O Futebólogo | Refletindo o futebol sob prismas não convencionais

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

A Copa da Uefa que projetou Louis van Gaal

A narrativa do futebol holandês se divide em dois mundos: o dos gênios da bola e o das mentes brilhantes (às vezes nem tanto) dos bancos de reservas. De Piet Keizer a Arjen Robben; de Rinus Michels a Erik ten Hag. Quase sempre que os êxitos de dentro do campo se manifestaram, viu-se esse cosmos: conjugação técnico-tática capaz de fazer o universo se render ao fascínio, ao menos durante 90 minutos. Foi um pouco disso que se verificou em 1991-92, quando dois jovens, Louis van Gaal e Dennis Bergkamp, recolocaram o Ajax na rota dos títulos continentais, amaciando o terreno para que, pouco depois, viesse a mais desejada das conquistas.

Ajax UEFA CUP
Foto: Getty Images/ Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Nos anos 1990, Klinsmann foi o cai-cai preferido da Inglaterra

Nas décadas de 1980 e 90, Jürgen Klinsmann foi um das principais referências de ataque da seleção alemã. No contexto de clubes, passou com destaque por alguns países. O atacante podia ser tido como um andarilho quando bateu à porta da terra da rainha. Não pelo número de times representados, quatro, mas por seu trajeto, de país em país. Depois de começar a carreira no Stuttgarter Kickers e se destacar no rival famoso, o Stuttgart, viajou à Milão, representando a Inter. Depois, foi ao Principado, vestir-se de vermelho e branco e defender o Monaco. Então, partiu para a Premier League, ganhando ainda mais notoriedade e revertendo uma relação conflituosa; provando que amor e ódio andam juntos.

Foto: Getty Images/ Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Em memória de Renato Curi

A morte, paradoxalmente, segue sendo um dos principais mistérios da vida. De onde vem, para onde leva, suas causas e os modos de evitá-la são questões que estão no centro das grandes discussões da humanidade. Por sua vez, o esporte foi sempre tido como um gerador de saúde, um imperativo na batalha pela longevidade. Ainda assim, quando disputado em alto rendimento essa não é bem uma verdade. Um dos casos que melhor exemplifica essa questão foi o vivido por Renato Curi.

Foto: Desconhecido/ Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 31 de julho de 2019

O cartão de visitas que Riquelme ofereceu ao Barcelona

Não raro, Juan Román Riquelme é considerado o maior jogador da história do Boca Juniors. Para muitos, superioriza-se a Diego Armando Maradona. Foram muitos os dias de magia do camisa 10 pelo clube bostero, tanto em sua primeira passagem quanto na segunda. A prateleira de conquistas do clube também se beneficiou das performances do craque. No entanto, no imaginário de muitos, é difícil entender os motivos de seu insucesso no Barcelona. Essa dúvida deve pairar, especialmente, na cabeça dos torcedores da esquadra blaugrana, que se encantaram com o argentino em 1999.

Riquelme Boca Juniors Barcelona 1999
Foto: Desconhecido/ Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 24 de julho de 2019

O delírio e a realidade da Escócia no Mundial de 1978

O treinador escocês Ally MacLeod passou à história como um grande falastrão. As apostas feitas às vésperas da disputa da Copa do Mundo de 1978, na Argentina, foram muitas. Os resultados, porém, decepcionaram. A Escócia possuía uma destacada geração de jogadores e acreditava em um bom desempenho. Havia motivos para torcer por uma participação decente, mas nada muito além disso.

Scotland 1978
Foto: Getty Images/ Arte: O Futebólogo