quarta-feira, 29 de junho de 2016

Mais uma chance para o Ouro Olímpico

Alvo de clamor do público, a efetivação de Rogério Micale, responsável por boa parte do projeto olímpico, como treinador da Seleção Olímpica revitalizou a esperança de êxitos para o futebol masculino nas Olimpíadas do Rio 2016. Após o retumbante, porém previsível, fracasso de Dunga com a Seleção Principal, Tite foi contratado e deixou a responsabilidade pelo comando da equipe olímpica com Micale. A primeira impressão disso, vinda da convocação para o certame, foi boa. Novamente, o Brasil entra como candidato à láurea olímpica.



De antemão, é preciso ressaltar que algumas escolhas foram condicionadas pela liberação, ou não, dos atletas por seus clubes. Estes não são obrigados a fazê-la para os Jogos Olímpicos, uma vez que os mesmos não são competições de futebol profissional, não entram no calendário da FIFA e, portanto, não constituem Data FIFA.

No gol, com a alegada não-liberação do Benfica com relação ao arqueiro Ederson, não há estranhamento com as escolhas. Fernando Prass (foto) é nome que vive grande momento em sua carreira e tem em sua idade e liderança natural um grande pró. Por sua vez, o jovem Uilson é nome que foi testado durante o ciclo olímpico e figura com quem Micale trabalhou durante um bom tempo nas categorias de base do Atlético Mineiro.

As laterais, diferentemente do ocorrido nos Jogos Olímpicos de 2012, quando Marcelo foi chamado, irão sem um jogador de maior experiência, mas as escolhas foram bem pensadas. Pela direita, Willian vem muito bem no Internacional e pela esquerda o mesmo pode ser dito de Douglas Santos, no Galo. Seguros e talentosos, não devem trazer problemas. Fabinho, o mais cotado pela direita e um dos pilares do grupo, não foi liberado pelo Monaco e por isso não foi chamado. Por sua vez, Zeca, o terceiro chamado e que também tem muita qualidade, era opção óbvia e a razão é simples: é polivalente, atuando pelos dois flancos. Para um chamado com apenas 18 nomes, ter alguém com tal perfil é fundamental.

Leia também: O maior desafio de Tite

Na zaga, era esperado que algum jogador experiente fosse chamado. Miranda e Thiago Silva não foram liberados por Inter de Milão e PSG, todavia. Assim sendo, o inevitável aconteceu: só jogadores jovens foram chamados. A despeito disso, todos os convocados têm rodagem em suas carreiras. A maior esperança para o setor é Marquinhos, indiscutivelmente. Consistente, rápido e técnico, o beque do Paris Saint-Germain é um dos defensores mais valorizados do mundo, não por acaso. A seu lado, o tranquilo e técnico Rodrigo Caio deve ser titular, pois o foi durante todo o ciclo preparatório. Fica a questão se a zaga não ficará muito leve e frágil fisicamente. Caso verifique isso, Micale terá em Luan opção menos talentosa, mas com maior força.

Na contenção reside importante questionamento: por que Walace não foi chamado? O volante do Grêmio mostrou rápida e impressionante ascensão desde que se firmou como jogador profissional e chegou a disputar a Copa América Centenário com a Canarinho. Outro nome que poderia ter aparecido e sobre o qual não há certeza quanto à liberação, ou não, é Danilo, volante do Valencia e ex-capitão do time brasileiro sub-20.

Não obstante, os nomes chamados não causaram estranheza. Thiago Maia e Rodrigo Dourado são destaques em seus clubes desde a temporada passada e foram chamados nos últimos testes de Micale. Além deles, Fred do Shakhtar Donetsk já era nome esperado, já tendo sido testado no selecionado principal e vindo de punição da FIFA, por ter testado positivo em exame antidoping.

Na criação, o chamado de apenas dois nomes deixa claro que o time jogará em função de um tridente ofensivo. Nesse sentido, não surpreende o fato de terem sido chamados apenas Rafinha (foto), do Barcelona, e Felipe Anderson, da Lazio. Ambos atuam em equipes de alto nível, foram chamados durante o ciclo olímpico e têm talento de sobra. Rafinha recuperou-se de lesão grave a tempo e deve ser o principal regente da orquestra canarinha, abusando de sua ótima técnica. Outras opções como Andreas Pereira ficaram de fora, mas, como dito, a opção se explica pela escolha do sistema de jogo.

"Eu me sinto preparado para realizar o trabalho. Há situações nas quais não podemos ter controle absoluto no futebol, mas vou colocar o que aprendi até aqui. Não quero calar nenhum crítico, eu tenho que focar no meu trabalho e seguir minha linha com convicção", disse em entrevista coletiva o treinador Rogério Micale.

No ataque, todos os chamados vivem excelente momento em suas carreiras. Neymar e Douglas Costa dispensam maiores apresentações. Embora, em minha opinião, não fosse necessário contemplar o setor ofensivo com dois jogadores acima dos 23 anos, reconheço que diante das recusas na liberação de vários atletas a opção por Douglas faz sentido e é boa. É fato que ambos serão titulares. Ademais, os outros três chamados são rápidos, versáteis, habilidosos e vivem ótimo momento em suas carreiras. Dentre Gabriel Jesus (foto), Gabriel Barbosa (Gabigol) e Luan há muita equivalência, e, deste modo, a seleção está bem servida, qualquer que seja a opção de Micale.

É claro que a ausência de vários jogadores que não foram liberados não pode ser ignorada. A despeito disso, não pode ser usada como desculpa para eventual fracasso. A convocação de Rogério Micale é equilibrada, mostra o que ele espera de seu time e possui muita qualidade. Não há um jogador sequer que já não tenha alguma bagagem em sua equipe e não há ninguém dentre os selecionáveis vivendo mau momento em sua trajetória. Escolher 18 em um universo tão vasto quanto o brasileiro será sempre tarefa difícil, porém o treinador da Seleção Olímpica apostou em suas convicções e no trabalho que desenvolveu durante os últimos tempos.

Se o Ouro Olímpico tão sonhado virá, não é possível afirmar, mas é claro que ele é possível. Há talento por parte dos jogadores e seriedade no trabalho feito. Será o Rio o palco de uma glória há tanto tempo perseguida?

Os convocados:

Goleiros: Fernando Prass (Palmeiras) e Uilson (Atlético Mineiro);

Defensores: Willian (Internacional), Douglas Santos (Atlético Mineiro), Zeca (Santos), Marquinhos (PSG), Rodrigo Caio (São Paulo) e Luan (Vasco);

Meio-campistas: Thiago Maia (Santos), Rodrigo Dourado (Internacional), Fred (Shakhtar Donetsk), Rafinha (Barcelona) e Felipe Anderson (Lazio);

Atacantes: Neymar (Barcelona), Douglas Costa (Bayern de Munique), Gabriel Jesus (Palmeiras), Gabriel Barbosa (Santos) e Luan (Grêmio).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...