segunda-feira, 28 de julho de 2014

Reforçado, Chelsea promete

No retorno de José Mourinho ao Chelsea, muito se esperava da equipe. Apesar de ter permanecido nos calcanhares de Arsenal e Liverpool durante todo o Campeonato Inglês, o clube não teve fôlego para vencer o título, vendo, ao final, o Liverpool derrapar e o Manchester City despontar como o grande campeão. Apesar de ter marcado presença assídua na primeira metade da tabela, o Chelsea só liderou o Campeonato por seis rodadas (1ª e 25ª-29ª), expondo algumas fraquezas. Prontamente, o treinador português foi às compras e reforçou a equipe, que, agora, parece muito mais apta a brigar pelo título.


* Post nº 200 do blog!



Na última temporada, com três opções teoricamente qualificadas, o ataque dos Blues revelou-se a maior deficiência da equipe na temporada. Fernando Torres, Samuel Eto’o e Demba Ba deixaram uma pergunta na cabeça dos torcedores: por que não aproveitar o jovem Romelu Lukaku, ao invés de emprestá-lo? O desempenho do belga foi imensamente superior ao de seus concorrentes. Samuel Eto’o, o melhor deles, marcou apenas nove vezes na Premier League. Se compararmos este desempenho com o dos principais artilheiros das equipes que rivalizam com o time pelo título, a marca fica ainda pior.

No Manchester City, Sergio Agüero anotou 17 gols; no Liverpool, Luis Suárez marcou 31 tentos e Daniel Sturridge, 22; Wayne Rooney, do Manchester United (de fraca campanha), balançou as redes em 17 turnos. Até mesmo o contestado Olivier Giroud levou alegrias à torcida do Arsenal mais vezes que os centroavantes do Chelsea, com 16 gols. Além destes, Wilfried Bony (17), Edin Dzeko (16), Jay Rodríguez (15), Loic Remy (15), Rickie Lambert (13), Robin van Persie (12), Emmanuel Adebayor (11) e Christian Benteke (10) – citando apenas atacantes –, marcaram mais que os goleadores de Mourinho.  

Além dos nove gols de Eto’o, na Premier League, o clube comemorou, ainda, cinco tentos de Torres e outros cinco de Ba. O artilheiro da equipe, que chegou a jogar com André Schürrle como referência, foi o winger Eden Hazard, com 14 gols.

Para a função, pelo menos por enquanto, o clube mantém Torres e conta com o retorno de Lukaku. Todavia, estes ainda podem ser negociados. Isso porque, para o setor, a equipe disporá da força e luta de Diego Costa, artilheiro do Atlético de Madrid na última temporada, com 36 gols no total – 27 deles no Campeonato Espanhol. Ademais, Didier Drogba, experientíssimo e velho conhecido do torcedor, está de volta, devendo ser opção utilizável durante os jogos e, eventualmente, titular. Ídolo do Chelsea, apesar dos 36 anos, se for usado com sabedoria, pode ser vital para uma temporada exitosa. No último ano, pelo Galatasaray, o craque foi às redes 14 vezes, 10 pelo Campeonato Turco.

Além de ter se movimentado para corrigir seu maior problema, o time do bilionário Roman Abramovich trouxe o brasileiro Filipe Luís para assumir a titularidade da lateral esquerda, que sofrera com o declínio técnico de Ashley Cole e terminou com a titularidade de César Azpilicueta (que até foi muito bem, mas é, essencialmente, lateral direito), e também no meio-campo.

Com a saída do lendário Frank Lampard para o futebol norte-americano, Mourinho aproveitou uma oportunidade de mercado e contratou o espanhol Césc Fàbregas para compor a meia-cancha da equipe. Com isso, além de repor uma peça importante, ganhou um jogador versátil e com característica de jogo distinta da dos demais jogadores de que dispõe, podendo ser utilizado em várias funções do meio e, até mesmo, como “falso 9”, no ataque.

A meu ver, falta, ainda, um zagueiro de boa qualidade, uma vez que o clube conta, apenas, com John Terry, Gary Cahill e o jovem Kurt Zouma – além de uma eventual possibilidade de improviso do lateral Branislav Ivanovic –, pelo setor. Especula-se que Torres possa ser envolvido em negociação com o Atlético de Madrid, que levaria o zagueiro Miranda para o clube londrino, o que, se consumado, seria um negócio de grande valia para a equipe.

Para mais, a outra novidade significativa para o clube é o retorno de empréstimo do grande goleiro Thibaut Courtois, que deverá se revezar na titularidade com o ídolo Petr Cech, de quem é visto como sucessor. Não restam dúvidas de que o Chelsea 2014-2015 está melhor que o anterior, e, conhecendo bem os trabalhos de José Mourinho, o clube virá com tudo para a conquista de títulos. É esperar para ver o encaixe dos jogadores, mas, a princípio, o início de temporada dos Blues é animador.  

2 comentários :

  1. Eh... mas ainda falta o meio-campista para reger a equipe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc tá de brincadeira né? Kkkkkkk Fabregas tá ali pra isso

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...