Promessa hoje, realidade amanhã? — Versão 2019

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

Promessa hoje, realidade amanhã? — Versão 2019

Tempo de leitura:
Desde 2012, O Futebólogo lança uma lista com jovens jogadores que se destacaram no ano que se aproxima de seu fim. Em 2019, não será diferente. As escolhas feitas se pautam em alguns critérios: o atleta deve ter um limite máximo de 23 anos e ter se destacado a partir do último ano, o que deixa de contemplar grandes desempenhos como o de jogadores como James Maddison ou Donny van de Beek. Como ficará claro, alguns analisados até atuaram em outras temporadas, mas com pouco destaque, de modo irregular ou em uma liga de poderio técnico inferior, tendo obtido êxito quando do salto a uma competição mais forte. Sem mais delongas, avancemos aos escolhidos.

João Felix Nicolo Zaniolo Ansu Fati Erling Haland Talles Magno
Arte: O Futebólogo

1 — João Félix (Benfica-POR/ Atlético de Madrid-ESP)
João Felix Benfica Atlético Madrid20 anos. Existe pouca dúvida de que o português João Félix é o grande nome mundial a ter despontado em 2019. Talentoso, capaz de marcar gols em profusão e de oferecer assistências com semelhante eficiência, viveu um ano de sonho. Sua estreia pelo Benfica aconteceu no início da temporada 2018-19, mas sua qualidades só ficaram evidentes após a troca de comando de seu clube. Quando Rui Vitória deixou o Estádio da Luz, ainda no início de janeiro, dando lugar a Bruno Lage — que era justamente treinador do Benfica B —, Félix desabrochou. Na campanha, o garoto fez 20 gols e criou nove assistências em 43 jogos (33 como titular) e foi um dos artífices na brilhante recuperação que levou o Benfica a superar o Porto na 24ª rodada e avançar para mais um título português. Logo, foi vendido por €126 milhões ao Atlético de Madrid, para substituir o craque Antoine Griezmann e é titular no time treinado por Diego Simeone, que disse recentemente: “Precisamos dele porque é diferente, tem características que não temos no plantel. Com a humildade dele, trabalho e ganas de melhorar como no primeiro dia continuará a crescer, porque talento e argumentos tem, e muito”, falou ao jornal A Bola. Félix também recebeu o conceituado prêmio Golden Boy de 2019 e ganhou seus primeiros chamados à seleção portuguesa.

2 — Nicolò Zaniolo (Roma-ITA)
Nicolo Zaniolo Roma20 anos. A maior reserva de talento da capital italiana responde hoje pelo nome de Nicolò Zaniolo. Para dar a dimensão do que o meia vem fazendo com a camisa da Roma não é preciso muito. Comparado pelos torcedores mais otimistas a ninguém menos que Francesco Totti, o italiano tem facilidade para atuar em qualquer posição do setor ofensivo — pelos dois flancos, centralizado e até avançado, como atacante — e já mostrou que sabe marcar gols. Como alguns ídolos romanistas, Zaniolo tem um temperamento forte, que lhe rendeu oito cartões amarelos no Campeonato Italiano de 2018-19 e mais seis na primeira metade da disputa de 2019-20, mas talento insuspeito e uma qualidade que não pode ser subestimada: não se omite, tendo, por exemplo, alta média de chutes por partida. Ainda se apresenta imaturo, mas está sendo bem talhado, mostrando evolução. O curioso é que só chegou ao estádio Olímpico de Roma como parte do negócio que levou o belga Radja Nainggolan à Internazionale. “Ele tem um talento imenso e extraordinário. Precisa continuar trabalhando para crescer. Desde os meus primeiros dias, Zaniolo sempre se comportou de forma muito profissional, dando tudo nos treinamentos”, falou seu técnico, Paulo Fonseca, em coletiva antes da partida contra o Milan.

3 — Ibrahima Konaté (RB Leipzig-ALE)
Ibrahima Konaté Leipzig20 anos. Mais um negócio com a marca do RB Leipzig, o zagueiro Ibrahima Konaté chegou à Alemanha em 2017 e sem custos, depois de dar seus primeiros passos na segunda divisão francesa, vestindo a camisa do Sochaux. Tendo alcançado suas duas primeiras décadas de vida, vem conquistando status de titular absoluto do Leipzig desde a temporada 2018-19, apesar de ter sofrido uma lesão grave logo no princípio da campanha 2019-20, e é também membro importante da seleção francesa sub-21. Com 1,93m e muita explosão física (como seu ótimo companheiro Dayot Upamecano), destaca-se nos duelos aéreos e costuma utilizar bem suas virtudes para antecipar jogadas e combater seus adversários no chão. Contudo, ainda precisa melhorar seu jogo com os pés na saída de bola. Não lhe faltam qualidades técnicas de condução, porém, embora seus índices de acerto de passes sejam altos, ocasionalmente Konaté se complica nesses momentos, não sendo particularmente bom nos passes longos. Todavia, todos esses quesitos não parecem muito difíceis de melhorar e, em alguma medida, são também provocados pela forma como o Leipzig escolhe atuar.

4 — Talles Magno (Vasco-BRA)
Talles Magno Vasco da Gama17 anos. Foi no dia 03 de junho de 2019 que Talles Magno percorreu os gramados do futebol profissional pela primeira vez em sua carreira, ainda aos 16 anos. O Vasco da Gama não parecia o contexto mais favorável ao despontar de uma nova estrela, contudo, a ausência de fartura e qualidade no elenco também forçou o treinador Vanderlei Luxemburgo a dar oportunidades às categorias de base. Assim, apareceu um jovem atacante (que atua majoritariamente pela faixa esquerda) de habilidade facilmente perceptível, velocidade, ousadia e com um físico já avantajado para alguém de sua idade. A estreia contra o Botafogo — derrota — não foi boa, mas colocou seu nome no radar da bola e, aos poucos, seu talento foi desabrochando e ele se tornou peça fundamental na campanha de recuperação que o cruzmaltino desempenhou no Brasileirão. Assim, credenciou-se a uma vaga no time brasileiro que acabou sendo campeão mundial sub-17. Porém, lesionou-se e terminou a temporada no estaleiro. Ainda precisa evoluir, sobretudo em aspectos táticos, mas chama a atenção pela maturidade. Fez 15 jogos pelo Vasco, 12 como titular, e marcou dois gols.

5 —  Erling Haland (Molde-NOR/ Red Bull Salzburg-AUS)
Erling Haland Molde Norway Red Bull Salzburg19 anos. Os mais aficionados pelo futebol de base e a busca por jovens promessas já o conhecem há alguns anos. Contudo, para a maioria dos amantes do futebol, Haland apareceu em um jogo bizarro do Mundial sub-20 de 2019. A Noruega, país que adotou apesar de ter nascido na Inglaterra, massacrou Honduras por 12 a 0 e o centroavante anotou nove tentos, estabelecendo um recorde de gols marcados na competição que dificilmente será batido. O bom desempenho o levou do fraco futebol norueguês ao austríaco, para uma equipe que disputou com brio a Liga dos Campeões da Europa, o Red Bull Salzburg. Depois de três temporadas entre Bryne e Molde, deu um salto e logo mostrou seu potencial. Grandalhão (1,94m) e com porte físico imponente, o atacante se sugere como um jogador de referência a quem a bola é mandada para ser disputada. Porém, não é o caso. Apesar da estatura e do físico, Haland tem boa velocidade e costuma se dar bem lançado às costas das defesas rivais. O norueguês se destaca na busca de espaços e na leitura das movimentações da retaguarda adversária. Não é particularmente habilidoso, mas não é grosso. Fez impressionantes oito gols em seis partidas da Liga dos Campeões e já ganhou suas primeiras convocações à seleção principal. Acaba de ser contratado pelo Borussia Dortmund.

6 — Samuel Chukwueze (Villarreal-ESP)
Samuel Chukwueze Villarreal Nigeria20 anos. Jogador de muita explosão física, arranque forte, com facilidade para o drible e que costuma arriscar jogadas individuais, o nigeriano Samuel Chukwueze é a nova pérola das Super Águias e do Submarino Amarelo. Canhoto, costuma atuar pela faixa direita do campo, buscando, muitas vezes, a condução da bola da ponta para o centro, para finalizar — o movimento que ficou famoso por obra de Arjen Robben. No entanto, o garoto também pode atuar pelo outro lado. Nessa altura de sua carreira, vem se firmando no time titular do Villarreal, alternando entre o onze inicial e a reserva, mas atuando na suprema maioria das partidas. Como algo até certo ponto natural, em razão da idade e pouca experiência, sofre alguns problemas na tomada de decisão, não sendo especialmente eficiente nos passes criativos e cruzamentos. Nada que não possa ser resolvido. Em 2019, foi eleito o melhor jogador jovem nigeriano. Sua estreia pela seleção de seu país aconteceu em 2018, mas ele disputou apenas uma partida. Foi em 2019 que se firmou, estando presente em 11 encontros, inclusive seis das sete do país na Copa Africana de Nações.

7 — Dani Olmo (Dinamo Zagreb-CRO)
Dani Olmo Dinamo Zagreb Spain
21 anos. A trajetória de Dani Olmo é uma das mais diferentes que se pode pensar. Catalão com passagens extensas pelas categorias de base dos rivais da capital da Catalunha, Espanyol e Barcelona, optou por uma mudança para o obscuro futebol croata, onde completou sua formação e se profissionalizou. Talvez seu caso seja único nesta lista. Ele não surgiu em 2019 ou se afirmou. Olmo estreou no time profissional do Dinamo Zagreb na temporada 2014-15, transformou-se em realidade na campanha de 2017-18 e, desde então, é uma certeza para o clube da capital croata. No entanto, Olmo ganhou verdadeiro destaque internacional apenas em 2019. E não é difícil entender o porquê. Pela primeira vez, disputou a fase de grupos da Liga dos Campeões. Com destaque. Em seis partidas, fez dois gols e criou uma assistência. Além disso, foi campeão europeu sub-21 com a Espanha, sendo eleito o melhor jogador da final contra a Alemanha (marcando um dos gols) e também fez sua estreia pela Fúria, anotando um gol na goleada por 7 a 0, ante a seleção de Malta. Extremamente versátil, Olmo pode atuar como meia central, ofensivo ou pelas pontas. Tem facilidade para trabalhar em espaços curtos e distribuir a bola. Além de uma forte chegada ao ataque. Surpreende, ademais, pela personalidade e visão do futebol: “Em campo, gosto de pensar. Não quero correr por correr. Antes, eu olho onde há espaços livres, como me mexer e tentar ocupar essa zona em que acredito que a bola pode passar”, relatou em entrevista ao El País, traduzida pela Trivela.

8 — Daniel James (Swansea-GAL/Manchester United-ING)
Daniel James Manchester United Wales22 anos. Destaque do Swansea City na disputa da Championship 2018-19, Daniel James é um dos nomes que trouxe frescor a Old Trafford, ganhando, de imediato, a confiança do treinador Ole Gunnar Solskjaer. Com passagem pelas categorias de base do Hull City, o galês quase foi parar no Leeds United no início de 2019, pedido por Marcelo Bielsa, chegando a fazer exames médicos em Elland Road, mas o negócio não saiu. Melhor para ele, já que o clube não subiu à Premier League e James acabou acertando com os Red Devils. Habitualmente um ponta pelo lado direito, fazendo boa parceria com Aaron Wan-Bissaka, o jovem mostrou grande maturidade, tendo ficado fora de apenas uma partida do United na Premier League até o final de 2019, marcando três gols (inclusive na estreia contra o Chelsea) e ofertando seis assistências. Daniel também tem sido chamado regularmente a representar a seleção galesa, pela qual já jogou 10 partidas (nove em 2019) anotando dois tentos. “Ele [James] chegou e teve impacto desde o primeiro dia de treinamento [...] Penso que ele é um exemplo para todos [...] Ele é humilde, trabalha duro e sabe que pode melhorar. Sabe que poderia ter marcado mais gols e vamos trabalhar para elevar ainda mais sua qualidade. Então, teremos um grande, grande jogador”, ressaltou Solskjaer em entrevista coletiva no início de setembro.

9 — Alexis Mac Allister (Argentinos Juniors-ARG/Boca Juniors-ARG)
Alexis Mac Allister Argentinos Juniors Boca Argentina
21 anos. Revelação do Argentinos Juniors, Alexis Mac Allister vem de uma família de boleiros (o pai foi e os dois irmãos são jogadores profissionais). O garoto viveu um segundo semestre de sonho em 2019. Opção regular do Bicho desde a temporada 2016-17, foi vendido ao Brighton & Hove Albion no início de 2019, no que poderia ter sido o esperado salto de qualidade. No entanto, foi mantido até o meio do ano em seu clube formador como parte do negócio, quando foi emprestado outra vez, agora ao Boca Juniors, finalmente deixando seu primeiro time — histórico, porém de poucas aspirações na atualidade. Logo, assumiu a camisa 8, mostrou a que veio e conquistou a torcida Xeneize. Com 21 anos recém-completados, tornou-se o motorzinho da equipe. Muito criativo, especialista em bolas paradas, o meia destro conquistou vaga no time a partir da reformulação de meio de ano, com as saídas de, dentre outros, Nahitan Nández, Darío Benedetto e Cristian Pavón. O bom desempenho rendeu suas primeiras convocações à seleção argentina e ele já manifestou a intenção de permanecer em La Bombonera: “Meu contrato vence em junho de 2020. Meu desejo é permanecer e cumprir esse contrato [...] Estou muito feliz no Boca. Hoje estou cumprindo o sonho de estar aqui e jogar pela seleção argentina. Me encontro em um presente que é grandioso para mim e o desfruto a mil”, disse à TNT Sports.

10 — Alessandro Bastoni (Parma-ITA/Inter-ITA)
Alessandro Bastoni Parma Inter
20 anos. Cria das categorias de base da Atalanta, Alessandro Bastoni quase não atuou na esquadra de Bérgamo. Seu invejável currículo como selecionável italiano, tendo passado pelos escalões sub-15, 16, 17, 18, 19, e representando atualmente o time sub-21, o zagueiro foi contratado pela Internazionale em 2017. No entanto, permaneceu mais uma temporada em seu clube formador e, no ano seguinte, representou o Parma. Foi atuando nos Gialloblu que Bastoni recebeu aquelas que seriam efetivamente suas primeiras chances de qualidade. Titular do time a partir de novembro de 2018, terminou a temporada em bom momento e voltou a Milão. Porém, começou a campanha de 2019-20 como a última opção do treinador Antonio Conte para a zaga nerazzurri, atrás do veterano Diego Godín, de Stefan de Vrij, Milan Skriniar, Andrea Ranocchia e até mesmo do lateral direito Danilo D’Ambrosio, que atuou improvisado pelo setor. Mesmo assim, recebeu oportunidades, correspondeu e é considerado um dos jogadores mais promissores do Bel Paese. Já fez oito jogos na temporada, sete como titular e tem se destacado pelos altos níveis de concentração, eficiência na bola aérea e alto índice de aproveitamento de passes. “Estou vivendo um sonho. Estar próximo a nomes como Godin, De Vrij e Skriniar é realmente um sonho. Espero que nunca acabe”, disse Bastoni após partida contra o Hellas Verona.

Dani Olmo Pep Guardiola Dinamo Zagreb Manchester City
Arte: O Futebólogo
11 — Jonathan Ikoné (Lille-FRA)
Jonathan Ikoné Lille France
21 anos. Um dos garotos que fizeram estrondoso sucesso no time do Lille da temporada 2018-19, Ikoné foi a peça que atuava mais centralizada, auxiliando Nicolas Pépé, Jonathan Bamba e o centroavante Rafael Leão a fazer gols em profusão pelos Dogues. Cria da base do Paris Saint-Germain, chegou a atuar no Montpellier, mas viu seu futebol desabrochar no Stade Pierre-Mauroy. O bom drible, a velocidade e a capacidade para colocar seus companheiros em boas condições de marcar fizeram de Ikoné um dos grandes garçons (o quinto maior) da última Ligue 1 — foram nove assistências, além de três gols. A campanha de 2019-20 não tem chamado tanto a atenção, em especial pela péssima participação do Lille na Liga dos Campeões, mas não se engane: Jonathan segue vivendo momento iluminado. Em setembro último fez sua estreia pela seleção francesa, da melhor maneira possível, marcando seu primeiro gol pelos Bleus na vitória ante a Albânia. No jogo seguinte, fez sua especialidade, uma assistência e tem estado em alta conta com o treinador Didier Deschamps. “Para Jonathan, sua primeira convocação será sempre lembrada. Mas ele lembrará ainda mais pelo gol”, falou o comandante francês à M6.

12 — Reinier (Flamengo-BRA)
Reinier Flamengo17 anos. Mais um produto da prolífica categoria de base do Flamengo, Reinier ganhou importância no clube carioca a partir da chegada de Jorge Jesus. Sem se importar com a idade ou a inexperiência do meia, o comandante promoveu sua estreia em cenário complicado, partida eliminatória da Copa Libertadores da América, contra o Emelec. Natural de Brasília, passou pelas categorias de base dos três rivais locais do Fla — Vasco, Botafogo e Fluminense — antes de chegar ao Ninho do Urubu e completar sua formação. Embora não tenha assumido a titularidade, Reinier se tornou peça importantíssima e atuou em mais 14 jogos no ano, marcando seis gols e oferecendo duas assistências. Sua ascensão foi tão meteórica que, quando o meia recebeu a convocação à Seleção Brasileira sub-17, para disputar o Mundial da categoria, o Flamengo se virou como pôde para impedir sua cessão. A qualidade de suas movimentações, a facilidade para entrar na área adversária e a boa finalização o destacam. Apesar da juventude, Reinier tem sido acompanhado de perto por gigantes europeus.

13 — Aaron Wan-Bissaka (Crystal Palace-ING/Manchester United-ING)
Aaron Wan-Bissaka Crystal Palace Arsenal England22 anos. Eleito o melhor jogador do Crystal Palace na temporada 2018-19, Aaron Wan-Bissaka viveu um turbilhão de emoções no último ano e meio. Primeiro se afirmou titular dos Eagles, o que, por si só, já era motivo de grande orgulho, tendo em vista o fato de ter sido criado na região em que o clube se localiza, na Grande Londres. Uma autêntica força da natureza, o lateral direito já revelou que, quando mais jovem detestava defender, o que soa estranho diante de seus números recentes, que o colocam em posição de destaque nos rankings de desarmes e interceptações na Premier League. Favorito da torcida do Crystal Palace, que, inclusive, dedicou a ele uma música especial, Wan-Bissaka acabou optando por se mudar para o Manchester United, clube em que vem repetindo as boas atuações. Na temporada 2019-20, tem disputado com Ricardo Pereira e Wilfried Ndidi, ambos do Leicester City, a liderança no ranking de desarmes efetivados na primeira divisão inglesa. Em agosto, o jogador também recebeu sua primeira convocação a representar a Inglaterra, mas acabou sendo cortado por lesão. Após vitória no clássico contra o Manchester City, o jovem foi elogiado pelo treinador Ole Gunnar Solskjaer: “Aaron está jogando contra… é Raheem Sterling que está lá, é Riyad Mahrez, é Kevin De Bruyne. E eles não conseguem superá-lo”, falou.

14 — Ferro (Benfica-POR)
Ferro Benfica Portugal22 anos. Como outros jovens do Benfica, o zagueiro Ferro foi um dos beneficiados pela decisão da diretoria encarnada de efetivar o treinador Bruno Lage, ex-treinador do time B, no comando da equipe principal. A estreia no time de cima aconteceu em fevereiro de 2019, em vitória em um dérbi contra o Sporting, válido pela semifinal da Taça de Portugal. Quatro dias mais tarde, Ferro marcou seu primeiro gol, na absurda goleada benfiquista contra o Nacional, 10 a 0, e, mais quatro depois, fez sua estreia na Liga Europa, ajudando o time a assegurar um triunfo apertado contra o Galatasaray. Quando apareceu, Ferro parecia pronto para as grandes batalhas do time, que se recuperava na temporada e arrancava para mais um título do Campeonato Português. Sete meses mais tarde, já recebeu até seu primeiro chamado à seleção portuguesa. Em 2019-20 segue com status de titular, apesar de ter passado por um momento de turbulência. Lage admite fazer trabalho especial para reparar certa falta de agressividade no jogo aéreo e dificuldades nas bolas em profundidade, apresentadas por Ferro. Porém, em linhas gerais, o beque, que era capitão do Benfica B, tem transmitido calma e segurança.

15 — Matheus Henrique (Grêmio-BRA)
Matheus Henrique Brasil Grêmio22 anos. Sucessor de Arthur no meio-campo do Grêmio, Matheus Henrique (anteriormente conhecido como Matheusinho) é mais um ótimo meio-campista a alcançar protagonismo com a camisa do Tricolor Gaúcho. Por excelência um passador, o garoto tem exercido um papel inestimável para o funcionamento do time treinado por Renato Portaluppi. Ele é a engrenagem que garante que o time funcione, sobretudo quando não conta com o capitão Maicon. Matheus recebe a bola na defesa e a distribui aos homens da linha de frente. Ele toca, movimenta-se, recebe e volta a distribuir incontáveis vezes durante as partidas. Isso para não mencionar a facilidade que tem para trabalhar a bola em espaços curtos. No Brasileirão de 2019, apenas o mencionado Maicon e o volante Allan, do Fluminense, carimbaram a pelota mais vezes do que o jovem em média por jogo. Tal desempenho lhe rendeu sua primeira convocação à Canarinho. Embora tenha atuado em algumas partidas de 2018, foi no ano seguinte que alcançou, de fato, protagonismo. “Fico feliz com a convocação do Matheus Henrique. Foi merecida por tudo que ele tem feito aqui no Grêmio. É importante para o clube e para o jogador. Ninguém conhecia o Matheus Henrique até alguns meses. Hoje, ele é titular do Grêmio, está na Seleção”, disse seu treinador em coletiva.

16 — Ansu Fati (Barcelona-ESP)
Ansu Fati Barcelona Spain17 anos. De quando em quando, o Barcelona apresenta ao futebol mundial jogadores com potencial para figurar no rol de melhores de seu tempo. Em que pese o fato de que em alguns casos as promessas não se cumprem, Ansu Fati parece ter o necessário para brilhar. Bissauense de nascimento e naturalizado espanhol, o jovem chegou ao clube catalão aos 10 anos e fez sua estreia ainda aos 16. Já em seu segundo jogo como profissional, anotou seu primeiro tento, vitimando o Osasuna. Na partida seguinte, deixou mais uma bola na rede e criou assistência, no triunfo ante o Valencia. Como era de se esperar, oscilou um pouco na sequência, além de ter tido problemas físicos. Apesar de a maioria de suas partidas ter sido na condição de suplente, Fati tem conseguido aproveitar as oportunidades recebidas, como foi o caso do último jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões. Atuando em Milão, contra a Inter, precisou de um minuto na cancha para anotar o gol da vitória catalã. Com facilidade para driblar, personalidade para enfrentar marcadores e capacidade de interagir com seus companheiros, Ansu se tornou a menina dos olhos de La Masía. “Não é fácil assimilar que se é jogador do Barcelona. Ele está focado e está bem. Não é normal que na primeira vez que toque na bola marque um gol, na segunda dê uma assistência e na terceira quase marca de novo no ângulo. Queremos que ele se conheça, vá ganhando ritmo e dê cada vez mais à equipe”, falou seu comandante, Ernesto Valverde, após o mencionado êxito contra o Valencia.

17 — Youcef Atal (Nice-FRA)
Youcef Atal Nice Algeria23 anos. Bem, a temporada 2018-19 do Nice não foi exatamente empolgante. Apesar de ter ficado na sétima colocação, só marcou mais gols do que os rebaixados Caen e Guingamp. Por outro lado, só foi menos vazado do que o Lyon, tendo concedido o mesmo número de gols que o campeão PSG. Lateral, meia e ponta pelo lado direito, o argelino Youcef Atal teve papel importante nas duas missões, a de marcar e a de evitar gols. Defensivamente, foi o quarto da equipe com maior número de desarmes completados, tendo ocupado o mesmo lugar no ranking de interceptações. Por outro lado, lá na frente, foi o quinto que mais criou ocasiões de gol, e, o mais impressionante, acabou a competição como o maior artilheiro do time, com seis gols, ao lado de Allan Saint-Maximin. Além disso, considerando todos os competidores da liga, Atal foi o quinto atleta que mais completou dribles. São ou não impressionantes os números do argelino? E o bom desempenho continuou em 2019-20. Segundo o ranking do site Whoscored, Atal tem a maior nota média do elenco do Nice, na Ligue 1. Isso tudo tendo chegado do modesto Kortrijk, da Bélgica, depois de ter se formado no Paradou AC, de seu país. Além disso, esteve no elenco de seu país na conquista da Copa Africana de Nações de 2019. Não surpreende que clubes como Chelsea, Tottenham e PSG tenham manifestado interesse recentemente em sua contratação.

18 — Eduardo Camavinga (Rennes-FRA)
Eduardo Camavinga Angola Rennes France17 anos. Titular do Rennes desde o final da temporada 2018-19, Eduardo Camavinga é outra promessa impressionantemente precoce a ter surgido no último ano. Angolano de nascença, foi recentemente procurado pela Federação Francesa e fez sua estreia pelo time sub-21 dos Bleus. Era natural que a entidade o procurasse, diante da enormidade do futebol que o garoto vem mostrando. Embora atue na posição que é, possivelmente, a mais exigente e influente nos times de futebol, habitando a faixa central do campo, Camavinga tem dado conta do recado, transparecendo a confiança e calma de um veterano. Porém, basta um breve olhar para perceber sua juventude. Com 1,82 e 68 quilos, denuncia um físico ainda em formação. O que deixa ainda mais surpreendente o fato de se destacar tanto nos desarmes e interceptações. Ninguém, repito, ninguém roubou mais bolas na Ligue 1 2019-20 (até o final de 2019), do que o garoto de 17 anos. Isso tudo mantendo média de 87% de aproveitamento de seus passes. Desejado por Barcelona, Manchester United, Real Madrid e Atlético de Madrid, teria forçado o Rennes a colocar um preço na casa dos €60 milhões por sua joia.

19 — Calvin Stengs (AZ Alkmaar-HOL)
Calvin Stengs AZ Alkmaar21 anos. Dono de uma perna canhota muito especial, Calvin Stengs é um dos bons e jovens nomes que o AZ Alkmaar apresentou ao mundo recentemente. O camisa 7, habitualmente um ponteiro pelo flanco direito, tem mostrado muita facilidade para fazer dribles curtos e finalizar. No entanto, tem trazido consigo algo ainda mais especial: visão de jogo privilegiada e um tino para ofertar assistências, colocando seus companheiros, muitas vezes, em boas condições nas costas das defesas adversárias. Empresariado pelo polêmico Mino Raiola, Stengs é profissional desde a temporada 2016-17, mas só conseguiu sequência de jogos a partir do ano de 2018-19. Depois de superar uma lesão no ligamento cruzado, tornou-se titular no final de 2018 e, desde então, tem sido uma garantia para os Cheeseheads. Na Eredivisie 2018-19, tem quatro gols e sete assistências, em 18 jogos. É também o terceiro jogador do Campeonato Holandês que mais criou oportunidades de gol, atrás apenas de Dusan Tadic e Hakim Ziyech. Em 2019, também fez sua estreia pela seleção holandesa, criando duas assistências na goleada por 5 a 0, contra a Estônia.

20 — Jean-Philippe Mateta (Mainz 05-ALE)
Jean-Philippe Mateta Mainz 0522 anos. Centroavante franco-congolês, Jean-Philippe Mateta foi criado na base do modesto Châteauroux. Ainda muito garoto se destacou pelo clube, atuando na terceira divisão francesa. Foi o suficiente para se colocar no radar do Lyon. Apesar disso, as esperadas chances com a camisa dos Gones não vieram e ele teve de ser emprestado. Na Ligue 2, outra vez foi destaque, anotando 19 gols em 37 jogos. Então, recebeu a chance de dar um salto de qualidade. Por um valor recorde (que seria superado uma temporada depois), Mateta assinou um contrato de quatro anos com os alemães do Mainz. Foram €8 milhões gastos. Bem gastos, diga-se. Jean-Philippe anotou 14 dos 46 gols de seu clube na Bundesliga 2018-19, além de ter provido duas assistências. Titular na maior parte da campanha, fez seu primeiro gol pelo clube na segunda rodada e viveu seu momento de maior destaque na 28ª, quando consumou um hat-trick ante o Freiburg. No entanto, Mateta deu azar e sofreu uma lesão no menisco do joelho direito na pré-temporada. Perdeu alguns meses. Só retornou no início de dezembro, tendo jogado três partidas e voltado a marcar, no triunfo do Mainz contra o Werder Bremen. Alto e forte, o centroavante se destaca nas jogadas aéreas, e, apesar de parecer desengonçado, é ótimo finalizador e tem velocidade para atacar espaços nas costas das defesas rivais.

Eduardo Camavinga Julien Stephan Rennes
Arte: O Futebólogo
21 — Antony (São Paulo-BRA)
aNTONY sÃO pAULO19 anos. No início de 2019, o São Paulo se sagrou campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o torneio de base mais prestigiado do Brasil, tendo em Antony seu grande expoente. Mais um jogador de ataque que atua pelo direito, a despeito de ter na perna canhota a preferida, o jovem foi logo levado aos profissionais do Tricolor Paulista e se tornou titular absoluto. O fato de o São Paulo ter tido um dos ataques menos eficazes do Brasileirão — com apenas 39 tentos anotados — não se deve, em absoluto, às performances de seu jovem prospecto. Em 29 partidas (apenas duas saindo do banco de reservas), marcou quatro gols e criou seis assistências. Ele foi o jogador do setor ofensivo mais eficiente durante o ano, mesmo tendo sido acusado em diversos momentos de ser excessivamente individualista e de perder gols fáceis. Em outubro, seu treinador, Fernando Diniz, falou sobre o garoto: “Só perde o gol quem está lá. Ele [Antony] continuou insistindo. Não saiu, estava cansado, é o jogador com mais individualidade do nosso time [...] É um talento muito grande. Às vezes é mais cobrado porque se espera muito dele. E tem de esperar mesmo. É um jogador com potencial gigante”. Antony é outro que tem sido regularmente chamado à Seleção Olímpica.

22 — Iván (Ponte Preta-BRA)
Iván Ponte Preta22 anos. Não é sempre que um jogador que atua na segunda divisão brasileira é chamado a representar a Canarinho. Foi isso que Ivan conseguiu em 2019, o ano em que realmente brilhou e conquistou merecidos holofotes. Goleiro titular da Ponte Preta desde 2018, tem sido opção regular também na Seleção Olímpica, disputando a titularidade com Cleiton, do Atlético Mineiro. Apesar disso, tudo aconteceu rapidamente em sua trajetória na Macaca. Quando foi promovido ao time titular, tinha a missão de substituir o ídolo Aranha e começou da melhor forma possível, defendendo pênalti na estreia contra o Corinthians. Sua coleção de clean sheets e milagres debaixo das traves deixa claro que se trata de um goleiro com enorme futuro — recentemente foi, inclusive, observado pela Roma. Com 1,92m de rapidez e muita elasticidade, é um dos melhores goleiros brasileiros em atividade e um nome que deixa evidente que o Brasil continuará tendo a meta bem protegida por alguns anos.

23 — Mason Greenwood (Manchester United-ING)
Mason Greenwood Manchester United
18 anos. Uma das grandes missões do treinador Ole Gunnar Solskjaer no comando do Manchester United foi promover um reencontro do clube com suas origens. É impossível não associar grande parte dos triunfos históricos do time mancuniano aos meninos formados em suas categorias de base. Esse foi o contexto em que o norueguês promoveu a estreia do atacante Mason Greenwood aos profissionais do time. O garoto já havia participado da pré-temporada da campanha de 2018-19, mas, efetivamente, a estreia aconteceu em março de 2019, em um cenário incrível. Os Red Devils estavam conseguindo dar a volta a um resultado adverso ante o Paris Saint-Germain, classificando-se às quartas de finais da Liga dos Campeões, quando o jovem foi lançado, substituindo Ashley Young, em uma tentativa válida de gastar tempo. Deu certo. E, a partir de então, o jovem só ganhou mais oportunidades. Na temporada 2019-20, Greenwood realmente deu o salto. Titular do time na Liga Europa e, normalmente, reserva nas partidas da Premier League, soma sete gols em 23 jogos. Mas é interessante notar que anotou quatro vezes em cinco partidas na mencionada competição continental. Apesar de ser canhoto, mostra facilidade para usar as duas pernas, finaliza com frieza incomum para alguém de sua idade, e pode atuar também pelos flancos, em caso de necessidade. “Eu gosto muito de Greenwood. A compostura que mostra com tão pouca idade, sua grande presença física. A forma como ele finaliza é a de um grande centroavante”, disse Gary Neville, ídolo do Manchester United e, atualmente, comentarista da Sky Sports.

24 —Donyell Malen (PSV-HOL)
Donyell Malen PSV Netherlands
20 anos. Outro jovem talento agenciado por Mino Raiola, Malen é hoje a principal referência ofensiva do PSV. No entanto, é curioso notar seu percurso até alcançar tal estatuto. O atacante surgiu em 2017-18, mas não chegou a fazer cinco partidas. Na temporada seguinte, cujos números sugerem seu desabrochar, a realidade foi um pouco diferente. Em que pese o fato de ter feito 42 jogos, 33 deles foram na condição de reserva. Além disso, ele foi substituído em cinco das nove vezes em que foi titular. Tudo mudou em 2019-20. Dos 25 jogos que disputou até o final de 2019, foi titular em 23. Pudera. Seu desempenho tem sido soberbo. Malen tem 17 gols e nove assistências. Nesse sentido, não se pode deixar de mencionar seu feito na sexta rodada da Eredivisie, em partida contra o Vitesse. O jovem marcou cinco gols, na goleada por 5 a 0. É fácil entender porque o treinador Ronald Koeman promoveu sua estreia com a camisa da seleção holandesa — tendo sido recompensado já na estreia, em que Malen marcou gol ante a Alemanha. Apesar de estar atuando majoritariamente como centroavante, cai bastante pelos flancos e chama atenção pela qualidade na conclusão, na condução da bola, e por não ter deficiências evidentes em outros fundamentos.

25 — Reece James (Wigan-ING/ Chelsea-ING)
Reece James Wigan Chelsea20 anos. Mais um dos jovens que foram beneficiados pelo fato de o Chelsea não poder fazer contratações durante um período, sendo obrigado a utilizar os garotos formados em suas categorias de base, Reece James é mais um promissor lateral direito inglês a despontar. Selecionável inglês nos escalões sub-18, 19, 20 e 21, James ganhou espaço nos Blues após fazer ótima temporada emprestado ao Wigan, na Championship. Jogador fisicamente poderoso e que possui muita qualidade em termos de criação de jogadas, o garoto foi eleito o melhor jogador dos Latics na campanha de 2018-19, em que o clube fez campanha de meio de tabela. Foi o suficiente para lhe garantir um futuro em Stamford Bridge. Assim sendo, pode-se dizer que Reece tem aproveitado as chances ofertadas pelo treinador Frank Lampard. O garoto já fez 16 partidas pelo Chelsea (sete como reserva) e anotou dois gols. Diante das diferenças de características que possui em relação ao titular e capitão da lateral dos Blues, César Azpilicueta, a tendência é que James ganhe ainda mais chances durante a temporada. Após a estreia do jovem como titular na Premier League, seu treinador não deixou de o elogiar: “Reece foi fantástico contra um dos melhores pontas da liga nas jogadas de um contra um, [Wilfried] Zaha é uma grande ameaça, especialmente no contra-golpe. Reece lidou com a maioria dessas situações e também foi ao ataque. É visível o quão confortável com a bola em seus pés ele é”.

26 — Mohamed Ihattaren (PSV-HOL)
Mohamed Ihattaren PSV17 anos. Apesar de vestir a camisa 24, Mohamed Ihattaren é o mais recente camisa 10 fabricado nas categorias de base do PSV. Canhoto com facilidade para finalizar, cobrar bolas paradas e colocar seus companheiros em condição de marcar gols, é uma joia em formação, mas que mostra as qualidades necessárias para se tornar um grande jogador. Embora comparações sempre carreguem consigo exagero e expectativas, por vezes, irrealistas, Ihattaren tem sido comparado a Wesley Sneijder — o que é outra demonstração da qualidade que vem desempenhando, para além do estilo de um autêntico meia de criação. Embora seja descendente de marroquinos, já representou a Holanda nos times sub-15, 16, 17 (tendo sido campeão europeu da categoria) e 19 e já comprometeu seu futuro à causa laranja. Sua estreia dentre os profissionais aconteceu em janeiro de 2019 e, quando o ano se encerra, o garoto já pode se declarar titular do time. Até o final de dezembro, registrou 25 partidas da temporada 2019-20, anotando sete gols e criando iguais sete assistências.

27 — Gabriel Martinelli (Ituano-BRA/ Arsenal-ING)
Gabriel Martinelli Ituano Arsenal18 anos. Um dia você está jogando a Copa São Paulo de Futebol Júnior, no outro o Campeonato Paulista e, pouco depois, a Premier League, tendo deixado o Ituano e firmado contrato com o famoso Arsenal. Esse é um bom resumo do ano de 2019 do brasileiro Gabriel Martinelli. Foram seis gols marcados em quatro jogos na Copinha. Outros seis no Paulistão, o prêmio de revelação e de craque do interior. Com o passaporte italiano regularizado e os 18 anos completados, ele seguiu para Londres, onde, rapidamente, transformou-se em sensação. Jogador que pode atuar como referência de ataque ou pelos lados, Martinelli desandou a marcar também pelos Gunners. Em 17 partidas, já foi às redes oito vezes e criou duas assistências. Não precisou de tempo para se adaptar às exigências do futebol inglês e ao novo ambiente. O atacante é mais uma esperança brasileira de renovação do Ouro Olímpico em 2020. “Ainda não tive a oportunidade de conhecer o Gabriel, mas estou super feliz por ele [...] Eu vejo nele um garoto sem medo de jogar, corajoso nas ações que ele tem dentro do campo. Mesmo com toda a pressão que o clube está vivendo, isso se transfere para dentro de campo, toda essa pressão externa, mas ele está jogando como se estivesse jogando uma pelada no Brasil com os amigos dele. Essa atitude é o que o Arsenal precisa [...] Essa é a energia que o clube está precisando no momento”, disse Gilberto Silva, ídolo do clube londrino, em entrevista à repórter Natalie Gedra, da ESPN.

28 — Florentino (Benfica-POR)
Florentino Benfica20 anos. É repetitivo falar sobre a importância de Bruno Lage no comando do Benfica e a forma com a qual o comandante revitalizou a equipe. Além de João Félix e Ferro, outro jovem importante promovido aos profissionais dos Encarnados foi o volante Florentino. Membro regular das equipes de base de Portugal, passando por todas, do sub-15 ao 21, fez sua estreia profissional em fevereiro de 2019 e em pouco tempo se tornou titular, terminando a temporada com essa condição, sobretudo diante de um contexto em que Lage não podia contar com o meio-campista Gabriel. O fato é que Florentino se saiu melhor do que a encomenda. Forte nos desarmes e interceptações, acrescentou poder de destruição ao meio benfiquista, mas sem perder qualidade com a bola no chão. Com média de 3,8 roubadas de bola por jogo, além de 2,9 interceptações, nas partidas válidas pelo Campeonato Português, fez um final de campanha 2018-19 excepcional. O que não tem se repetido em 2019-20. É bem verdade que o jovem sofreu lesão no menisco do joelho direito, que o afastou de algumas partidas, mas, segundo a imprensa portuguesa, o treinador Bruno Lage não estaria satisfeito com o nível atual de suas atuações. Oscilações que parecem normais para a idade. Certo é que seus números médios na retomada de bolas seguem expressivos na presente temporada: 2,9 desarmes por jogo e 4,1 interceptações.

29 — Alphonso Davies (Bayern de Munique-ALE)
Alphonso Davies Bayern19 anos. Alphonso Davies é um caso particular. O canadense é profissional, atuando com regularidade, desde 2016. Porém, o contexto de sua aparição não se compara — em termos de competitividade — ao que está enfrentando nesta altura de sua carreira. Depois de atuar por três temporadas na MLS, representando o Vancouver Whitecaps, o polivalente jogador foi contratado pelo Bayern de Munique em 2018, mas só se apresentou em janeiro de 2019. Se a parte final da temporada 2018-19 serviu como adaptação, a campanha de 2019-20 já tem oferecido ao jovem valiosas oportunidades, que têm sido aproveitadas. Seja como lateral esquerdo, ou ponta pelo mesmo lado, o garoto nascido em Gana tem sido testado e aprovado, regularmente. Até o final de 2019, tem 24 partidas jogadas pelos bávaros, anotando dois gols e criando três assistências. Talvez o que mais impressione nele — em se tratando de um jogador originalmente dotado de forte vocação ofensiva — seja a aptidão para o trabalho coletivo. Com virtudes físicas invejáveis, Davies tem mostrado não apenas boa técnica, mas noção apurada de jogo, adaptando-se a diferentes contextos e correspondendo. “Ele é um menino que quer se desenvolver, que ouve e aceita ser guiado nos treinamentos. É bom vê-lo indo bem. Ele é um jogador que é muito corajoso e que improvisa bem. Você precisa de jogadores assim nos dias atuais e ele realmente faz isso muito bem”, falou David Alaba, seu companheiro e concorrente no Bayern, ao Sport1.

30 — Cleiton (Atlético Mineiro-BRA)
Cleiton Atlético Mineiro
22 anos. Cleiton fez sua estreia como profissional do Atlético em 2017, mas atuou apenas uma vez naquela temporada. No ano seguinte, foi visto em apenas mais três partidas, sempre à sombra do titular e ídolo do clube, Victor. Contudo, em 2019, precisou assumir a meta alvinegra. Diante dos problemas físicos da primeira opção atleticana, o jovem acabou sendo titular na maior parte da temporada e se saiu muito bem. Fez um total de 39 jogos, ganhou confiança e despertou o interesse de equipes estrangeiras e do Red Bull Bragantino. No Brasileirão, dentre os arqueiros com no mínimo 10 partidas disputadas, foi o sétimo com maior número de defesas por partida, em média. Assim, ganhou convocações à seleção olímpica do Brasil e é cotado para a disputa dos Jogos Olímpicos de 2020. Apesar de ter transmitido insegurança em alguns momentos e de ter mostrado que ainda precisa melhorar em alguns aspectos, como as saídas em bolas paradas e no jogo com os pés, deu conta do recado. Recentemente, ganhou elogios de seu companheiro e concorrente, Victor: “Vejo o Cleiton como uma das principais promessas, um dos principais nomes da posição do futebol brasileiro. Tem tudo para ser um goleiro de nível de seleção, de chegar a disputar o Mundial. Ele vem mostrando sua capacidade”, falou em coletiva.

Gabriel Martinelli Arsenal Fredrik Ljungberg
Arte: O Futebólogo
Outros nomes a considerar: David Brooks (Bournemouth-ING), Scott McTominay (Manchester United-ING), Boubacar Kamara (Olympique Marseille-FRA), Andriy Lunin (Leganès-ESP/Valladolid-ESP), Thiago Almada (Vélez Sarsfield-ARG), Jeff Reine-Adelaide (Angers-FRA/ Lyon-FRA), Riccardo Orsolini (Bologna-ITA), Michael (Goiás-BRA), Suat Serdar (Schalke 04-ALE), Teun Koopmeiners (AZ Alkmaar-HOL), Christian Kouamé (Genoa-ITA), Gaetano Castrovilli (Fiorentina-ITA).

5 comentários:

  1. faltou o Gabigol, é rodado já, mesmo com somente 23 anos ainda, mas merecia estar nesta lista

    ResponderExcluir
  2. Acredito que tenha faltado o Pepê. 2019 foi muito bom, começou o ano como reserva e, após ótimas atuações, virou a válvula de escape da equipe como décimo segundo jogador - e teve uma baita participação na classificação para as Olimpíadas na seleção Br. Outro nome que irá estar nessa lista daqui um ano, é o de Ferreirinha, que também atua pelos flancos. Menção honrosa ao Jean Pyerre. Todos do Grêmio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão! Pepê cresceu muito em 2019. Listas sempre nos limitam um pouco, mas, sem dúvidas, ele se destacou bastante. Sem a lesão, Jean Pyerre teria entrado também. Sobre o Ferreira, estamos de olho!

      Excluir
  3. Senti falta do Marcos Paulo do Fluminense, 18 anos apenas, possui cidadania dupla. Alto, com muita qualidade, visão de jogo e faro de gol. Ajudou muito o Fluminense a escapar do rebaixamento em 2019, além de ter feito boas partidas pela sul-americana, ainda sob a tutela de Fernando Diniz. Talvez tenha sido ofuscado pelo começo meteórico do colega João Pedro, mas demonstra ter capacidade igual ou maior de se tornar um grande jogador, como já vem sendo importante para o Fluminense em 2020.

    ResponderExcluir