quinta-feira, 13 de outubro de 2016

A retomada de Kevin Strootman

As últimas duas temporadas e meia do futebol europeu foram um verdadeiro pesadelo para Kevin Strootman. O meio-campista holandês, peça tão cara à Roma e à seleção de seu país, viveu uma provação. Seu joelho esquerdo, tão vital para seus desarmes, passes e finalizações, sofreu três reveses nesse período. Três cirurgias e dúvidas pairaram sob o atleta quando se encaminhou o início da temporada atual. Não obstante, felizmente, o jogador vem conseguindo dar continuidade a sua carreira, retomando sua importância para clube e seleção.



O ano de 2013/14 parecia promissor para a Roma. Com um meio-campo forte e talentoso, composto pelo ídolo Daniele De Rossi e pelo talentoso bósnio Miralem Pjanic – além do consistente Strootman, é claro –, os Giallorossi começaram a temporada on fire: 10 vitórias nas 10 primeiras partidas do Campeonato Italiano. Estava clara ali a influência fantástica do citado triunvirato romanista no controle das ações da equipe. Nos mencionados 10 encontros, os meias só não atuaram juntos em um deles. O público, em geral, estava admirado com o que via. Não sem razão, evidentemente.

No entanto, veio o infortúnio. Além de alguns empates indesejados, os quais deixaram o campeonato nacional à feição para a Juventus se deleitar e vencer mais uma edição, o clube perdeu Strootman, com uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo – começava seu calvário particular. Para a sorte da equipe da capital italiana, chegara à Loba o ótimo Radja Nainggolan, meio-campista belga que vinha para ser alternativa ao trio, mas assumiu a titularidade diante da necessidade, vingando.

2013/14 acabou com um saldo numérico positivo para Strootman, entretanto. Vindo do PSV, o holandês se adaptou com muita facilidade, disputou 29 partidas, marcou seis tentos e criou sete assistências.

Essa facilidade na integração ao novo clube, como dito, não se viu quando o assunto foi sua recuperação. Na temporada seguinte, jogou apenas sete jogos, sem marcar e criando duas assistências. Foram apenas 326 minutos em campo, menos de quatro partidas completas.

A situação foi ainda pior em 2015/16, com o jogador entrando em campo em cinco jogos, ou apenas 188 minutos. Todavia, estava recuperado, finalmente. É preciso dizer, que talvez mais dramática do que sua ausência na Roma, tenha sido a falta que fez para a Oranje. De titular certo na Copa do Mundo de 2014 a baixa por tempo indeterminado, viu seu selecionado ser submetido a um período de transição e péssimos resultados, ficando de fora da Euro 2016.

Tudo isso, contudo, são águas passadas diante do que o momento presente de Kevin Strootman indica. A “Máquina de Lavar”, alcunha dada por Rudi García, seu primeiro treinador em Roma (“ele é como uma máquina de lavar: mesmo uma bola suja, sai sempre limpinha”, disse o francês), voltou com tudo em 2016/17. Titular em todas as partidas da Roma na presente temporada, perdeu apenas 10 minutos e vem retomando seu papel como peça-chave dos Giallorossi.

Na temporada, já entrou em campo 10 vezes e marcou dois gols. Em partidas do Campeonato Italiano, seu desempenho percentual nos passes chama atenção: 91% de êxito. Além disso, 40% dos desarmes que tenta são acertados. Pouco para um atleta que ficou parado por praticamente dois anos e meio? Sim, pouco, porque há mais a dizer.

De volta à Seleção Holandesa, recebeu a braçadeira de capitão e por mais que os resultados ainda não sejam os melhores desde seu retorno – três vitórias, dois empates e duas derrotas – nota-se melhora. Nos sete jogos anteriores, a Laranja Mecânica havia perdido quatro e vencido apenas três.


“Recebi muito suporte do clube, dos torcedores, de meus companheiros e do corpo médico. Eles me ajudaram muito, especialmente da última vez. Todas as pessoas, os fisioterapeutas, os médicos, eles fizeram um ótimo trabalho. Só quero alcançar meu nível e os retribuir pela confiança que me deram. Quero os pagar no campo”, disse o holandês ao ESPN FC às vésperas do início da temporada atual.

Meio-campista seguro, de jogo limpo e preciso, Kevin Strootman vem retomando seu lugar no futebol. Aos 26 anos, tem tempo de sobra para recolocar sua carreira nos trilhos, o que vem fazendo bem. A cada partida em que atua durante os 90 minutos, diminui as dúvidas acerca da qualidade de sua recuperação e vai voltando a se tornar figura importante no cenário do esporte mundial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...