terça-feira, 13 de novembro de 2018

Comandado por Frank Lampard, Derby County volta a sonhar

Não é mistério para nenhum amante do futebol inglês o fato de que os melhores anos do Derby County aconteceram na década de 1970. Foi naquele momento histórico que os Rams conquistaram seus títulos mais importantes, época marcada pela passagem de Brian Clough pela equipe. Apesar disso, já faz tempo que o time das East Midlands vive à margem dos títulos e da primeira divisão. Na temporada 2018/19, sob o comando de Frank Lampard, o time tenta novamente retornar à elite.


Foto: Yahoo Sports

Entre jovens e velhos conhecidos de Lampard

Como é comum aos times que disputam as divisões de acesso, o Derby County tem como uma de suas principais forças a utilização de jovens talentosos emprestados por gigantes do futebol bretão. Nessa temporada, é de se destacar o desempenho de dois meninos do Chelsea e de outro, pertencente ao Liverpool. 

Na retaguarda, Fikayo Tomori, beque dos Blues, vai se confirmando um dos melhores defensores da Championship. Seu desempenho é marcado por números respeitáveis. Em média, são 2,2 desarmes obtidos por jogo, 1,4 interceptações, 4,8 bolas afastadas e três duelos aéreos vencidos. E, note-se, o canadense não é nenhum gigante, tendo 1,85m de altura. É imprescindível também que se perceba outro fato: habitualmente, seu companheiro é o experiente Richard Keogh, selecionável irlandês de 32 anos e que apesar de suas limitações técnicas, oferece grande suporte ao garoto. 

Adiante, na criação, o clube apresenta mais dois jogadores de enorme talento: o também blue Mason Mount, e um galês vindo do Liverpool, Harry Wilson. 


O primeiro vem em uma crescente. Destaque absoluto do Vitesse na última temporada (14 gols e nove assistências na Eredivisie), Mount segue mostrando seus predicados, agora em um nível de competitividade mais alto e de exigência por resultados mais forte. Suas capacidades para abrir defesas com passes e dribles têm ficado cada vez mais evidentes — sem falar na perícia nas cobranças de faltas. Posicionado como “10”, mas com liberdade para flutuar pelos dois flancos, tem sido a grande referência técnica do time.

Já Wilson tem menos capacidades de armação, sendo mais agudo e veloz e atuando mais pela ponta direita. Apesar disso, por ser canhoto, procura sempre partir do flanco para o meio, para finalizar ou servir seus companheiros. Outro de seus pontos fortes é a capacidade para atacar espaços e se colocar em boa condição para receber a bola no último terço do campo. Como Mount, tem também muita qualidade na bola parada. Aliás, essa acaba sendo uma força bem considerável do Derby County, que possui bons batedores de falta para posicionamentos favoráveis a destros e canhotos.


Convém considerar, ainda, que, como Tomori, os garotos do meio também têm suporte de jogadores de vasta experiência. O escocês Craig Bryson, o galês Joe Ledley, ex-Crystal Palace, e o inglês Tom Huddlestone, formado no Tottenham, — todos acima dos 30 anos e selecionáveis em parte de suas trajetórias — são as opções de contenção no meio-campo. 

Outros destaques acabam sendo o centroavante Jack Marriott, artilheiro do time na temporada, e o ponta Tom Lawrence, de 24 anos e criado na base do Manchester United. Além deles, é bom lembrar que Lampard comanda três ex-companheiros de Seleção Inglesa: o centroavante David Nugent, o goleiro Scott Carson e o já citado Huddlestone.

Caindo de pé na Copa da Liga e disputando a Championship em bom nível

Na temporada, o Derby County vem tendo bons resultados. Apostando quase sempre no esquema tático 4-2-3-1, com pontas que trazem o jogo para dentro e concentram muito da criação pela faixa central, o time tem um dos estilos de jogo mais atraentes da Championship. É a terceira agremiação que mais mantém a bola em sua posse, a segunda que mais chuta a gol por jogo (14,4 em média) e a que mais marca gols em contragolpes (quatro); faz um jogo bem fiel ao que deseja seu treinador.

“Eu quero que eles [os jogadores] sejam agressivos, quero que joguem bom futebol, um futebol rápido. Não falo no belo tiki-taka, mas quero que haja energia no meu time, e que eles joguem e agradem aos torcedores. Quero energia, trabalho duro e agressividade”, disse Lampard em entrevista à Sky Sports britânica.

Há, no entanto, questões que precisarão de melhora na busca pelo acesso. O balanço entre gols marcados e sofridos ainda não é o ideal. Na Championship, são 25 anotados e 20 sofridos, o que leva o time à sexta posição, a última que conduz à disputa dos playoffs de classificação à Premier League. Na busca por uma subida na tabela, é um imperativo marcar mais gols e conceder menos.

Mas o time está longe de estar mal. O problema é que o campeonato tem sido muito parelho e em uma rodada se pode deixar a zona de classificação. Apenas nove pontos separam o 12º colocado, Birmingham, do líder Norwich. O caminho do Derby, entretanto, parece correto e uma das grandes provas veio na Copa da Liga.

O time foi eliminado, mas antes disso Oldham Athletic, Hull City e Manchester United (nos pênaltis) foram deixados para trás. Contra os dois primeiros, o time se impôs com facilidade, vencendo por 2 a 0 e 4 a 0, respectivamente. Contra os Red Devils, o jogo também foi bom e o time vencia até o minuto 95, quando Marouane Fellaini empatou a peleja levando-a, terminada em 2 a 2, para a marca da cal.


Contra o Chelsea, na partida em que acabou eliminado, o time também deixou muita qualidade em campo. A sorte, porém não estava a seu lado. Os zagueiros dos Rams marcaram duas vezes contra. Ainda assim o Derby empatou o jogo, que só foi decidido por um terceiro gol dos Blues, marcado por Cesc Fàbregas. Ou seja, o time de Lampard tem competido em ótimo nível na Championship e já se provou contra duas potências nacionais.

Emplacando um selecionável

Foto: Getty Images


Talvez o prêmio individual recebido por Mason Mount dê a exata noção do bom trabalho que vêm sendo feito no estádio Pride Park. O jovem, de 19 anos, ganhou uma convocação para a Seleção Inglesa na última Data Fifa, ficando na reserva nas partidas contra Croácia e Espanha.

“É uma ótima experiência para mim, tenho que agradecer a todo o staff do Derby County e aos jogadores. Sem eles, e a forma como estamos jogando, seria impossível eu estar na posição em que estou, então muitos agradecimentos tem de ser feitos ao Derby County”, disse o jogador naquela altura à Rams TV.

O que Mount fez foi um feito. É algo extremamente raro presenciar a convocação de um jogador de linha para os Three Lions atuando na segunda divisão. Mais ainda quando se trata de alguém de 19 anos. Apesar disso, o chamado faz jus ao seu ótimo momento, possível apenas porque, em Derby, Frank Lampard vai fazendo um ótimo trabalho em sua estreia como treinador de futebol. O acesso é possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...