficou especialmente evidente. Os 10 primeiros títulos do Campeonato Italiano do pós-guerra foram repartidos entre Torino, Juventus, Milan e Internazionale. Contudo, na metade dos anos 1950, surgiu um estranho no ninho. Vestida de violeta, veio de Florença a força responsável pela ruptura da hegemonia nortenha.

Fiorentina 1955-56
Foto: La Gazzetta dello Sport/Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Em 1986, a valorosa estreia do Canadá em Mundiais

Quando se fala em esportes no Canadá, registra-se logo que o futebol não é a escolha prioritária de seus cidadãos — entendendo-se por futebol o soccer. Este dado, estampado em pesquisa da Canadian Heritage, ajuda a entender os motivos de os Canucks terem experimentado poucos sucessos futebolísticos em sua trajetória. Porém, embora escassas, as boas histórias canadenses existem. O cume da mais impressionante delas viria em 1986, no México.

Canadá World Cup 1986
Foto: Desconhecido/Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Ásgeir Sigurvinsson, o islandês que abriu portas

Em 2021, aproximadamente 70 cidades do Brasil têm mais de 365 mil habitantes. Fora de contexto, o dado diz pouco. Porém, viajando aos países nórdicos, mais especificamente à Islândia, ele ganha relevância. Forçando um paralelo, fica evidente o quão pequenino é o país insular, cuja população inteira alcança cerca de 365 mil indivíduos. Sem adentrar outras questões — como a climática ou a prevalência de outros esportes —, não é difícil concluir que a mera existência de futebol competitivo na nação é um feito. E essa façanha tem alguns heróis. Um dos primeiros que deixou a ilha para desbravar o futebol europeu foi Ásgeir Sigurvinsson.

Asgeir Sigurvinsson Stuttgart
Foto: Skapti Hallgrímsson/Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 6 de outubro de 2021

O pioneirismo do Bahia em 1959-60

Para tudo há uma primeira vez. Em 1959, o Brasil conhecia a primeira versão de um campeonato de clubes com âmbito nacional. Nascia a Taça Brasil. Favorito, o Santos carregava craques da mais alta estirpe, campeões do mundo, como Zito, Pepe, e ele, Pelé. Porém, o título ficaria com o bicampeão baiano de então, o Bahia. E o Tricolor de Aço não seria pioneiro apenas em território nacional, já que, em 1960, seria disputada a primeira edição da Copa Libertadores da América, cabendo aos baianos a honra de representar seu país.

Bahia Taça Brasil 1959
Foto: EC Bahia/Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Os quatro “quase” austríacos em competições europeias

Houve um tempo em que o futebol austríaco, assim como o tcheco e o húngaro, representava a vanguarda do futebol europeu. Influenciado pelas figuras de Jimmy Hogan e Hugo Meisl, o esporte se desenvolveu rapidamente, popularizando-se e chamando a atenção pela forma como era praticado: com combinações de passes e estilo. Na Áustria, essa revolução teve início nos anos 1910 e persistiu até a ascensão do Nazismo. Dali em diante, o futebol do país não voltaria a dar muitas alegrias, mas, com seus clubes, chegaria próximo disso em ao menos quatro momentos.

Austria Wien Rapid Casino UEFA Cup Winners Cup Winners
Montagem: O Futebólogo

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Quando o Magdeburg honrou a Alemanha Oriental na Recopa Europeia

Durante a Guerra Fria, o fenômeno esportivo ganhou novas camadas. Com o mundo dividido em dois blocos, capitalista e socialista, o impacto das vitórias no esporte de alto rendimento, que sempre exige o depósito de sangue, suor e lágrimas, transcendia as práticas e os seus praticantes. Os êxitos diziam respeito também ao povo representado pelos triunfantes — ou essa era a mensagem transmitida. Diante desse contexto, a Alemanha Oriental procurou dar boas condições para o desenvolvimento do futebol nacional. Porém, a Europa só avistou os representantes da RDA no lugar mais alto do pódio uma vez, com o Magdeburg.

Magdeburg European Winners Cup 1974 Recopa
Foto: Reprodução Twitter @DDROnline/Arte: O Futebólogo