segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Perfil tático: Gelson Martins e Thomas Lemar no Atlético de Madrid

Não é tarefa para qualquer um obter sucesso sob as ordens do treinador Diego Simeone. É preciso trabalhar, ser intenso, suar sangue, entregar-se coletivamente e correr como louco. A exigência é enorme e talvez tenha sido ela o motivo dos fracassos de jogadores como Yannick Ferreira Carrasco, Nico Gaitán ou Vitolo, que ainda tenta se adaptar ao jogo colchonero. Esse é o contexto que espera o português Gelson Martins e o francês Thomas Lemar, novos contratados do clube espanhol.


Foto: Instagram/Diego Godín


As exigências do Cholismo

Desde 2011 no comando do Atlético de Madrid, Diego Simeone consolidou há um certo tempo sua ideia de jogo. Não é mistério para ninguém a forma como prefere que seu time atue. O esquema tático é o 4-4-2 (por vezes lido como 4-4-1-1), a proposta é reativa, a marcação é cerrada, com linhas próximas e muita organização. O espaço aéreo fica sob seu domínio, e o ataque — sempre com boas alternativas — é letal.

O time atua com paciência. Se retrai, dá a bola ao adversário e espera que ele erre, ou se precipite. Nesse momento, vem a pressão colchonera. Atacando o jogador que tem a bola e, via de regra, recuperando-a. Isso faz com que o empenho coletivo tenha que ser imenso. Assim, atletas como Gabi, Tiago, Diego Costa, Diego Godín, Miranda, dentre outros, acabaram consagrados.

Foto: Getty Images
Uma questão que muitas vezes esteve em análise foi o jogo pelos lados. Os laterais, tanto Juanfran quanto Filipe Luís, titulares durante a maior parte da gestão do treinador argentino, sempre tiveram papel fundamental. Além de sua função defensiva, no curso dos anos foram muito importantes nos contragolpes, com velocidade, agressividade e objetividade. Em parte, isso se deu pela falta, ou insucesso, dos pontas.

No melhor momento do cholismo, os lados do meio-campo rojiblanco contavam com as presenças de Arda Turan e Koke (hoje deslocado para a faixa central em muitas ocasiões). Com isso, se tinha jogadores técnicos, capazes de fechar muito bem os espaços e auxiliar os laterais no momento ofensivo, mas não propriamente rápidos. A maior parte dos atletas agudos contratados pelo time para fazer a ponta fracassaram.

Não é difícil entender os motivos. O jogo do Atlético, inevitavelmente, suprime as individualidades. Não permite muitas jogadas de um contra um, e busca reduzir, ao máximo, os riscos. Jogadores habilidosos têm uma tendência aos enfrentamentos e dribles. A chance desse tipo de lance dar errado é grande e a consequência pode ser um time exposto. Tudo o que Diego Simeone não quer.

Não é fácil manter as duas linhas de quatro estruturadas durante a maior parte do jogo. O desgaste é grande. E a eficiência precisa ser máxima, porque não são muitas as chances de gol que o time tem por jogo. Assim, as missões de Lemar e Gelson não são das mais fáceis, embora ambos tenham credenciais para obter sucesso no estádio Wanda Metropolitano.


Gelson precisará evoluir

Jogador revelado no Sporting CP, Gelson Martins chega ao Atlético de Madrid sem custos. A conflituosa gestão de Bruno de Carvalho no clube lisboeta terminou levando muitos jogadores à Justiça. O ponta, pela direita, foi um deles, que conseguiu se livrar do vínculo com o clube português. Chega, portanto, sem o peso de ter custado milhões aos cofres de seu novo clube.

Foto: Gualter Faria/Getty Images
Aos 23 anos, o winger tem se mostrado um jogador de potencial enorme, ainda um tanto bruto, entretanto. Ele possui enorme velocidade, capacidade de desequilibrar jogos com o drible e de construir assistências para os atacantes com quem atua. Apesar disso, ainda demonstra alguma deficiência na hora de tomar a melhor decisão quando tem a bola em seus pés.

Gelson é muito agressivo com a bola, mas não é propriamente um jogador que faça a recomposição com muita eficiência. A seu favor, porém, está a disposição para trabalhar seu desenvolvimento. O português vive constante evolução desde que se firmou no SCP, até por isso é difícil saber qual é seu limite. Certamente, Cholo Simeone pensou nisso ao procurar sua contratação. O ponta é um jogador talentoso e que ainda dá para ser moldado.

A aposta é válida. Como o Atlético muitas vezes apela para contra-ataques, precisa de jogadores de velocidade. No momento ofensivo, o novo contratado tende a ser perfeito para auxiliar o lateral e encostar em Antoine Griezmann e Diego Costa. Defensivamente, precisará evoluir, aumentando sua capacidade de retornar, fechar espaços e ter paciência para atacar no momento certo. Acima de tudo, Gelson precisa melhorar sua tomada de decisão.

O contexto para aperfeiçoar seu jogo, todavia, não poderia ser melhor. Segundo o próprio atleta, a escolha pelo Atlético se deu em razão da presença do treinador argentino. O ponta quer melhorar.

Lemar, por outro lado, parece mais pronto

Pode ser curioso pensar que Thomas Lemar, apesar de mais novo, esteja, teoricamente, mais pronto para ingressar no time de Diego Simeone. O ponta esquerda, de 22 anos, custou nada menos do que €70 milhões ao Monaco e chega para tomar conta da posição.

Suas características são diferentes das de Gelson. Lemar é menos imprevisível, mas tem maior objetividade. Sua qualidade na bola parada é um diferencial, assim como a capacidade para criar assistências. Taticamente, já atuou em várias funções diferentes e vem de um contexto em que o esquema era semelhante ao do Atlético, embora fosse executado de forma diferente.

Foto: Getty Images
Em muitas partidas, o francês atuou pelo lado esquerdo do meio-campo, com o time monegasco atuando em 4-4-2, com Falcao García e Kylian Mbappé no ataque. Isso tendo ainda próximo a si o potente lateral esquerdo Benjamin Mendy. Apesar disso, o time não atuava com linhas tão próximas e proposta tão reativa quanto a colchonera. Certo é que Lemar já não tinha tanta liberdade quanto Gelson.

Por isso, parece pronto para assumir a titularidade — ainda que precise de tempo para se adaptar plenamente. Dentre todos os jogadores de lado de campo contratados pelo Atleti nos últimos tempos, o atleta aparenta ser o mais adaptável às exigências de Simeone. 

É também muito veloz e técnico, mas para já, toma melhores decisões que seu novo companheiro e recompõe o setor defensivo com mais eficiência. Tem menos características de atacante pelos lados e mais qualidades de meio-campista, também é de se destacar o forte ritmo que impõe às partidas.

Importantíssimo na temporada 2016/17, em que o Monaco conquistou o campeonato francês, Lemar parece reunir as condições necessárias para vestir rapidamente a camisa titular dos rojiblancos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...