sexta-feira, 18 de setembro de 2015

2004-05: O ano em que o Schalke 04 bateu na trave na Bundesliga

Desde a modernização do Campeonato Alemão, com o surgimento da Bundesliga, o Schalke 04 nunca conquistou o torneio. Embora sejam uma das equipes mais tradicionais do país, frequentando constantemente a UEFA Champions League, os Azuis Reais ainda lutam para subir ao posto mais alto da hierarquia do futebol germânico. Todavia, esta realização foi possível na temporada 2004-2005, ocasião em que o clube largou bem, mas perdeu fôlego na reta final da competição.



Dois grandes destaques do time eram brasileiros

Para o torcedor brasileiro é difícil imaginar o meia Lincoln (foto) e o centroavante Aílton conduzindo uma equipe ao título da Bundesliga. Contratado pelo Kaiserslautern, junto ao Atlético Mineiro, aos 21 anos, Lincoln nunca chegou a ser um titular absoluto com a camisa do alvinegro de Minas Gerais, embora tenha sido uma figura importante entre os anos de 1999 e 2001, sendo muitas vezes titular e mostrando um futebol muito bom, apesar de um pouco inconstante.

No Brasil, as referências ao meia não eram muitas há época de sua transferência e persistiram sendo raras até seu retorno ao país em 2010, quando chegou ao Palmeiras. Não obstante, o jogador fez sua carreira na Alemanha com muito sucesso. Em seu primeiro clube fez bom papel e dupla com Miroslav Klose e, logo em sua primeira temporada no Schalke, em 2004-2005, brilhou intensamente, marcando 12 gols na Bundesliga e criando 11 assistências.

Lá na frente, o “parrudo” Aílton, que passou por Internacional, Santa Cruz e Guarani em solo tupiniquim, marcou muitos gols e liderou a artilharia da equipe. Desde 1998, ano em que chegou à Alemanha, para defender o Werder Bremen, o goleador se sentiu em casa e em Gelsenkirchen, vestindo a camisa dos Azuis Reais, não foi diferente.

Também contratado para a temporada 2004-2005, após ser campeão germânico com o Werder Bremen, o goleador marcou 14 tentos, em 29 partidas, ótimo desempenho.

Leia mais: Times de que Gostamos: Werder Bremen 2003-2004

Com a maior parte de suas carreiras feitas na Europa, Lincoln e Aílton não têm tanto reconhecimento do público brasileiro, mas nunca serão esquecidos em Gelsenkirchen, na Veltins-Arena. O time do Vale do Ruhr era ótimo, mas os seus grandes diferenciais eram a habilidade, os passes e gols de Lincoln e a presença artilheira de Aílton. Além deles, o time tinha o também brasileiro Bordon, na defesa.

Todo o ataque foi extremamente eficiente

Apesar do destaque de Lincoln e Aílton, os demais atacantes do Schalke também viveram um ótimo ano na Bundesliga de 2004-2005. Centroavante de boa qualidade e muito lembrado por seu desempenho pela Seleção Dinamarquesa, Ebbe Sand (foto, à direita), ídolo do clube, já era um jogador experiente na referida temporada, mas mesmo assim teve ótima participação. Rápido, apesar dos 32 anos, e dono de ótima movimentação, o atacante marcou oito gols na Bundesliga e 15 na temporada completa.

Outro jogador que se destacou muito na temporada foi Gerald Asamoah (foto, à esquerda). Ganês de nascimento e alemão por opção – tendo ido, inclusive, às Copas do Mundo de 2002 e 2006 – o jogador foi importantíssimo para o bom ano do Schalke, tanto com seu desempenho quanto com sua versatilidade. Opção para os lados do ataque e para o centro, Asamoah balançou as redes oito vezes na Bundesliga, criando outras oito assistências para seus companheiros.

Por fim, há época um garoto de 21 anos, Mike Hanke foi outro atacante com boa marca na temporada. Gols foram apenas cinco na Bundesliga, mas, com poucos minutos em campo, a marca não passa despercebida. Com 796 minutos disputados, o alemão marcou um gol a cada 159, um tento a cada 1,7 jogo, ou ainda 0,58 gol por partida. Além disso, na totalidade da temporada, Hanke balançou as redes 13 vezes, marca muito expressiva.

O time só dependia de si, mas faltou fôlego no final

Quem vê apenas a classificação final da Bundesliga pode achar difícil de acreditar que o Schalke 04 realmente brigou pelo título com o Bayern de Munique, uma vez que a diferença final registrou 14 pontos de vantagem para os bávaros. Não obstante, isso se deu em função de uma sequência muito ruim de resultados nas últimas rodadas por parte do time do Vale do Ruhr, contraposto a uma sequência brilhante do Bayern.

Confira também: A construção do futuro Azul Real

Nas últimas 10 partidas da competição, o Schalke venceu quatro, perdeu cinco (incluindo uma derrota no clássico contra o Borussia Dortmund) e empatou uma, o que foi fatal para uma equipe que pretendia ser campeã nacional, sobretudo quando o clube que estava em seu rastro era o grandioso Bayern de Munique. Por seu turno, o clube bávaro venceu nove de seus últimos dez encontros, perdendo sua última partida na 25ª rodada, justamente para os Azuis Reais, com gol de falta de Lincoln.

"Acho que foi o gol mais importante da minha carreira", disse Lincoln à época



Assim, o Schalke somou apenas 13 pontos dos últimos 30 possíveis, e o Bayern 27, 14 pontos a mais, justamente a diferença final na tabela. Curiosamente, o time de Gelsenkirchen só foi líder após a vitória contra os bávaros (o que lhe garantia dependência exclusiva de suas próprias forças para levantar o caneco), mas figurou no segundo lugar nas rodadas 11, 12, entre a 15ª e a 24ª e da 26ª até o final.

Confira ainda: Borussia Dortmund x Schalke 04: a rivalidade do vale do Ruhr

O time do Vale do Ruhr era muito bom, mas faltou fôlego no final, justamente nos capítulos decisivos da competição. Nem a grande forma de Lincoln e companhia foi suficiente para tirar o clube de uma fila de quase 50 anos.

Time Base: Rost; Hoogland (Kamphuis), Bordon, Krstajic, Pander (Asamoah); Poulsen, Vermant (Altintop), Kobiashvili, Lincoln; Sand e Aílton. Téc.: Ralf Rangnick

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...