quarta-feira, 29 de maio de 2013

Real Garcilaso e Club Tijuana, calouros atrevidos


Surpresa seria não se surpreender com a tabela das quartas de final da Copa Libertadores. Real Garcilaso e Club Tijuana, dois novatos entre os oito melhores da América. Times tradicionalíssimos como Nacional-URU, São Paulo, Grêmio, Palmeiras, Vélez, Corinthians e Peñarol e times com bom histórico recente Universidad de Chile e Libertad fora e esses dois calouros dentro. Curioso no mínimo.  Uma equipe com três anos de existência e outra com seis entre os oito da América. Por isso mesmo, pela especialidade de tal acontecimento, venho contar a impressionante ascensão dos clubes, Peruano e Mexicano.

Real Garcilaso – La máquina celeste

Clube fundado em 2009 por um grupo de ex alunos da escola  Inca Garcilaso de La Veja, financiados por Julio Vasquez Cardenas (artesão de origem humilde, estabelecido no México e com negócios com os EUA e a China, que enriqueceu e decidiu investir num clube de futebol), na cidade de Cusco, o Real Garcilaso, nosso notável novato não possui muitas histórias para contar. Os fatos mais destacados na curta história da

Cidade de Cusco
equipe foram o título da Copa Peru de 2011 que o qualificou para a disputa da primeira divisão em 2012 e a temporada deste ano quando já na primeira oportunidade a equipe fez bom papel, foi vice-campeã, teve o artilheiro da competição e classificou-se para a Libertadores.

Na Libertadores o clube caiu num grupo um pouco estranho. Cerro Porteño, o "famoso" carrasco do Corinthians Deportes Tolima e o Independiente Santa Fé da Colômbia. Nenhum clube já vencedor da competição. Mesmo se tratando de um grupo curioso, os comentadores davam conta de que um clube peruano, sem história e virgem na competição cairia na primeira fase e, mais que isso, ficaria em último lugar.

Eis que o clube se fez conhecer. Classificou-se não só para fase seguinte, como também para as quartas de final. Nas oitavas a vítima foi o Nacional-URU de Recoba e Loco Abreu, clube histórico, campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes. La Máquina Celeste, contra tudo e contra todos, passou, calou comentaristas e tornou-se uma equipe a ser observada. Se irá mais longe não sabemos, mas fato é: está entre as oito melhores equipes da América, com méritos.

Seus destaques são os meias paraguaios Óscar Gamarra ex-Cerro Porteño e Fábio Ramos que fez boa parte da carreira em Portugal, além do peruano da seleção Edwin Retamoso (foto) ex-Cienciano.

Club Tijuana - Los Xolos

A equipe rojinegra, da complicada cidade de Tijuana na divisa com os EUA, foi fundada em 2007. E tem ligados a si vários fatos curiosos. O Tijuana é um clube financiado pelos negócios escusos de seu dono. Conforme veiculado pela Revista Placar na edição de janeiro deste ano, o presidente do clube, Jorge Hank Rhon é magnata dos jogos, ex-prefeito da cidade e tem passagem na prisão por tráfico de drogas. Mas falemos do clube em si.

Além dessa origem escusa de seu dinheiro o clube mexicano tem também uma história de ascensão impressionante. A equipe chegou à Primeira Divisão em 2010. E já no segundo ano disputando o campeonato o clube se sagrou campeão. O clube acumula peculiaridades um tanto curiosas. Algumas delas são o seu mascote que é um cachorro de uma raça local (Xoloitzcuintles) que quase não possui pelos (o nome da raça está inclusive no nome do clube) e o seu Estádio. Não bastassem as altas temperaturas da cidade de Tijuana o estádio do clube chama-se Estádio Caliente (foto). Além disso o gramado do Estádio é sintético.

Na Libertadores 2013 o clube caiu num grupo complicado com Corinthians, San José-BOL e Milionários-COL. Diferentemente do Real Garcilaso, esperava-se algo do clube, afinal o Campeonato Mexicano possui um bom nível.  E o Tijuana foi muito bem. Somou 13 pontos assim como o Timão. Seu trunfo foram os jogos em seus domínios, com a pressão da torcida, o calor, o impacto da longa viagem e a grama sintética. Nas oitavas bateu o Palmeiras com uma falha histórica do goleiro Bruno. 2x1 em São Paulo e no placar agregado. Assim como o novato peruano, o Tijuana chegou às quartas e enfrentará o Atlético.

Os destaques de los Xolos são o experiente meia mexicano Francisco Arce da seleção de seu país, o atacante equatoriano Fidel Martínez (foto), o "Neymar equatoriano" e o também atacante, mas colombiano, Riascos. O clube conta ainda com a conhecida catimba argentina, personificada no zagueiro Gandolfi e no meia Pellerano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...