O Futebólogo | Refletindo o futebol sob prismas não convencionais

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

O dia em que o PSV fez do Feyenoord a maior vergonha da Eredivisie

O fim da década de 2000 registrou um momento curioso na trajetória do futebol holandês. De repente, Louis van Gaal recuperou um esquecido AZ Alkmaar, assim como sua própria carreira. Seu clube alçou o pódio da Eredivisie. Assim como o Twente fez no ano seguinte. Ao mesmo tempo, a Holanda travava uma batalha interna, negando sua essência e buscando resultados a qualquer custo. Já os gigantes do país viviam dias de luta. O mais decadente deles, o Feyenoord, chegou ao fundo do poço em 2010-11, por obra de um PSV que praticamente não tinha o que comemorar, senão a desgraça do rival.

PSV FEYENOORD JONATHAN REIS 10-0 EREDIVISIE
Foto: Pro Shot/ Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Quando o Colônia destronou o Gladbach e lutou pela Europa

Imagine a luta pela vida entre um potro e um bode. Embora o primeiro seja habitualmente maior, nunca é bom duvidar da valentia de um animal diante de uma situação extrema, sobretudo se ele tiver chifres. Mundo selvagem à parte, foi uma luta com esse perfil a que se desenhou na Bundesliga de 1977-78, entre os rivais de Colônia e Gladbach. Nessa disputa, os Bodes levaram a melhor. Porém, não se engane: o triunfo veio na ponta do lápis. E no capítulo seguinte, quando viveu o sonho europeu, o clube não se rendeu até o fim. Perdeu, mas caiu de pé.

Double Koln 1977-78 Bundesliga Pokal
Foto: DFB.de/Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

O último adeus do Nottingham Forest à Premier League

O que pode acontecer no curso de duas décadas? No cenário do futebol, um time pode deixar de ser habitual frequentador das divisões inferiores de seu país e chegar aos maiores pódios — como a História conta. Entretanto, pode viver também a situação oposta, deixando de encabeçar as disputas de elite e avançando à irrelevância. O Nottingham Forest oferece testemunho dos dois casos. Porém, é o último que se faz valer atualmente. Desde o fim de 1998-1999, o City Ground não recebe futebol de primeira divisão.

Manchester United 8-1 Nottingham Forest Premier League 1998-99
Foto: Press Association/Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Quando o St Mirren viveu a fantasia de quase contar com Ronaldinho

Na transição dos anos 1990 para os 2000, o futebol mundial se deparou com uma nova estrela brasileira da mais alta qualidade. Formado no Grêmio, Ronaldinho era uma novidade capaz de hipnotizar qualquer amante do futebol, com seus dribles, irreverência e riso frouxo — mesmo diante dos mais duros marcadores. Terminado o ano de 2000, seu contrato com o clube gaúcho se aproximava do fim e ele já vislumbrava um futuro na Europa. Entre muita polêmica, firmou com o Paris Saint-Germain no início de 2001. Porém, só pôde estrear pelo clube na temporada 2001-02. Nesse interregno, quase viveu uma inesperada aventura pelo futebol escocês.

Ronaldinho St Mirren
Arte: O Futebólogo

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

O dia em que Hernán Crespo silenciou a Juventus

Quem acompanhou o futebol italiano nos anos 1990 sabe: o Parma viveu um sonho sem precedentes durante aquele período. Acostumado à vida nas divisões inferiores do futebol italiano, ascendeu à elite no início da década e logo alcançou resultados impressionantes. Não houve surpresa quando o time bateu a Juventus, no segundo turno da Serie A 1998-99. O anormal foi a performance de um jogador em especial, o goleador Hernán Crespo.

Crespo Parma 1999
Foto: Empics/ Arte: O Futebólogo

>