sexta-feira, 30 de maio de 2014

A boa escolha do Tottenham

Mauricio Pocchetino, argentino de 42 anos, foi anunciado no início da semana como o novo comandante dos Spurs. Depois do fraco início da última temporada, após a venda de Gareth Bale, o clube demitiu André Villas-Boas e completou a temporada sob o comando de Tim Sherwood, auxiliar do português. Com excelente campanha no Southampton, Pocchetino chamou a atenção do clube londrino e, não só seus resultados, mas também algumas de suas práticas, mostram que o clube pode ter dado uma tacada certeira. Falo um pouco do que o argentino pode trazer ao Tottenham.








Evolução técnica de jogadores jovens

Enfrentando situação semelhante a de seu início no Southampton, Pocchetino terá a sua disposição, no elenco do Tottenham, um grande número de jogadores jovens e que ainda não se afirmaram no clube. Nos Saints, o argentino conduziu o meia Adam Lallana a um nível de atuações impressionante. Apesar de conhece-lo já com 24 anos, o atleta ainda era um jogador em formação. A prova do grande trabalho feito com o jogador foi sua convocação para a Copa do Mundo.

Além de Lallana, Pocchetino melhorou o desempenho de vários outros jogadores, como Morgan Schneiderlin, Jack Cork e, principalmente, Jay Rodríguez, que tinha, além da juventude, o peso de ter sido uma contratação cara para os padrões do clube (cerca de £ 7 milhões). Além destes exemplos, alguns jogadores foram praticamente lançados pelo ex-zagueiro da Seleção Argentina, e apresentaram resultados positivos, casos  de Luke Shaw (eleito o melhor lateral esquerdo da Premier League), James Ward-Prowse, Calum Chambers e Sam Gallagher.

No Tottenham, considerando o atual elenco, Pocchetino poderá trabalhar os laterais esquerdos Danny Rose e Zeki Fryers (ambos com passagens pelas seleções inglesas de base), o volante argelino Nabil Bentaleb (foto), revelado nesta temporada, os wingers Andros Townsend – que teve ótimo início de temporada, mas caiu de rendimento – e Erik Lamela, que também tem contra si o absurdo valor dispendido em sua contratação (£ 26 Milhões), além do atacante Harry Kane, que ganhou chances e teve bom desempenho no final da temporada.

Ademais, poderá aproveitar jovens que estiveram emprestados na temporada recém-finda. São os casos de Tom Carroll, Iago Falqué e Lewis Holtby, que atuaram, respectivamente, por QPR, Rayo Valecano e Fulham.

Recuperação e adaptações de jogadores

Alguns jogadores do Tottenham já viveram bons momentos em outras equipes e precisam recuperar a confiança. No Southampton, além dos atletas já citados por sua evolução, alguns também passaram por uma readaptação de funções, tornando-se versáteis. Atacante, Jay Rodríguez passou a também atuar com qualidade pelos lados do campo. Já Lallana e Ward-Prowse, passaram a ser figuras possíveis em qualquer das posições do meio-campo ofensivo. O segundo chegou a atuar, inclusive, como segundo volante.

No Tottenham, não faltam jogadores precisando recuperar a forma e, talvez, se reinventar. Nomes como Roberto Soldado, Paulinho, Nacer Chadli e Erik Lamela (foto), definitivamente, tem estado aquém do que já demonstraram em outras temporadas e clubes. A contratação de Pocchetino poderá ser benéfica em mais este aspecto.

Futebol bonito

O bom futebol dos Spurs, perdido com a saída de Gareth Bale, pode ser recuperado com a vinda de Pocchetino. Com possibilidades financeiras, necessariamente, muito mais restritas do que as que terá no clube londrino, o argentino fez com que os Saints mostrassem um estilo de jogo extremamente atraente. Na última temporada, jogo do Southampton foi certeza de entretenimento. Estilo ofensivo, trocas constantes de posição e futebol leve marcaram o time.

Ao contrário do time de St. Mary Stadium, o Tottenham foi um dos times mais chatos de se assistir na temporada. Com a falta de ajuste ofensivo, o clube atuou, por muitas vezes, recheado de volantes e com estilo de jogo truncado. O talento que alguns jogadores do time já mostraram, em outras situações, ficou de lado. O rendimento do ataque do clube só melhorou por meio da força e não da habilidade, com o renascimento de Emmanuel Adebayor.  

Pocchetino terá muito trabalho, mas se seguir seus padrões recentes, deve trazer novo brilho ao jogo do clube do norte londrino.

Com Pocchetino, jogadores do Southampton ganharam lugar no English Team, prova de um excelente trabalho. 
Consistência tática

Talvez a principal qualidade do Southampton de Pocchetino tenha sido a conjugação de consistência tática e qualidade estética do jogo. Em momento algum, o treinador abriu mão de dois volantes. Entretanto, também não permitiu que a função de seus jogadores de contenção fosse a mera destruição de jogadas. É mais fácil descrever os volantes de Pocchetino como “construtores defensivos de jogo”. Boa parte do que aconteceu na linha de frente dos Saints só foi possível em função da qualidade da bola que chegava aos setor ofensivo.

Com muitas mudanças no decorrer da temporada, essa consistência foi algo que faltou ao Tottenham. Vários foram os esquemas táticos tentados, mas nenhum deles levou o clube ao nível e exibição esperado para uma equipe que tanto dispendeu em contratações. Se essa foi a principal qualidade do Southampton, na contramão, é também o maior desafio do Tottenham.

Um comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...